Planet Geek

16 de Junho, 2019

26% dos norte-americanos mais pobres já só acedem à internet via smartphone

16-06-2019 | 20:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Um relatório revela que nos EUA se começa a tonar bem claro o impacto que os rendimentos têm no acesso à internet, com 26% dos norte-americanos que ganham menos de 30 mil dólares por ano a já só acederem à internet a partir dos seus smartphones.

A internet tornou-se tão disseminada (e necessária: veja-se o número crescente de coisas que tem obrigatoriamente que ser feita através de serviços online) que por vezes corremos o risco de esquecer que é um serviço pelo qual temos que pagar. Mas, quando a falta de dinheiro aperta e há que reduzir os custos, uma parte significativa opta por abdicar da ligação à internet em casa e usar apenas o smartphone. Pelo menos é esse o panorama que o estudo da Pew Research revela.


Entre as pessoas com rendimentos inferiores a 30 mil dólares por ano, há 26% que apenas usam o smartphone para aceder à internet. E também curioso é que mesmo entre os que ganham entre 30 e 75 mil dólares, há 15% que também o faz.


Já no que diz respeito às ligações à internet em casa, passa-se exactamente oposto, 92% das pessoas que ganham mais de 75 mil dólares por ano têm internet em casa; 78% entre os que ganham 30 e 75 mil dólares, e - mesmo assim - ainda temos 56% entre os que ganham menos de 30 mil dólares.


Se tivessem que optar entre ter internet fixa em casa ou no smartphone (apenas uma ou outra), qual preferiam ter? Continuariam a preferir ter internet em casa, ou já não conseguiriam viver sem a internet no smartphone?

topo

Tesla Model 3 Performance mantém desempenho melhor que Model S e X

16-06-2019 | 17:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Um teste à velocidade máxima nas autobahns alemãs destinado a ver quando o Model 3 Performance entrava em modo "limitado" devido à temperatura, demonstrou que o carro não tem problemas em manter praticamente o desempenho máximo durante quanto tempo for necessário.

O teste realizado por Bjorn Nyland, já bastante conhecido pelos testes que faz aos Tesla, não só demonstrou a facilidade com que o Model 3 Performance consegue superar os 200 km e mantê-los por períodos prolongados (demorando algum tempo até que se começar a notar o efeito na velocidade máxima - que nos modelos alemães parece estar limitada a 233 km/h - e bastando um curto período para que novamente esteja pronto a retomar a velocidade máxima. Este facto torna-se curioso pois os mais potentes Model S e Model X são habitualmente confrontados com essa situação assim que se começa a "puxar" demasiado por eles.

Neste caso, os motores mais eficientes e estrutura melhorada da bateria do Model 3 parecem demonstrar o que valem - e servem para tornar ainda mais desejada a próxima remodelação dos Model S e Model X, que se espera ainda para este ano; essencialmente a nível dos motores, baterias e interior e não tanto a nível do design exterior que, para manter os custos reduzidos, deverá tentar manter a maior compatibilidade possível com as máquinas actuais e processo de montagem.

Cá em Portugal, o Model 3 Performance começa nos 69700 euros (com pintura vermelha e autopilot vai para os 79 mil euros) e vem com velocidade máxima de 261 km/h. Seria interessante ver se a 261 km/h o limite se tornaria mais notório... mas por outro lado, não temos por cá auto-estradas onde fosse possível testar isso (sem arriscar uma valente multa e ficar sem carta). :)


P.S. E não esquecer que todas estas "brincadeiras" estão a ser feitas sem preocupações com a despesa no posto de combustível logo a seguir.

topo

Análise ao ZenFone 6 da Asus

16-06-2019 | 16:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


O ZenFone 5(Z) elevou claramente a fasquia de qualidade dos smartphones da Asus. Design elegante, hardware de elevado desempenho, associados a um preço ultra competitivo, fizeram deste smartphone, um dos mais bem sucedidos terminais de 2018.


O lançamento do ZenFone 6 passou por isso a ter um importância maior que o habitual, ficando no ar a dúvida quanto à opção que a Asus iria tomar: manter a estratégia do ZenFone 5 ou aumentar o preço do produto, como fez a OnePlus, para o OnePlus 7 Pro?

A apresentação que teve lugar em Valência desfez esta e outras dúvidas, com a Asus a acabar por surpreender nas suas opções. Ao invés de apostar em dois modelos, como vinha a ser seu hábito, a marca de Taiwan optou por lançar apenas um ZenFone 6, concentrando todas as atenções num único modelo. Será este ZenFone 6 um digno sucessor do modelo lançado em 2018? É precisamente isso que nos propomos analisar neste artigo.




A caixa do equipamento é bastante simples, mas as inscrições a azul cyan, dão-lhe um toque de requinte. Este tom é de resto uma constante em vários os aspectos relacionados com o smartphone, com diversas incursões no design do produto.




Ao abrir a caixa, num primeiro plano encontramos uma capa de silicone e o clip para retirar o adaptador dos cartões SIM e SD. Num segundo plano, encontramos o smartphone protegido por uma capa em plástico, que apresenta algumas das especificações mais importantes. Por baixo do equipamento, uma tampa de segurança protege o cabo USB-C, carregador e os auriculares, que apresentam um já quase raro jack de 3,5mm.




A frente do equipamento fica marcada pela ausência de um notch, com a Asus preferir suprimir a câmara frontal, apostando numa proposta diferente, com uma câmara rotativa. A margem superior é reduzida, havendo apenas espaço para a coluna frontal, sensores de luz ambiente e proximidade e led de notificações.




As margens laterais não sendo largas, poderiam ser algo mais estreitas, o mesmo se passando com a zona inferior do ecrã.




Na traseira, o destaque tem de ir todo para a câmara rotativa. Por baixo desta, o sensor de impressão digital, numa apresentação rectangular, com cantos redondos. A meio do smartphone, numa zona central, o logótipo da marca, mais uma vez no azul cyan.




Na lateral inferior, temos um jack de de 3,5mm, porta USB-C, um microfone e uma coluna de som. Na lateral oposta, apenas um microfone e a área para rotação da câmara.




O slot para os cartões SIM apresenta uma particularidade sempre interessante, permitindo a instalação simultânea de dois cartões SIM e um cartão MicroSD, para expansão do armazenamento interno.




Na lateral direita, a smartkey, com um acabamento diferente, para ser mais facilmente identificável, os botões de volume e o botão de power, o qual apresenta um acabamento em (adivinhem...) azul cyan.




Em termos de dimensões, o ZenFone 6 é aquilo a que se poderia chamar um "tijolo móvel". As suas dimensões e peso são maiores do que é habitual num equipamento de topo, com 159,1x75,44x9,1mm e 190g. Este design acaba por ser um compromisso entre o hardware e as limitações dos materiais utilizados.



A generosa bateria de 5000mAh é uma das responsáveis pelos 9,1mm de espessura deste ZenFone 6, mas há outro culpado pelo facto de o smartphone se apresentar assim tão "gordinho". O vidro do ecrã frontal, ao invés de apresentar uma curvatura a beijar o corpo do smartphone, está assente num anel de poli-carbonato, que segundo a marca, visa aumentar a protecção contra as inesperadas quedas.


Especificações - Hardware

A Asus optou não alterar a sua estratégia, apostando no melhor processador da Qualcomm, o Snapdragon 855, que vem acompanhado da GPU  Adreno 640. O facto de lançar o seu topo de gama alguns meses mais tarde que as suas concorrentes, acaba por lhe facilitar o acesso ao topo de gama da Qualcomm, algo que já vimos ser vedado a nomes grandes do mercado mobile.

O ecrã IPS de 6,4" apresenta uma resolução Full HD+ (2340 by 1080) e um rácio ecrã/corpo de 92%. oferece um brilho de 600nits, que lhe garante uma boa visibilidade em ambientes interiores. Quando sobre sol directo, a visibilidade da imagem diminui, ficando algo comprometida.




Os rumores apontavam para 12GB de RAM, mas estava versão ficou na carteira, tendo sido apenas apresentada na COMPUTEX, ficando disponível em quantidades muito limitadas. A aposta da Asus recaiu nos 6/8GB de memória LPDDR4X, suficientes para garantir um desempenho sem compromissos.



Este bloco central constituído pelo processador, ecrã e memória, representam desde logo um excelente cartão de visita, onde apenas se pode lamentar o facto de a Asus não apostar num ecrã OLED. Para completar este trio, a marca de Taiwan optou por apresentar uma câmara rotativa, prescindindo assim da câmara frontal.

A opção recaiu numa dupla de sensores:
  • Sony IMX586 de 1/2.0” com 48MP,  abertura de F1.79, 79° de campo de visão e um tamanho de pixel de 0.8µm que através da tecnologia Quad Bayer passa para 12MP, com pixels de 1.6 µm;
  • 13MP, 125° ultrawide.




ZenUI - cada vez mais discreta

Muitas vezes criticada por usar e abusar de modificações de utilidade questionável, a Asus soube ouvir as criticas dos utilizadores e imprensa, apresentando actualmente uma interface em linha com o Android da Google. Na verdade, o difícil é perceber onde é que efectivamente temos as modificações oferecidas pela ZenUI, o que naturalmente é um grande elogio ao trabalho que a marca desenvolveu, ao longo dos anos mais recentes.

É certo que a Asus continua a apresentar algumas apps proprietárias que pouco ou nada acrescentam às apps disponibilizadas pela Google, mas em abono da verdade, este conjunto de aplicações é cada vez mais reduzido. O calendário foi uma das apps Asus que já "caiu", falta que agora aconteça o mesmo aos contactos, relógio e calculadora.




No que diz respeito a funcionalidades interessantes, temos um gestor de ficheiros que permite ligações de rede e criação de atalhos para o ecrã principal, galeria para consulta de fotografias (o Google Photos está longe de ser a melhor opção para o efeito...), assistente de áudio para configuração da saída de som em função do ambiente onde o utilizador se encontrar e o gestor de telemóvel, uma app multifunções, que concentra um conjunto de ferramentas para manterem o smartphone a funcionar em condições óptimas.




A possibilidade de utilizar uma interface escura é mais uma boa opção, se bem que limitada em termos de poupança de energia, pois a Asus ainda não apostou num ecrã OLED. A app Opti-Flex é outra das opções curiosas, pois segundo a marca permite acelerar o início das aplicações, reduzindo os tempos de carregamento das mesmas. Em termos teóricos é algo sempre bem vindo, resta agora verificar  se a longo prazo cumpre efectivamente o prometido.






Em utilização


O ZenFone 6 é um smartphone grande e "pesado", pelo menos quando comparado com os valores médios no segmento onde se insere. São apenas alguns milímetros e gramas de diferença, que no entanto se fazem sentir quando em utilização.




A traseira de vidro assenta na perfeição na área laminada corpo do smartphone, mas apenas na zona superior e inferior. Nas laterais há um ligeiro desfasamento entre as duas superfícies, algo que se sente, quando se segura o equipamento na mão.




O anel que protege o vidro frontal, também acaba por tornar o equipamento menos confortável em utilização, quando comparado com os ecrãs curvos, que encaixam directamente no corpo do smartphone.

Pese embora os factos acima referidos, o ZenFone 6 apresenta uma boa qualidade de construção, onde apenas se lamenta a ausência de um tratamento oleofóbico, nos vidros traseiro e frontal. As dedadas vão ser uma constante, que só é atenuada pela passagem por um bolso das calças ou casaco.






Em termos de desempenho, o Snapdragon 855 não deixa os seus créditos por mãos alheiras, disponibilizando uma capacidade de processamento capaz de responder aos cenários mais exigentes, sempre apoiado pela memória RAM, em quantidade quanto-baste. Já o armazenamento, apresenta velocidades de leitura interessantes (entre os 700 e 900MB/s), mas a velocidade de leitura é bastante inferior (200MB/s), ficando no entanto ao nível de outros equipamentos no mesmo segmento de mercado.




A bateria de 5000mAh permite um desempenho sem preocupações, com o utilizador a garantir mais de um dia de autonomia, podendo até passar dos dois, numa utilização mais moderada do equipamento. Este facto acaba por ser a justificação que a Asus apresenta para não disponibilizar um sistema de carregamento rápido mais eficiente, com uma carga completa a levar 135 minutos a ser concluída. O carregamento sem fios é outra das ausências e o facto da traseira ser em vidro, mostra claramente que esta foi uma opção para contenção de custos.




O sensor de impressão digital na traseira é preciso na detecção, mas a reduzida área do mesmo, obriga a que se coloque o dedo na posição certa, algo que não acontece sempre que se segura no smartphone. Para contornar esta limitação de tamanho/desempenho, a nossa sugestão passa por efectuarem um dupla detecção para cada dedo, com uma entrada a corresponder à zona superior da impressão digital e outra, à zona inferior.

Quem assim pretenda, pode sempre utilizar o reconhecimento facial para desbloquear o smartphone. Devem no entanto ter em conta que a câmara só vai rodar e entrar em posição, quando ligarem o ecrã e efectuarem um gesto de slide, de baixo para cima para iniciar o desbloqueio. A câmara roda rapidamente, efectua a detecção do rosto e volta a alojar-se na traseira do smartphone, cumprindo a sua função. Sendo uma opção que funciona como esperado, está longe de ser prática e o nível de segurança oferecido, é inferior ao de outros sistemas de desbloqueio oferecidos pela Asus.




A tecla inteligente pode ser bastante útil, tendo o consumidor duas possibilidades de utilização. Pode optar por interagir com o Google Assistant, ou em alternativa, definir acções para os três tipos de toque que estão previstos: toque simples, duplo ou prolongado.




A localização da tecla não foi no entanto a mais feliz, nomeadamente quando se segura o smartphone com a mão esquerda. Um posicionamento na lateral esquerda, teria sido bastante mais prático para o utilizador, que nesta modalidade, se vê obrigado a utilizar a mão direita, para activar este botão.




Uma referência ainda para o sistema de som, com as colunas e earphones a surpreenderem pela de potência que disponibilizam, com estes últimos a apresentarem uma qualidade assinalável nos graves, algo nada habitual nos acessórios que por norma acompanham os smartphones.

O som estéreo fornecido pela dupla de colunas impressiona pelo seu nível de som, sendo suficiente para animar uma pequena festa, mas a diferença de qualidade entre os dois elementos é notória. A coluna na zona inferior reproduz os graves e agudos, mas a coluna para as chamadas de voz, limita-se aos agudos, o que acaba por diminuir a qualidade da experiência sonora.  Este é contudo um problema que afecta a generalidade dos smartphones, não tendo até agora analisado um equipamento que seja capaz de reproduzir graves de qualidade, nesta coluna secundária. 



Opções para o sistema de navegação

A navegação por gestos começam a dominar o mundo Android e Asus mostra estar atenta a esta mudança, disponibilizando um novo sistema de navegação, que se junta à proposta que o Android da Google apresenta de origem.

O utilizador fica assim com três opções, a barra de navegação, a proposta da Google e a da Asus, com esta última ser uma cópia do que a Samsung apresenta actualmente na série Galaxy S10, com três áreas de detecção de gestos, na zona inferior do ecrã. Esta opção, acaba por não ser a mais funcional, pois o gesto de "voltar atrás" é bem mais prático de se executar na zona intermédia do ecrã, a partida de uma das laterais. Com o Android Q a apresentar um novo mecanismo de navegação, fica a dúvida sobre qual a opção que a Asus irá seleccionar, esperando-se naturalmente que a sua escolha recaia sobre o sistema que a Xiaomi e Huawei apresentam actualmente, com o referido gesto de "voltar atrás", na lateral do ecrã.







As câmaras


A dupla câmara traseira, a par do processador Snapdragon 855 e da bateria de 5000mAh, é um dos destaques deste ZenFone 6. A Asus sabia que a câmara era uma dos aspectos onde tinha de apresentar melhorias, pois a fotografia foi um dos pontos menos conseguidos do ZenFone 5.

A aposta dificilmente poderia ser mais radical, com a Asus a suprimir a câmara frontal, preferindo optar por um sistema rotativo, que permite atribuir à câmara traseira uma dupla função, servindo também como câmara frontal. Esta opção tem as suas vantagens, desde logo na qualidade das imagens obtidas quando em "modo frontal", pois os sensores escolhidos pela Asus apresentam uma qualidade bastante superior, ao que é habitual ser utilizado nas câmaras frontais.

Pelo lado menos positivo, o impacto na espessura do smartphone (embora a Asus tenha recorrido a uma liga de "metal líquido") e sobretudo as duvidas que irão assolar o consumidor, relativamente à resistência do conjunto. A Asus assegura que o sistema de rotação da câmara foi exaustivamente testado, garantindo que o mesmo está preparado para resistir a 50 mil rotações, o que dá algo próximo das 28 utilizações por dia, durante 5 anos.




Além deste argumento que pretende assegurar a fiabilidade das peças moveis deste sistema, há ainda que ter em conta as inesperadas quedas. Tendo em conta que a câmara fica exposta a um impacto no solo, a Asus implementou um mecanismo que a retrai, quando é detectada uma queda do smartphone.

Claro das primeiras coisas que fizemos, foi experimentar este sistema, por forma a comprovar se o mesmo seria eficaz. Após algumas quedas controladas, para cima de uma zona devidamente protegida (banco do comboio!), foi possível concluir que a câmara é efectivamente recolhida automaticamente, mas para que tal aconteça na totalidade, o smartphone terá que estar a uma distância da zona de impacto, desejavelmente superior a 50cm. De referir que a retracção também funciona mais rapidamente no caso de o smartphone estar na horizontal (ecrã virado para cima), do que na vertical (ecrã ao alto), posição que leva mais algumas fracções de segundo a completar o movimento.


ZenFone 6
r.com/assets/client-code.js">

topo

Astrónomos acreditam ter encontrado módulo lunar da Apollo 10

16-06-2019 | 15:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Depois de andar perdido pelo espaço nos últimos 50 anos, uma equipa de astrónomos acredita ter encontrado o módulo lunar da missão Apollo 10.

A missão Apollo 11 está gravada nas memórias de todos os que se interessam pela aventura espacial, mas desta vez o protagonismo vai para a missão precedente: a Apollo 10. A missão Apollo 10 foi lançada a 22 de Maio de 1969 (apenas dois meses antes da Apollo 11), e tinha por objectivo fazer a simulação final da ida à Lua, incluindo o acoplamento com o módulo lunar e passagem de dois astronautas, Thomas Stafford e Eugene Cernan, para o mesmo, enquanto John Young permanecia no módulo de comando.

A missão foi bem sucedida, orbitando a lua, mas sem que tivesse sido feita a separação e alunagem - honra reservada para missão seguinte, meses mais tarde. E depois de concluído o regresso dos astronautas do módulo de comando, o módulo de lunar, baptizado de "Snoopy" (por ir "espreitar / snoop" o local de pouso da missão seguinte), foi ejectado para uma órbita em redor do sol... e nunca mais se ouviu falar dele, até agora.

[o comandante Thomas Stafford a fazer uma festa ao Snoopy para boa sorte]

Nick Howes é um astrónomo que há muito estava intrigado com o destino do "Snoopy", e que começou a investigar o seu possível paradeiro em 2011. Após quase uma década, veio a público anunciar que ele e a sua equipa têm 98% de certeza de o terem localizado.

Infelizmente, por agora temos que ficar com a (potencial) boa notícia, já que nesta fase será praticamente impossível confirmá-lo devido à sua distância e brilho reduzido. Ainda por cima, está numa fase em que se está a distanciar cada vez mais da Terra. Será necessário aguardar quase duas décadas até que ele se aproxime o suficiente da Terra para que seja possível tentar confirmar a sua identificação - e, nessa altura, até talvez já seja possível utilizar umas naves da SpaceX para o interceptar e trazer de regresso à Terra. Marquem na agenda que o ano de 2037 irá ser animado em termos espaciais! :)

topo

Android Go ainda está longe de ser a solução que os smartphones low cost necessitam

16-06-2019 | 15:21 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


O Android Go é a resposta da Google à necessidade de fazer com que o Android continue a ser funcional em smartphones com hardware bastante limitado, mas ainda há muito trabalho pela frente.


Ao contrário do que se suspeitava inicialmente, o Android Go é o mesmo Android completo que se pode encontrar em qualquer outro smartphone, mas foi afinado para dispensar todo o tipo de coisas supérfluas que poderia complicar o seu funcionamento em equipamentos de baixo custo com características que poderiam não resultar no tipo de experiência ideal para os utilizadores. Quer isto dizer que os utilizadores poderão ter acesso a todas as apps Android, se assim o entenderem... mas provavelmente será melhor manterem-se pela família de apps Go e Lite que têm surgido.

Foi precisamente isso que levou a fazer um comparativo das apps Go da Google com as apps normais, incluindo apps como o Gmail, Google Maps, YouTube, e até Google Assistant.

Há apps onde as diferenças se fazem notar mais (por exemplo no Google Maps não há navegação turn-by-turn com voz) outras onde as funcionalidades são virtualmente idênticas (como no Gmail), mas o consenso é o de que estas apps Go, e as suas congéneres "Lite" de outros developers deverá ser uma tendência que continuará a crescer nos próximos anos, à medida que as plataformas tentam cativar todos os milhões de pessoas que ainda não têm acesso a smartphones e internet, e que o irão fazer usando smartphones económicos de baixo custo.


topo

Huawei remove publicidade do lock screen

16-06-2019 | 13:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Depois de ter surpreendido, pela negativa, os seus clientes com publicidade no ecrã de bloqueio de diversas gamas de smartphones, a Huawei diz que tudo não passou de um erro e que já removeu toda a publicidade das imagens de fundo que eram apresentadas.

Há poucos dias, e de forma totalmente inesperada, alguns utilizadores começaram a ser "brindados" com publicidade indesejada no ecrã dos seus smartphones Huawei. No ecrã de bloqueio, passava a ser apresentada publicidade ao serviço de alojamento Booking, sem que os utilizadores tivessem sido informados sobre esta alteração.

A apresentação de publicidade em certos equipamentos não é novidade. A Amazon é uma das empresas que aposta nessa táctica nos Kindle, oferecendo aos clientes a possibilidade de optarem por equipamentos com publicidade no ecrã a troco de um preço ligeiramente mais baixo.

#Huawei has turned the random landscape backgrounds on the lock screen into ads. Wtf fuck this pic.twitter.com/6dAUeu17Jf
— Alex (@ValexWhoa) June 13, 2019


Mas esta situação com que agora alguns utilizadores se depararam nos seus smartphones Huawei é bem diferente, pois a apresentação de publicidade não fazia parte das condições contratuais quando compraram os equipamentos. Por isso mesmo, não tardaram a chover críticas pela Internet, facto que terá contribuído para que a Huawei rapidamente tenha invertido esta infeliz alteração, dizendo que tudo não passou de um erro.

As imagens que estavam a ser apresentadas pela aplicação responsável pela gestão do ecrã de bloqueio, já foram eliminadas do sistema, havendo apenas que as apagar localmente caso tenham sido um dos contemplados com esta desagradável surpresa.

Infelizmente, este é um deslize que não poderia acontecer em pior altura, considerando-se toda a incerteza que rodeia a Huawei relativamente ao bloqueio imposto pelos EUA e que impedirá que continue a ter acesso ao Android a partir de Agosto, a não ser que a situação se altere. Espera-se que este tenha sido um caso isolado e que não voltem a ocorrer erros nos próximos meses.

topo

Sentry Mode da Tesla apanha homem a desapertar jantes de um Model 3

16-06-2019 | 11:01 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


O modo de vigilância nos Tesla tem permitido apanhar inúmeras situações estranhas, e desta vez apanhou um home que se limitou a desapertar as jantes de um Model 3, afastando-se de seguida.

A insólita situação passou-se na Noruega, e o dono descobriu que algo de errado se passava assim que começou a circular com ele. Ao inspeccionar as rodas notou que todas as porcas nas rodas traseiras tinham sido removidas excepto uma, estando também ela desapertada. Uma situação que poderia fazer com que as rodas se soltassem a qualquer momento, provocando um acidente que seguramente iria fazer manchetes nos jornais e sites noticiosos (bem sabemos como tudo o que diga respeito à Tesla é imensamente amplificado, tanto para o bem como, e em especial, para o mal) - e que foi explicada ao inspeccionar o vídeo do Sentry Mode, que mostrou um desconhecido mascarado a desapertar as rodas (no vídeo que se segue, aos 00:27).


Há quem diga que poderia ser precisamente esse o propósito, mas por outro lado a explicação poderá ser bastante mais simples: que se tratava simplesmente de alguém interessado em roubar as jantes, mas que por qualquer motivo abortaram a tentativa a meio. As equipas que se dedicam a este tipo de operação fazem este "pré-desaperto" das rodas, de modo a que depois seja mais simples chegar com um macaco para elevar o carro e rapidamente removerem as rodas e fugirem com elas.

De resto, se o objectivo fosse tentar dar má fama à Tesla, estariam a fazer um péssimo trabalho ao remover todas as porcas, que imediatamente sinalizaria que tinha havido essa intenção. Felizmente, desta vez tudo acabou bem, sem acidentes e sem roubo das rodas... Mas estão a imaginar o que será ter que continuar a deixar o carro na rua à noite, sabendo que há alguém interessado em lhes deitar a mão?

topo

Tesla com autonomia para 660km em breve - diz Musk

16-06-2019 | 10:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Elon Musk disse que já não demorará muito para fazer chegar ao mercado Teslas com autonomia para 400 milhas, que no ciclo europeu representaria cerca de 660 km.

A preocupação com a autonomia continua a ser uma das "preocupações" com quem considera mudar para os automóveis eléctricos. Embora os Tesla sejam os modelos no mercado com maior autonomia (e eficiência), haverá sempre quem deseje maior liberdade para circular sem se preocupar com as paragens nos postos de carregamento Supercharger - e serão esses a apreciar uma melhoria na autonomia prometida para breve, que aumentará de 610 para 660 km a autonomia num Model S Long Range.



Actualmente, o Tesla com maior autonomia é o Model S Long Range, que nos EUA indica uma autonomia de 370 milhas (EPA). Será este o modelo que previsivelmente conseguirá chegar às 400 milhas graças à utilização de motores mais eficientes e baterias ligeiramente remodeladas e mais leves.

A conversão para a autonomia na Europa não é directa, uma vez que por cá se utiliza a estimativa de autonomia usando o ciclo WLTP - ligeiramente mais optimista que o EPA. A autonomia de 370 milhas (595 km) é por cá apresentada como sendo de 610 km; e fazendo essa mesma conversão, a melhoria para as 400 milhas (643 km) deverá situar-se perto dos 660 km.

A diferença não é muita (quem já tiver 610 km já estará suficientemente "confortável" para circular num automóvel eléctrico até para viagens longas, aproveitando as pausas de descanso recomendáveis para carregar o automóvel se for necessário) mas, nestas coisas da autonomia... mais é sempre melhor.

topo

Asus cede smartphones a developers

16-06-2019 | 09:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Embora podendo não ter a expressão de outros tempos, a comunidade de developers Android continua a ter um bastante proeminência entre um vasto segmento dos utilizadores, e há marcas que demonstram o seu respeito por isso, como está a ser o caso da Asus.

Os developers nem sempre são visto com bons olhos pelos fabricantes, mas há quem prefira vê-los como aliadas em vez de inimigos.

A Asus tem sido uma da marcas que tem dado aos utilizadores a possibilidade de se aventurarem neste mundo, disponibilizando um método para desbloqueio do bootloader. Embora esta política já venha de longe, a marca não tinha - até ao momento - apostado de forma clara o seu apoio aos mesmo, algo que passa a acontecer por intermédio de uma pareceria com o XDA.


Este portal do mundo mobile seleccionou um conjunto de developers de diferentes áreas, com o intuito de serem disponibilizadas novas funcionalidades para o ZenFone 6. Quem tiver este smartphone poderá experimentar uma nova ROM, como é o caso do LineageOS, OmniROM ou até mesmo uma imagem GSI com um Android sem modificações. Para este efeito, contarão também com uma recovery modificada (TWRP) e, se assim o desejarem, um novo kernel.

Nesta lista encontramos um nome particularmente de interesse, o Arnova8G2, responsável por desenvolver versões modificadas da app Google Camera para uma alargado leque de smartphones, e que certamente também passará a contar com o ZenFone 6 da Asus.

Não sendo uma informação que interesse aos utilizadores que nem querem ouvir falar de ROMs e bootloaders e unlocks, será por certo muito bem vindo junto de todos aqueles que queiram ter total controlo sobre o seu smartphone... e também aqueles que apreciarem as vantagens de usarem a app da câmara da Google face à app do fabricante (o modo night sight para as fotos nocturnas costuma ser particularmente interessante).

topo

WONDERBOOM 2 da Ultimate Ears prometem um som ainda mais potente

16-06-2019 | 08:30 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


As colunas portáteis são o complemento ideal para um smartphone, permitindo usufruir de uma experiência com maior potência e qualidade de som. As colunas WONDERBOOM 2 Ultimate Ears prometem isso mesmo, graças a um melhorado sistema de graves e um som ainda mais potente.



A Ultimate Ears está de volta para apresentar à nova geração as novas colunas portáteis à prova de água e com ligação BluetoothUltimate Ears WONDERBOOM 2. Estas novas colunas atingem mais 360º de som do que atingiam anteriormente e extra bass em qualquer sítio que vá. Apresentam uma nova forma de ampliar o som ao ar livre com o modo Outdoor Boost, possuem uma autonomia de bateria de 13 horas, avaliada com IP67 e ainda possuem o modo Double Up que consiste no emparelhamento com outra coluna. Esteticamente é um produto com uma imagem apelativa, composto por dois tons de tecido de malha. WONDERBOOM 2 está preparada para acompanhar as suas viagens diárias, idas à praia, tal como passeios de bicicleta com um som estrondoso, de forma a seguir cada passo das suas viagens.




“Os nossos clientes adoram as originais WONDERBOOM, pelo que lhes queremos proporcionar ainda mais do que eles gostavam com a nova coluna WONDERBOOM 2,” afirma Charlotte Johs, general manager da Ultimate Ears. “Nós temos levado a música ainda mais longe com as novas características de áudio que conjugam o envolvimento ao ar livre e a capacidade de experienciar um verdadeiro sistema de som quando se emparelham duas colunas WONDERBOOM 2. Agora, podemos levar música para todo a lado e desfrutar de um som ainda mais alto e nítido, mais precisamente, com 360º de som, em qualquer ocasião e durante todo o dia.”


O novo recurso da marca, o Outdoor Boost é especialmente ajustado para audição ao ar livre. Simplesmente pressione o botão localizado na parte inferior da sua coluna WONDERBOOM 2 para passar para o modo Outdoor Boost e experienciar um som mais alto e nítido com um equalizador (EQ) préajustado, incorporado no aparelho que complementa qualquer ambiente externo.


 Ao contrário do modelo anterior, a WONDERBOOM 2 vem equipada com ainda mais Bass, graças uma frequência de corte mais baixa, com mais 30% de bateria e uma nova avaliação de IP67, tornando a coluna à prova de água/poeiras e com capacidade para flutuar. Os botões de interface foram redesenhados e apresentam-se no topo da coluna, sendo muito fácil reproduzir a música, pôr em pausa e andar para a frente nas músicas. Pode ainda emparelhar duas colunas WONDERBOOM 2 utilizando o modo Double Up onde irá desfrutar de uma verdadeira ligação sem fios, proporcionando-lhe, assim, uma experiência com sistema de som stereo à direita e esquerda, ótimo para festas.

 

Cada coluna é composta por um elegante tecido de dois tons, inspirados nas roupas athleisure e nas cores coloridas desta estação. A WONDERBOOM 2 vai estar disponível em cinco cores diferentes: Deep Space Black (preto), Crushed Ice (cinzento), Radical Red (vermelho), Bermuda Blue (azul) e em Just Peach (corde-rosa).


Preço e disponibilidade

Pontos de venda em Portugal Worten e Fnac e PVP Recomendado 99,99€


topo

Excesso de plataformas de streaming promove a pirataria - revela estudo

15-06-2019 | 20:11 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Limitando-se a confirmar o óbvio, a proliferação de múltiplas plataformas de streaming com conteúdos exclusivos tem apenas servido para fomentar o regresso à pirataria.

Depois das plataformas de streaming terem ajudado a reduzir a pirataria, assistimos agora a efeito contrário devido ao aparecimento de um número cada vez maior de plataformas, onde cada uma luta por manter o controlo sobre conteúdos exclusivos como forma de se diferenciar das demais. O problema é que, se a maioria das pessoas até estará disposta a pagar por um serviço de streaming (ou até dois ou três), inevitavelmente se chega a um ponto em que se dirá "basta".

É precisamente essa a conclusão de um estudo sobre as plataformas de streaming e a pirataria. A grande maioria dos consumidores considera já estar a pagar demasiado pelos serviços de streaming, e mais de metade diz não estar disposto a pagar por qualquer outro serviço adicional. Talvez mais esclarecedor ainda, é que metade dos inquiridos disse estar bastante predisposto a usar plataformas não oficiais (leia-se: piratas) para conseguir o acesso aos conteúdos pretendidos.

Infelizmente, não me parece que a lógica ou bom-senso prevaleçam nestes sectores, para verem que mais teriam a ganhar em licenciar os seus conteúdos de forma a chegarem aos utilizadores através das plataformas de streaming que eles utilizam. Por isso, parece-me que teremos que suportar alguns anos de teimosia, até que o aumento dos níveis de pirataria e o abandono das plataformas de streaming os faça reconsiderarem a sua posição.

... De notar que, ao incentivar os consumidores a recorrerem a conteúdos piratas, poderemos assistir ao efeito: "se já estou a piratear estes conteúdos, porque motivo deverei continuar a pagar pelo serviço de streaming que ainda mantenho?" Isto e o geoblocking, serão os próximos grandes obstáculos a superar nos próximos anos.

topo

Google Play já está sugerir browsers alternativos para instalar no Android

15-06-2019 | 18:21 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Da próxima vez que abrirem a Play Store no vosso Android, não se admirem se virem surgir uma sugestão para instalarem browsers alternativos para além do Chrome.


Alguns dos nossos leitores já começaram a deparar-se com um ecrã de selecção de browsers ao visitarem a Play Store, com a indicação que que podem instalar browsers adicionais no seu smartphone ou tablet. Uma medida que visa apaziguar as autoridades e processos europeus que acusam a Google de impor os seus serviços e produtos no Android.

A lista apresenta browsers como o Chrome (obviamente), Microsoft Edge, Brave, Opera (com VPN gratuita), e o Firefox - ou então, podem sempre optar por clicar no generoso botão no fundo do ecrã, que dispensa tais sugestões.



Embora o Chrome seja o browser de primeira escolha no Android e muitos utilizadores nem sequer considerem experimentar alternativas, a verdade é que não fará mal nenhum darem uma hipótese a um browser alternativo de vez em quando, nem que seja para ficarem a par do que existe e saberem se realmente estão a ser assim tão bem servidos pelo Chrome. A inclusão de uma VPN gratuita no Opera é uma excelente mais valia, e tanto o Firefox como o Brave têm feito forte aposta na privacidade dos utilizadores (ao contrário do Chrome, que em Android continua sem sequer permitir utilizar um ad-blocker de forma fácil; e que no desktop também se prepara para dificultar o seu funcionamento).


Tenho-me dado bastante bem com o Brave no smartphone e o Firefox no desktop... mas o que importa, acima de tudo, é experimentarem um qualquer browser alternativo - e dando-lhe uma verdadeira oportunidade para mostrar o que vale, sem desistir ao fim de 5 minutos por "ser diferente" daquilo a que estão habituados!

topo

Asus celebra parceria com o XDA, cedendo smartphones a um leque seleccionado de developers

15-06-2019 | 17:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Os developers nem sempre são visto com bons olhos por pelos OEM, havendo por norma algum receio em abrir a porta a este restrito núcleo de utilizadores, que se dedicam a potenciar a utilização dos smartphones, dando acesso a novas funcionalidades.


A Asus tem sido uma da marcas que tem dado aos utilizadores a possibilidade de se aventurarem neste mundo, disponibilizando um método para desbloqueio do bootloader. Pese embora esta política já venha de longe, a marca não tinha até agora apostado de forma declarada no apoio aos developers, algo que passa a acontecer nesta altura, com a parceria estabelecida com o mítico XDA.


Este "portal" do mundo mobile, seleccionou um conjunto de developers de diferentes áreas, com o intuito de serem disponibilizadas novas funcionalidades para o ZenFone 6. Quem tenha este smartphone, poderá assim experimentar uma nova ROM, como é o caso do LineageOS, OmniROM ou até mesmo uma imagem GSI, com um Android sem modificações. Para este efeito, contarão também com uma recovery modificada (TWRP) e se assim desejarem, um novo Kernel.

Desta lista, faz ainda parte um nome importante, Arnova8G2, responsável por desenvolver versões modificadas da Google Camera, para uma alargado leque de smartphones, onde agora vamos encontrar o ZenFone 6 da Asus.

Não sendo esta uma informação que interesse ao utilizador comum, será por certo muito bem vinda junto daqueles que gostam de explorar ao máximo o seu smartphone. Com este leque de developers, fica desde já assegurado um suporte extra, para o mais recente topo de gama da Asus.

topo

Constrói um robot para resolver cubos de Rubik

15-06-2019 | 17:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Se já desesperaram a tentar resolver um cubo de Rubik, eis um projecto que vos poderá dar alguma paz de espírito: um robot que é capaz de resolver este puzzle tridimensional sem qualquer dificuldade.

O ARS - Arduino Rubik Solver é um sistema que recorre a um Arduino e vários motores para manipular um cubo de Rubik e o resolver da forma mais eficiente possível, ou seja num máximo de 20 movimentos.

A única parte que falta (e que está a ser desenvolvida) é a detecção automática das cores das peças do cubo, pelo que por enquanto é necessário introduzir essa informação manualmente no algoritmo de resolução do cubo. Uma futura versão melhorada poderá usar uma câmara, e fazer um "scan" prévio ao cubo, rodando-o várias vezes para "ver" todas as faces, e depois resolvê-lo de forma completamente automática.

Até lá, terão bastante com que se entreterem a nível de toda a montagem mecânica envolvida nesta máquina (com 6 motores passo a passo).

topo

Huawei reverte funcionalidade que mostrava publicidade no ecrã de bloqueio

15-06-2019 | 16:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


De forma totalmente inesperada, alguns utilizadores começaram a ser "brindados" com publicidade indesejada nos seus smartphones Huawei. No ecrã de bloqueio, passava a ser apresentada publicidade ao serviço de alojamento Booking, sem que os utilizadores tivessem sido consultados sobre esta alteração.


A publicidade nos equipamentos não é novidade. A Amazon é uma das empresas que aposta em equipamentos a preços mais baixos em troca de publicidade, com o utilizador a visualizar anúncios, se bem que de uma forma não intrusiva. Quando comprei o meu Kindle, considerei esta opção e só não avancei para aquisição, porque a Amazon não disponibilizava esta variante para Portugal.

#Huawei has turned the random landscape backgrounds on the lock screen into ads. Wtf fuck this pic.twitter.com/6dAUeu17Jf
— Alex (@ValexWhoa) June 13, 2019



Esta situação com que agora alguns utilizadores se depararam nos seus smartphones Huawei, é bem diferente, pois a apresentação de publicidade não fazia parte das condições contratuais aquando da aquisição do equipamento. Por esta razão, não tardaram a chover críticas pela Internet, facto que terá contribuído para que a Huawei rapidamente tenha invertido esta infeliz alteração.

As imagens que estavam a ser apresentadas pela aplicação responsável pela gestão do ecrã de bloqueio, já foram eliminadas do sistema, havendo apenas que as apagar localmente, caso tenham sido um dos contemplados com esta desagradável surpresa.

Numa altura em que anda parece correr bem à marca chinesa, dar tiros destes nos pés, em nada contribuiu para fortalecer a confiança dos utilizadores. Espera-se naturalmente que este tenha sido um caso isolado, tendo a Huawei que tomar medidas para que situações como esta não voltem a ocorrer.

topo

Kickstarter pede aos criadores que deixem de usar "World's Best"

15-06-2019 | 15:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Os projectos de crowdfunding podem depender da boa vontade e confiança dos apoiantes, mas não parece faltar ausência de modéstia entre os criadores de projectos - ao ponto do Kickstarter recomendar que não utilizem o exagerado "world's best" no título dos projectos.

O "World's Best" ("O melhor do mundo") tem-se tornado numa praga recorrente nos projectos de crowdfunding, fazendo de sites como o Kickstarter uma autêntica amálgama dos "melhores produtos do mundo" - parecendo incrível como é que o resto do mundo conseguirá viver com produtos que não sejam tão bons! (modo sarcasmo off)

Nas novas recomendações, o Kickstarter recomenda que os criadores deixem de usar superlativos exagerados como: o melhor do mundo, mais rápido do mundo, mais fino do mundo, mais leve do mundo, mais resistente do mundo, etc.


Aliás, deu-se ao trabalho de criar um filtro que, durante a introdução do nome do projecto, relembra aos criadores que deverão abster-se de usar tais exageros.

Por agora, isto está a ser feito unicamente como recomendação, e nada impede que o criador continue a dar o nome que bem entender, por muito exagerado que seja. Mas, se não houver mudanças nos próximos tempos, é de imaginar que o Kickstarter comece a transformar a sua legítima recomendação numa imposição.

topo

App Read my World da MS "lê" o mundo através da câmara do smartphone

15-06-2019 | 13:31 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A necessidade de comunicar tem importância crítica, especialmente quando não dominamos a língua local, e foi para isso que a MS criou a app Read my World, capaz de identificar imagens e mostrar o seu nome - ou vice-versa.

A app Read my World, por agora disponível apenas para Android, permite que o utilizador capte uma fotografia e imediatamente tenha acesso ao nome das coisas que lá estiverem. Curiosamente, também funciona em sentido inverso, podendo apontar-se a câmara para um texto, para que se possam ver imagens correspondentes aos produtos referidos.


É uma forma extremamente prática e simples de descobrir uma nova língua sem nos obrigar a recorrer aos "dotes poliglotas" inerentes aos portugueses, que tentam sempre desenrascar com uma mistura de gestos, palavras de quaisquer outras línguas que conheçam, e uma grande dose de boa vontade.

A app conta apenas com um vocabulário de 1500 palavras, mas os especialistas relembram que a maioria das pessoas tem dificuldade em reter muitas mais palavras de uma nova língua durante os primeiros anos de aprendizagem. Por isso, a app foca-se nas palavras mais frequentes e populares, e que serão de maior utilidade nestas situações. Por agora, está disponível para aprendizagem de inglês, com suporte para francês e mandarim.

topo

Google adia encerramento do Works with Nest

15-06-2019 | 12:11 | A Minha Alegre Casinha | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A Google ouviu as críticas feitas ao encerramento do Works with NEST, que deixaria todos os clientes "desligados" no final de Agosto, e diz que afinal irá manter o serviço (em modo limitado) até que funcionalidades idênticas sejam implementadas no Works with Google Assistant.

O anúncio do fim do Works with Nest foi um verdadeiro "balde de água fria" para todos os utilizadores que tivessem os seus produtos interligados com outros através de serviços como o IFTTT. A partir de Agosto tudo deixaria de funcionar, com a Google a dizer apenas que agora se iria centrar no Works with Google Assistant. Obviamente, foi uma notícia que caiu muito mal; mas felizmente, ao contrário do que faz na maior parte das vezes (ignorar os apelos dos utilizadores - lembram-se do Google Reader?) desta vez a Google mostrou alguma sensibilidade.

A Google veio dizer que reconsiderou a situação e que vai manter o Works with Nest em funcionamento até que estejam disponíveis as principais funcionalidades no Works with Google Assistant. Por exemplo, uma das funcionalidades mais utilizadas é a capacidade de fazer disparar acções quando se activa o modo "away" quando se sai de casa - por exemplo, apagar as luzes - e que de momento não seria possível replicar.

É uma excelente notícia que permite aos utilizadores respirar de alívio, embora a partir de 31 de Agosto deixe de ser possível criar novas interligações no Works with Nest, apenas serão mantidas aquelas que existirem. De qualquer forma, o alerta está dado, e será aconselhável que de agora em diante todos estes utilizadores pensem muito bem se querem continuar a depositar a confiança em serviços que podem encerrar ou ser alterados daqui por mais dois ou três anos... e que da próxima vez poderão não contar com esta "boa vontade" da Google.

topo

App id.gov.pt dá acesso aos documentos digitais - mas não os dispensa

15-06-2019 | 11:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


E se em vez de andar com o cartão de cidadão ou carta de condução, os tivessem sempre à mão - de forma oficial - numa app? É precisamente isso que faz a app id.gov.pt, mas infelizmente não dispensará a necessidade de manter os documentos físicos na carteira.

A confusão gerou-se quando uma reportagem da SIC indicou que esta app permitiria substituir os cartões físicos e que todos os locais e serviços seriam legalmente obrigados a reconhecer esta versão digital dos cartões através da app id.gov.pt. Infelizmente, não demorou para que a PSP viesse dizer o contrário, referindo que o uso desta app não substituiria a necessidade de - por exemplo - ter a carta de condução física no caso de se ser parado numa operação STOP.


Esta incongruência entre a PSP e a AMA (Agência para a Modernização Administrativa) residirá no facto de que, embora a app permita a consulta dos respectivos documentos certificados, não se sobrepõe ao dever de posse do documento físico, quando exigido - algo que poderá acontecer em situações como operações STOP, vigilância em eventos públicos, operações de prevenção criminal, etc. Situações em que não ter os documentos físicos poderá resultar em multas de 60 a 300 euros, com direito a desconto para metade no caso de apresentar os documentos na esquadra no prazo de 8 dias.


... Ainda não é desta que podemos dizer aos documentos físicos e trocá-los por uma versão digital nos nossos smartphones.

topo

Borlas para o fim de semana: jogos, apps e ícones grátis!

15-06-2019 | 10:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Fim de semana, altura para descansar e recarregar as baterias (para quem pode). Aproveitem para dar uma olhadela nesta lista de promoções, onde vão encontrar jogos, apps, ícones grátis.

Aplicações


Healthy Dining $1.99
80s Music Radio Pro $1.99
Age Calculator Pro $0.99
Bluetooth Simultaneous Translator Voice Gringo Chat $2.49
Subnet Calculator $1.49
VLSM Calculator $1.99
Calmly Writing Notepad Pro $1.49
Mydolist: Daily Checklist Pro $1.49
Subtraction Math Trainer $2.49

Jogos


Wonder Knights VIP : Retro Shooter RPG $3.99
My Little Star VIP : Idol Maker $0.99
Merge Mon VIP - Idle Puzzle RPG $0.99
Super Dangerous Trap $0.99
Game Studio Tycoon 3 $3.99
Five Words $0.99
LASERBREAK 2 Pro $2.49
Hoopa City $2.99
LASERBREAK Escape $0.99
Jurassic Mouse Company $0.99
Defender Heroes: Castle Defense - Epic TD Game $0.99
Sky Dancer Premium $0.99
Dead Bunker 2 HD $0.99
Dead Bunker 2 $0.99
Zombie Defence Premium : Tap Game $0.99
A Dark Dragon VIP $1.49
Warriors' Market Mayhem VIP $0.99
Dead Rain : New zombie virus $0.99
Gold Miner Vegas: Nostalgic Arcade Game $1.99
Cat town (Tap RPG) $2.49

Ícones e wallpapers


AMOLED 4K Black Wallpapers , Dark Backgrounds $0.99
Amsterdam Wallpapers PRO 4K Netherlands Background $0.99
Happy Wallpapers 4K PRO Happy Background $0.99
Oriental Garden 3D Pro $0.99
Xperia Theme - Fujiyama Night $0.99
Red Wallpapers 4K Red Backgrounds $0.99
Smoon UI - Rounded Icon Pack $1.49
Milkyway Wallpapers 4K PRO Milkyway Backgrounds $0.99
London Wallpapers PRO 4K England Background $0.99
Puppy Wallpapers 4K PRO Puppy Backgrounds $0.99
San Francisco Wallpapers 4K PRO USA Backgrounds $0.99
Switzerland Wallpapers PRO 4K Background $0.99
Technology Wallpapers 4K Technology Backgrounds $0.99
Volcano Wallpapers 4K PRO Lava Backgrounds $0.99

topo

Uber Eats vai entregar comida via drone este Verão

15-06-2019 | 10:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


As aspirações da Uber se elevar no ar são conhecidas há muito tempo, mas agora vai finalmente começar a fazê-lo também para a comida, com um programa de entregas da Uber Eats usando drones em San Diego já este Verão.

Os clientes Uber Eats que desesperarem pelo tempo que demora a entrega, acompanhando penosamente o percurso do estafeta no mapa, vão gostar de saber que será uma questão de tempo até que essa entrega possa ser potencialmente muito mais rápida. A ideia é utilizar drones para transportar a comida a alta velocidade e sem constrangimentos com potenciais congestionamentos no solo.


A Uber diz que o recurso aos drones permitirá reduzir o tempo médio de entrega de 21 minutos para apenas 7 minutos num percurso de 2.5 km.

Para evitar "problemas", a entrega não será feita directamente em casa dos clientes mas em locais "seguros", onde a comida será transferida para um estafeta para fazer o percurso final, previsivelmente já bastante mais perto do seu destino. A Uber antecipa até que estes pontos de aterragem possam não ser fixos, e utilizar o tejadilho de automóveis Uber como plataforma para esse fim - e assim podendo tirar partido de uma maior dispersão geográfica, e dinâmica (podendo direccionar veículos para as áreas mais necessárias).

Veremos que tal a experiência corre... e se será expandida a mais países nos próximos anos.

topo

NASA vai testar combustível espacial mais seguro e eficiente

15-06-2019 | 09:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A NASA vai testar um combustível para naves e satélites que não só será mais seguro para os humanos, como permitirá aumentar a eficiência das missões espaciais.

O actual combustível de eleição para satélites e naves espaciais é a hidrazina, que é extremamente tóxica para os humanos e obriga a processos de abastecimento bastante complexos e morosos, sem pessoas por perto que não estejam devidamente apetrechadas com fatos protectores (incluindo suprimento de oxigénio para poderem respirar). Mas esses dias podem estar perto do fim.

A NASA vai testar a utilização de um novo combustível na missão GPIM (Green Propellant Infusion Mission), que pode ser manuseado por humanos sem necessidades especiais de segurança. Isto permitirá que o processo de abastecer a nave possa ser feito enquanto há técnicos por perto a trabalhar noutras coisas, e tem ainda uma vantagem adicional: é um combustível mais eficiente. A NASA diz que este combustível é 50% melhor que a hidrazina, o que permite prolongar a vida útil destas missões no espaço - ou poupar consideravelmente em peso e volume para se manter um desempenho idêntico.

A missão GPIM irá ser lançada por um Falcon Heavy ainda este mês, num lançamento que também irá levar para o espaço a nave LightSail 2 que irá tentar usar a luz do Sol para elevar a sua órbita.

topo

YouTube Premium já permite trocar uma música por vídeoclip sem paragens

15-06-2019 | 08:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Os assinantes do YouTube Premium e do YouTube Music Premium, já podem fazer uma transição sem paragens entre uma música e o seu videoclip, conseguindo assim usufruir de uma experiência sem quaisquer interrupções.

Post de, Brandon Bilinski Product Manager YouTube Music. Recentemente ouviu  Happier by Marshmelo & Bastille  

YouTube Music permite agora trocar áudio por videoclips de música sem qualquer falha

Imagine que está a ouvir uma nova faixa do seu artista favorito na app do YouTube Music e que tem a capacidade de alternar facilmente e passar a ver o vídeo da música - sem pausas, sem interrupções, apenas uma transição simples que mantém a fluidez natural da música. É exatamente o que estamos a apresentar! A partir de hoje, os assinantes do YouTube Premium e do YouTube Music Premium podem fazer uma transição perfeita entre uma música e o seu videoclipe para ouvir e assistir sem quaisquer interrupções.

Alternar entre músicas e videoclipes é tão simples quanto o toque de um botão. Os utilizadores vão reparar num botão de vídeo na parte superior do ecrã assim que começam a ouvir uma determinada música e, com um simples toque, podem começar a assistir instantaneamente ao videoclipe ou voltar ao áudio no mesmo ponto da música.
 


Esta nova funcionalidade simplifica o ato de ouvir e ver as músicas favoritas e muito mais!!  
  • De mega-hits recentes aos êxitos mais antigos, se uma música tiver um vídeo, o YouTube Music vai exibir um botão de vídeo para alternar entre o áudio e o vídeoclip a apenas um clique de distância.
  • O YouTube Music sincronizou perfeitamente mais de 5 milhões de vídeos de música oficiais com as suas respectivas faixas de áudio, portanto, não importa quando ou com que frequência o utilizador alterna entre os dois, pois nunca irá perder um milésimo de segundo da música em questão. 
  • Quando o utilizador troca entre um vídeo musical e uma música, diga adeus aos outros sons que acompanham o vídeo (tais como as longas introduções) e aprecie a música tal como é suposto.
  • Não pretende vídeos musicais? Não tem problema! Para manter apenas o audio das musicas, configure as definições ao seleccionar a opção " Não reproduzir vídeos de música". 
Quer esteja a ouvir as suas músicas favoritas ou a pesquisar por novos sons, a sua experiência musical será bastante mais interactiva. Para saber mais acerca desta nova funcionalidade, descarregue a aplicação YouTube Music ( Android ou iOS) e experimente o YouTube Music Premium.

topo

Streaming de jogos vai por limites de dados à prova

14-06-2019 | 20:05 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Os "limites secretos" de dados nos tarifários da internet vão ser postos à prova com a chegada dos variados serviços de streaming de jogos como o Stadia da Google.

Depois da proliferação dos serviços de streaming de vídeo, preparamos-nos para entrar numa era que o teremos o mesmo aplicado aos jogos. O Stadia da Google vai arrancar em Novembro, e se por agora se pode assumir que terá um volume reduzido de utilizadores (na vertente paga), o mesmo mudará no próximo ano quando for disponibilizada a modalidade gratuita. Mas para o efeito, o que interessa mesmo é o consumo de dados que este serviço - e outros idênticos - representa.


Para o Stadia a Google indica um valor de 35Mbps para jogos com a qualidade máxima (4K, HDR, 60fps, com som 5.1) o que se traduz num gasto potencial de quase 16GB por hora. Assumindo uma média de 10 horas de jogo por semana, estamos a falar de algo como 630GB de dados por mês - que facilmente podem duplicar para mais de 1.2TB/mês, se assumirmos duas pessoas a jogarem em multi-player - e isto sem contar com as centenas de gigabytes que poderão acumular com filmes e séries do Netflix e outros serviços de streaming.

O problema para os operadores é que, ao contrário dos filmes em streaming, que são estáticos e que podem ser alojados nas suas instalações para poupar os acessos para fora, os jogos em streaming são conteúdos dinâmicos gerados em tempo real, e que não haverá hipótese de alojarem nos seus próprios servidores.

Vai ser uma mudança significativa face ao panorama actual, em que um jogador pode descarregar um jogo de 50GB ou 60GB, mas depois não terá um consumo de dados significativo enquanto joga. Vamos lá ver se estarão preparados para isso ou se apenas assistiremos a um aumento do número de desculpas sem nexo quando os clientes baterem nos limites e ficarem com o acesso à internet reduzido a velocidades dos modems de há 40 anos atrás. (De qualquer forma, preparem-se para a eventualidade de alguns operadores se aventurarem na criação de uma taxa extra para o streaming!)

topo

Quando o "ritmo de la noche" é latino e electrónico

14-06-2019 | 18:31 | Gonçalo Sá | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Numa altura em que a pop latina dá cartas a nível mundial, JAVIERA MENA está entre os nomes que mais merecem atenção. Sobretudo num palco, como a chilena comprovou em Madrid ao apresentar "Espejo", o seu último álbum.

 

Javiera Mena @Mon Madrid.jpg

 

"Esquemas Juveniles" (2006) começou a projectar a sua voz fora de portas, tornando-a uma das revelações chilenas de inícios do milénio (o lado dos Dënver ou de Gepe) depois de ter feito parte da dupla Prissa. E esse disco de estreia teve entre os fãs os Kings of Convenience, que se entusiasmaram por canções então tendencialmente acústicas e convidaram JAVIERA MENA para assegurar as primeiras partes de alguns concertos. Portugal chegou a ser um dos destinos da digressão, em 2009, com actuações em Lisboa e Braga. Mas não seria má ideia voltar a ouvi-la por cá dez anos e três álbuns depois, quando a cantautora já é uma das maiores certezas da pop latino-americana.

 

Esse estatuto ficou devidamente comprovado no concerto em Madrid, na Sala Mon Live, a 17 de Maio. Acolhida num espaço bem composto e com um público pronto a celebrar, a chilena apresentou "Espejo" (2018) e revisitou discos anteriores sempre com um grande sentido de espectáculo, numa conjugação fulgurante de música e imagem, com a sua presença e entrega no centro.

 

Javiera Mena @Mon Madrid 2.jpg

 

Não por acaso, o álbum de estreia foi o único sem direito a revisitações. E embora temas iniciais como "Quando hablamos" ou "Perlas" nao mereçam ficar esquecidos, JAVIERA MENA está hoje bem distante dos ambientes contidos e sussurrantes desses tempos, com a pop outonal de câmara a dar lugar a electropop garrida e tendencialmente agitada. O alinhamento foi mesmo uma carta de amor à música de dança, integrada sem preconceitos no formato canção: num desfile luminoso houve ecos synth-pop, ambientes baleáricos, disco (do space ao italo), Hi-NRG, house ou eurodance. E sem que o resultado se assemelhasse a uma manta de retalhos, mantendo uma fluidez contagiante.

 

O único desvio ao formato dançável deu-se quando a chilena de 35 anos de sentou ao piano para a balada "Quédate un ratito más" e "Mujer contra mujer", esta última uma versão do tema dos espanhóis Mecano. Entoada por toda a sala, a releitura do single da banda espanhola, de finais da década de 80, ficou como sinal mais evidente do activismo LGBT+ expresso há anos pela cantautora ("Nada tienen de especial/ Dos mujeres que se dan la mano/ El matiz viene después /Cuando lo hacen por debajo del mantel", cantou, acompanhada efusivamente por grande parte do público).

 

Javiera Mena @Mon Madrid 3.jpg

 

Esse episódio vincou um dos momentos de maior comunhão de uma noite que arrancou logo em alta com "Hasta la Verdad", um dos singles de "Mena" (2010), o segundo álbum da sul-americana e também o mais coeso. Dele ouviu-se ainda a estupenda "Luz de Piedra de Luna", canção-chave na simbiose entre marcas latinas (na letra e voz) e ritmos sintetizados, claramente um dos momentos de passagem obrigatória desta discografia. Servida num encore que deixou o melhor para o fim, foi seguida da outra versão da noite: a de "Ritmo de la Noche", clássico das noites dançantes da alvorada dos 90s que fez todo o sentido numa noite de delírio colectivo.

 

"Intuición", um dos singles do último disco, mostrou que JAVIERA MENA não é indiferente à expansão do reggaeton, numa viragem estilística que ainda assim não destoou. E esta versatilidade musical foi acompanhada por um apuro visual assinalável, do imaginário cósmico que dominou o ecrã ao fundo do palco nos temas iniciais a cenários intimistas ou futuristas. Mas o maior aparato foi mesmo criado pela cantautora e pelos dois músicos que levou a palco, na bateria e programações, além do piano, sintetizador e guitarra que ficaram a cargo da própria.

 

Na recta final, a chilena trocaria os instrumentos por um sabre de luz com o qual correu até ao público das primeiras filas, em "Espada", um dos momentos mais calorosos de uma noite que nunca arrefeceu durante quase duas horas. Só é pena que um furacão pop destes não prometa passar por salas portuguesas tão cedo...

 

4/5

 

 

topo

Modo noite chega ao Galaxy S9 da Samsung

14-06-2019 | 17:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Depois de ter sido criticada durante os últimos anos, a Samsung acedeu finalmente a implementar um "modo noite" para as fotografias nos seus smartphones, e que agora chega também ao Galaxy S9.

Tendo em conta a evolução apresentada pela Google e Huawei, esperava-se que o Galaxy S10 fosse apresentado com um modo noite para fotografias em zonas com pouca luz, mas a Samsung acabou por não apostar nesta funcionalidade, algo que deixou os seus fãs bastante desapontados.

Foi preciso esperar algumas semanas, para que esta situação fosse invertida. Ao disponibilizar uma actualização de rotina, a Samsung fez chegar o modo noite ao Galaxy S10. E embora os resultados continuem um pouco abaixo do que é conseguido pelos seus concorrentes, são bem melhores que os disponibilizados anteriormente. Resolvida a questão para a série Galaxy S10, havia naturalmente a expectativa que esta funcionalidade pudesse chegar ao outros smartphones da marca Sul-Coreana, algo que já está a acontecer em alguns mercados, com a chegada do modo noite ao Galaxy S9.

Não há ainda informações sobre a disponibilização deste modo de fotografia para outros smartphones da Samsung mas, tendo em conta que o Galaxy S9 foi alvo de actualização, é de esperar que também o Galaxy Note 9 venha a receber a mesma funcionalidade em breve.

topo

Pen USB de 128GB a €10

14-06-2019 | 16:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Se estão a precisar de complementar a colecção de pens USB, podem estar interessados em apanhar uma destas pens USB Gocomma de 128GB por apenas 10.80 euros.

Mesmo num mundo dominado pela cloud continua a ser indispensável recorrer às tradicionais pens USB (nem que seja como forma de transferir dados na eventualidade de não se ter acesso à internet) e nesse caso, nada como optar por umas que não se arrisquem a ficar completamente ocupadas assim que para lá copiamos algumas fotos e filmes das férias para partilhar com os amigos ou familiares.


Esta pen USB 3.0 Gocomma de 128GB está neste momento disponível por apenas 10.80 euros - um preço extremamente reduzido para pens desta capacidade. E quem não precisar de tanto, poderá optar pelas outras versões, a preço ainda mais reduzido:

  • 128GB: €10.80 (preço por GB: €0.084)
  • 64GB: €6.30 (preço por GB: €0.098)
  • 32GB: €4.50 (preço por GB: €0.140)
  • 16GB: €3.60 (preço por GB: €0.225)
  • 8GB: €3.42 (preço por GB: €0.427)
  • 4GB: €2.88 (preço por GB: €0.720)

De notar que, embora o preço seja mais reduzido, o custo por gigabyte é superior, pelo que ficarão melhor servidos pelas pens de maior capacidade.

Embora seja anunciada como sendo uma pen USB 3.0, não se deverá esperar um desempenho particularmente exemplar. As velocidades referidas são as mesmas que encontramos nas pens USB de baixo custo (leituras a mais de 14MB/s, escritas a mais de 5MB/s). Mas, considerando o seu preço, é o tipo de coisa que se terá que aceitar - e que se torna irrelevante para a sua utilização para guardar e transferir ficheiros de pequena dimensão.

topo

Notícias do dia

14-06-2019 | 15:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Huawei adia Mate X dobrável para Setembro; Chrome 76 impede sites de detectarem modo incógnito; app WearOS ganha gestão de "tiles" do smartwatch; Helium quer libertar IoT das mensalidades 4G e 5G; sincronização entre Google Drive e Google Photos termina em Julho; Facebook volta a pagar para espiar utilizadores.

Antes de passarmos às notícias do dia, certifica-te que participas no passatempo gadget da semana que desta vez tem para oferecer uns powercube multiplicadores de tomadas.

Huawei começa a mostrar publicidade no lock screen dos smartphones



A Huawei parece querer perder a solidariedade dos seus clientes, tendo optado por começar a mostrar publicidade no ecrã dos seus smartphones sem ter dado qualquer pré-aviso ou explicação. Alguns utilizadores estão a deparar-se com publicidade à Booking nos seus smartphones (séries P30, P20, Honor 10, etc.) Por agora a única forma que há para escapar a isto será deixar de utilizar as imagens de fundo aleatórias que vêm pré-configuradas de origem, e escolher uma imagem fixa do próprio utilizador.

É uma decisão bastante infeliz, já que não me parece nada adequado fazer isto sem qualquer consentimento para clientes que pagaram muitas centenas de euros pelo seu smartphone. Já não chega toda a incerteza referente à perda do acesso ao Android e que coloca em risco as actualizações futuras?

Actualização: a Huawei diz que a situação aconteceu por erro.


App do Gmail chega às 5 mil milhões de instalações



A app do Gmail passa a fazer parte do reduzido grupo de apps com mais de 5 mil milhões de instalações na Play Store da Google, juntando-se a outras como o YouTube, Google Maps, e Google Search. O facto de ser uma app que vem pré-instalada na maioria dos smartphones Android também terá ajudado bastante - mas até ao momento, apenas apps da Google atingiram este patamar.

Talvez mais interessante, será ver qual será a primeira app que não seja da Google a chegar a este valor. Muito provavelmente, algo como o Facebook ou WhatsApp.


Google actualiza secções dos resultados com icons



Quem achar que há algo diferente nos resultados do Google mas sem saber bem o quê, tem razão. A Google remodelou a barra de resultados nas pesquisas, que agora passa a incluir icons a par dos textos das diferentes secções (All, News, Videos, Images, Maps, More).

Curiosamente, a Google já utilizou icons nestas secções no passado (em 2010), mas optou por os remover em 2011. Agora, regressam novamente ao activo - veremos se desta vez será para durar, ou se voltarão a desaparecer daqui por uns meses.


Emails dinâmicos chegam ao Gmail a 2 de Julho



A Google quer reformular a natureza dos emails e vai começar a activar os emails dinâmicos no Gmail para todos os utilizadores já a partir de 2 de Julho. Com esta funcionalidade, os emails deixam de conter apenas informação estática, podendo apresentar informação que permanece sempre actualizada (preços de uma promoção, por exemplo), ou que permitem fazer comentários num documento partilhado directamente a partir do Gmail, ou desencadear acções.

Administradores de domínios G Suite poderão desactivar estes emails dinâmicos para os seus sites, se assim o desejarem.


MSI e BlueStacks aceleram jogos Android para os 240fps



Depois de terem ajudado a trazer os jogos Android para os desktops através do BlueStacks, temos agora a possibilidade de jogar jogos Android com maior fluidez que nunca, com o novo suporte para 240fps. Quem estiver a utilizar um portátil gaming da MSI com ecrã de 240Hz poderá recorrer à app MSI App Player para jogar jogos Android à máxima velocidade.

Será seguramente uma forma dos jogadores "profissionais" obterem vantagem face a quem se limitar a jogar jogos Android num smartphone ou tablet. Talvez daqui por mais um par de anos se comecem a ver smartphones e tablets de gaming que também apostem em ecrãs de 240Hz (já temos visto alguns a apostarem nos 90Hz e 120Hz).


Curtas do dia


Resumo da madrugada

topo

Xiaomi Mi Band 4 - a evolução natural da pulseira inteligente que toda a gente pode ter

14-06-2019 | 15:21 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A Xiaomi já revelou a mais recente geração das suas braceletes Mi Band, sendo que nesta Mi Band 4 se ganha um ecrã AMOLED a cores e um acelerómetro de maior precisão que até pode reconhecer estilos de natação.


A Mi Band tem sido uma das braceletes mais populares desde a sua primeira geração, com a actual Mi Band 3 a ser uma das opções óbvias para quem procura uma bracelete para tracking de actividade a preço imbatível (podemos encontrá-la a €21). Mas, quem preferir ter as últimas novidades já pode saber com o que conta.


A Mi Band 4 mantém o mesmo estilo, mas vem equipada com um ecrã AMOLED de 0.95" (120x240) com vidro 2.5D, resistência à água até 50 metros de profundidade, novo acelerómetro de 6 eixos com capacidade de reconhecer mais actividades (incluindo estilos de natação), sensor de frequência cardíaca, NFC (nas versões mais caras), Bluetooth 5.0, e também um microfone que pode ser utilizado com o assistente digital Xiao AI para dar comandos - permitindo controlar dispositivos inteligentes, por exemplo, acender e apagar as luzes, etc. A autonomia anunciada é de 15 dias para as versões com NFC e 20 dias para as demais.

Os preços da versão base na China são de 21 euros, com a versão com NFC a custar 29 euros. Existe ainda uma versão limitada "Avengers" com três braceletes exclusivas, por 44 euros. Resta agora esperar para ver a que preço surgem nas lojas online, e a que preço é que a Xiaomi a fará chegar a Portugal às suas lojas oficiais.

topo

App WearOS ganha gestão de "tiles" do smartwatch

14-06-2019 | 14:31 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A última actualização do WearOS alterou o funcionamento dos ecrãs nos smartwatches, com diferentes ecrãs / painéis de deslizamento lateral, e agora passa a ser possível fazer a gestão dos mesmos a partir da app WearOS no smartphone.

A Google alterou o funcionamento dos ecrãs no WearOS. Originalmente, o gesto de deslizar lateral permitia alternar entre diferentes watch faces (não é algo que se faça tão frequentemente que justifique estar acessível de forma tão directa) e posteriormente dando acesso ao Google Assistant e indicador de actividade do Google Fit. Mais recentemente, a Google voltou a remodelar o sistema, trocando esses ecrãs fixos por ecrãs configuráveis, que nos permitem apresentar a informação que acharmos relevante - e que agora passam a poder ser configurados também a partir da app Wear OS no smartphone.


Temos à disposição ecrãs com coisas como: últimas notícias, previsão do estado do tempo, temporizadores, próximo evento no calendário, medição da frequência cardíaca, etc. Que podemos adicionar, remover, ou reposicionar conforme desejarmos.

De notar que esta mesma gestão também pode ser feita directamente no smartwatch, mediante um long press nos respectivos ecrãs. Agora só falta permitir que outras apps possam disponibilizar novos ecrãs informativos para não se ficar limitado aos que a Google disponibiliza.

topo

Huawei adia Mate X dobrável para Setembro

14-06-2019 | 13:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Depois do cancelamento do lançamento do Galaxy Fold da Samsung, é agora vez da Huawei fazer o mesmo com o seu Mate X com ecrã dobrável, anunciando o adiamento do lançamento para Setembro.

A suposta chegada da era dos smartphones com ecrã dobrável está a revelar-se uma grande "barracada". O Galaxy Fold teve o seu lançamento cancelado à última hora e embora a Samsung prometesse informações para breve, a verdade é que as semanas vão passando e a única informação que nos vai chegando é a das lojas a cancelarem as encomendas já feitas. Agora, parece que teremos algo idêntico em relação ao Mate X da Huawei.

A Huawei disse que optou por adiar o lançamento de Junho para Setembro para "realizar testes adicionais", pois não quer lançar um produto que "estrague a sua reputação" (referindo-se a potenciais problemas que possam ser encontrados ao utilizar o Mate X no mundo real, tal como aconteceu com o Galaxy Fold - que permitia a entrada de detritos e lixo na secção da dobradiça, ficando presos atrás do ecrã flexível e danificando-o).

Mais uma vez, é surpreendente que tanto a Huawei como a Samsung não se tenham lembrado de fazer esses testes durante o desenvolvimento dos respectivos smartphones, e tenham sido surpreendidas por isso apenas quando os iriam lançar. Este adiamento levanta também questões quanto ao Mate X vir equipado ainda com Android ou se já virá com o seu novo sistema alternativo devido ao bloqueio dos EUA. Se for esse o caso, é de imaginar que as vendas deste smartphone de 2300 euros sejam ainda mais penalizadas (mesmo que ainda venha com Android - a incerteza relativamente ao acesso de actualizações futuras também será algo que não se poderá ignorar).

topo

Chrome 76 impede sites de detectarem modo incógnito

14-06-2019 | 11:01 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A chegada do Chrome 76 vai angustiar sites de notícias - e outros - que usem scripts de detecção de modo incógnito para impedirem os utilizadores de ver conteúdos. A partir desta versão o Chrome não permitirá detectar se está com o modo incógnito activo ou não.

Por agora disponível em versão beta, o Chrome 76 resolve finalmente a situação de permitir que os sites detectassem se estava a ser utilizado em modo normal, e portanto com acesso a cookies, ou em modo incógnito, permitindo apenas cookies temporários. O modo incógnito é muitas vezes utilizado para ultrapassar as paywalls dos sites noticiosos, que assim deixam de saber se um visitante já os visitou uma vez ou uma dúzia de vezes - para os que permitem um número limitado de notícias por mês. Isso fez com que muitos sites de notícias simplesmente bloqueassem o acesso a browsers em modo incógnito... algo que deixará de ser possível.

Chrome Incognito mode has been detectable for years, due to the FileSystem API implementation. As of Chrome 76, this is fixed.
Apologies to the "detect private mode" scripts out there. 💐 pic.twitter.com/3LWFXQyy7w
— Paul Irish (@paul_irish) June 11, 2019


Pessoalmente, acho que o mais eficaz é nem sequer visitar sites que preferem bloquear os seus conteúdos, nem mesmo quando ultrapassar a sua "barreira" se revela tão simples quanto activar coisas como o "modo de leitura", ou adicionar um "/amp" no final do URL. Se é certo que os sites estão no direito de recorrerem a todas as tácticas para incentivarem os visitantes a pagar, também os visitantes estão no seu direito de optar por sites que não implementem tais entraves.

O Chrome 76 final deverá chegar a todos os utilizadores no final do próximo mês (incluindo outras melhorias, como dark mode detectável pelos sites, sistema de pagamentos, instalação facilitada de PWAs, etc.) - e até lá veremos que novas tácticas estes sites irão encontrar para tentar contornar o fim da detecção do modo anónimo.

topo

Sincronização entre Google Drive e Google Photos termina em Julho

14-06-2019 | 10:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A Google vai acabar com a sincronização de fotos entre o Google Drive e Google Photo, dizendo que o sistema é demasiado confuso e que está a baralhar alguns utilizadores.

A maioria das pessoas consegue perceber bem o conceito de armazenamento local e armazenamento na cloud. No entanto, quando se começam a misturar "clouds", as coisas começam a ser mais complicadas: ao apagarmos uma foto de um lado, estaremos apenas a apagá-la nessa cloud, ou também nas restantes e no armazenamento local sincronizado? E neste caso, temos ainda a confusão adicional de fotos em qualidade original contarem para o espaço ocupado, enquanto as outras não. A Google decidiu cortar com o problema pela raiz, acabando com a sincronização de fotos entre o Google Drive e o Google Photos, com efeito a partir de Julho.


Para facilitar o processo de transição a Google irá adicionar ao Google Photos uma opção que permite carregar fotos do Google Drive, mas que serão tratadas de forma independente; se apagarem a versão no Drive não afectará a foto no Google Photos, e vice-versa. Também continuará a ser possível utilizar o Backup and Sync para enviar fotos para o Google Photos.

Por último a Google assegura que nenhuma foto irá ser eliminada automaticamente por esta alteração, e que os utilizadores poderão continuar a encontrá-las nos locais onde estão. A diferença é que de agora em diante deixarão de ter a sincronização automática entre os dois serviços. (Eu até adivinho... nunca activei a sincronização porque já suspeitava que não iria ser coisa para demorar muito tempo!)

topo

Impressora 3D Ender-3 a €150

14-06-2019 | 09:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

As impressoras 3D continuam a aproximar-se do público com preços cada vez mais interessantes, sendo que impressoras como esta Creality 3D Ender-3 já podem ser compradas por 150 euros na Europa.

Aos poucos, as impressoras 3D têm conquistado cada vez mais utilizadores. Tanto pode ser alguém que queira imprimir brinquedos para os seus filhos (com a vantagem de os poder criar de raiz e personalizar como bem entender); como alguém que queira imprimir peças plásticas de substituição que gasta frequentemente; ou que trabalha em modelação 3D e quer ver as suas criações passarem do mundo virtual para o mundo real.



Esta impressora 3D Creality 3D Ender-3 está disponível por 150 euros com envio gratuito para Portugal a partir da República Checa.

O conjunto é fornecido em kit para montar (mas nada de demasiado complicado - basta seguir as instruções) e permite imprimir volumes de até 220x220x250mm. O controlador integrado conta com um ecrã de dimensões generosas, e inclui funcionalidades bastante práticas como retomar a impressão em caso de ter havido uma falha de energia, evitando desperdiçar o trabalho que tinha sido feito até então. É compatível com filamentos PLA, ABS, e TPU com diâmetro de 1.75mm.

Não deixem de partilhar connosco as vossas impressões 3D! :)

topo

Sugestões Wiko para presentear os bons alunos

14-06-2019 | 08:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Como forma de reconhecer o esforço, empenho e dedicação dos bons alunos a Wiko sugere os  smartphones View3 e Y8, que segundo a marca, serão os "presentes perfeitos para celebrar o final do ano letivo".


 O final da escola está à porta e por isso a WIKO, empresa europeia de smartphones, propõe os presentes perfeitos para os pais que querem recompensar os seus filhos pelas boas notas atingidas.

View3 e o Y80 são dois smartphones ideais para quem procura um equipamento com um design jovem e atraente, excelente relação qualidade/preço e capaz de cobrir todas as necessidades de que as crianças realmente precisam. A mais valia destes smartphones? Não há mais desculpas para os seus filhos, como "a bateria acabou e não pude responder", porque tanto o View3 como o Y80 têm uma bateria de 4000 mAh capaz de garantir grande autonomia – de até 2 dias de utilização, no caso do View3.

Além disso, tanto o View3 como o Y80 oferecem uma experiência de fotografia melhorada. Com as três câmaras traseiraso View3 oferece três vezes mais possibilidades de se conseguir fotos incríveis. O sensor Sony IMX486 de 12MP e o tamanho do pixel de 1,25µ permitem imagens incrivelmente nítidas e cores ricas, mesmo em condições de pouca luz, e o sensor de 2MP oferece a capacidade de se atingir um perfeito efeito bokeh. Fotografias da turma antes das férias? Graças à super grande angular de 13MPas fotografias panorâmicas de grupo deixam de ser um problema! Com uma memória de 64GB ROM extensível por micro SD de até 256GB têm todo o espaço de que precisam para guardar todas as fotografias e recordações dos tempos da escola.

Y80, com o seu grande ecrã 5,99" HD+, tem uma câmara dupla com um sensor principal de 13MP e outro de 2MP que te permitirão tirar fotografias em profundidade, um must have para os pré-adolescentes dos dias de hoje! Agora que a escola terminou, podem tirar as melhores fotografias na praia ou a passear e desfocar o fundo, deixando sobressair o que realmente importa. Esta excelente experiência fotográfica é ainda ampliada com a câmara frontal de 5MP com flash, que dá lugar às melhores selfies. Conta com um processador octa-core, bem como com velocidade 4G, de forma a oferecer uma navegação rápida e fluída na internet sem interrupções.

E finalmente, a importância da cor e design. O View3 tem uma capa traseira semelhante a vidro e um frame espelhado, com reflexos profundos e um efeito gradiente elegante em Night Blue com um preço recomendado de 189€. Já o Y80 tem como tons disponíveis o Gradient Dark BlueGradient Bleen e Gold e está disponível por 129€ para a versão de 2GB RAM e 16GB ROM e por 139€ para a versão de 2GB RAM e 32GB ROM – ambas as suas versões contam com uma capa flexível de silicone para proteger o smartphone de possíveis danos provenientes de quedas.

topo

Produtos da Semana

14-06-2019 | 08:10 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

A nossa rubrica de Produtos da Semana agrupa uma lista de produtos e notícias que vamos compilando ao longo da semana e que achamos que será do interesse geral.

Nokia 3.2 chega a Portugal


A HMD Global anunciou a chegada ao mercado português do Nokia 3.2. O Nokia 3.2 combina uma bateria com maior capacidade do que muitos smartphones premium, com hardware e software de primeira. Para tirar o máximo partido da bateria, a funcionalidade Adaptive Battery inserida no Android 9 Pie gere aplicações de segundo plano através de IA, aprendendo através do comportamento do utilizador quando deve suprimir ou aumentar a potência para aplicações ou processos específicos. Tem ainda energia suficiente para usufruir durante dois dias do maior ecrã que a Nokia alguma vez colocou num smartphone. O Nokia 3.2 inclui um impressionante ecrã HD+ de 6,26", para que nunca mais tenha que se esforçar para ver os seus filmes e programas de TV e streamings favoritos.

Suportado pela plataforma móvel Qualcomm Snapdragon 429 e disponível com configuração de memória de 2/16GB, o Nokia 3.2 executará tarefas com facilidade, estando também entre os primeiros smartphones Nokia a incluir uma luz de notificação - o botão para ligar fica activo para o alertar para notificações, para que saiba quando tem de desbloquear o smartphone e verificar as aplicações. Ao estrear o botão Google Assistant, o Nokia 3.2 revolucionará a forma como interagimos com o smartphone. Basta pressionar uma vez para aceder instantaneamente ao Google Assistant para obter direcções, fazer chamadas, ouvir música e obter respostas às nossas perguntas mais rapidamente do que nunca. O Nokia 3.2 é lançado com Android 9 Pie mais inovador. Junta-se à vasta gama de smartphones Nokia que fazem parte da família Android One, o que significa que oferece as mais recentes inovações e experiências de software Android. Os smartphones Nokia com o Android One oferecem excelente armazenamento e duração da bateria e incluem três anos de actualizações de segurança mensais e duas grandes actualizações do sistema operativo.

O Nokia 3.2 já está disponível em Portugal na cor Preto com um preço de venda recomendado de 149 euros.


ThinkSmart Hub 500 para Zoom Rooms torna videoconferências mais eficientes



A Lenovo anunciou a sua mais recente inovação, o ThinkSmart Hub 500 para Zoom Rooms. Este novo equipamento expande o portfólio, oferecendo aos clientes uma nova plataforma de comunicações unificada, optimizada e de fácil instalação para reuniões eficientes. O Zoom Rooms é uma solução que integra software capaz de transformar as salas de reunião em espaços de trabalho colaborativos modernos e intuitivos, com vídeo e áudio HD integrados, em que através de um simples clique é possível estar conectado e partilhar informação.

O ThinkSmart Hub 500 para Zoom Rooms é um sistema multifuncional com um processador Intel vPro, colunas integradas, microfones duplos e ecrã sensível ao toque para melhorar a experiência na plataforma Zoom. O design compacto e inteligente reduz a desorganização de cabos e dispositivos na mesa, enquanto o Dolby Audio integrado e um conjunto de microfones de 360 graus garantem que todos na sala sejam ouvidos com clareza. O software do ThinkSmart irá em breve permitir uma configuração automatizada com dashboards em tempo real que mostram o status do dispositivo. Os administradores podem visualizar, gerir, actualizar e monitorizar todos os dispositivos ThinkSmart Hub a partir de um único dashboard. Os Serviços Profissionais do Smart Office da Lenovo estão disponíveis para ajudar a configurar, manter e gerir a solução continuamente. Embora projectado para sala de reuniões de pequena a média dimensão, o Hub 500 pode ser implementado em espaços distintos. A Lenovo continua a desenvolver parcerias com os principais fabricantes empenhados na transformação do smart office.

O ThinkSmart Hub 500 para Zoom Rooms estará disponível em Julho de 2019, a partir de 1.799 euros. Os ecrãs interactivos das séries Avocor E e F, e os ecrãs de colaboração em Windows estarão disponíveis nos EUA através do programa Vendor Label Hardware da Lenovo, em Julho. O Huddly IQ estará disponível através do programa Vendor Label Hardware da Lenovo.


Novo projector Acer B130i com powerbank integrado



Trazendo puro entretenimento a todos os utilizadores de smartphones, a Acer revelou o portátil e elegante projector B130i. O compacto e elegantemente desenhado cubo portátil tem Wi-Fi integrado que se liga directamente a dispositivos Android ou iOS, sem necessidade de uma app, com uma funcionalidade de espelho que permite projecção a partir de todos os dispositivos inteligentes para tornar mais fácil a partilha de fotos de viagem ou vídeos de família num grande ecrã, onde quer que as pessoas estejam.

A iluminação LED oferece excelente desempenho de cor cobrindo 85% da gama de cores NTSC, criando visuais vibrantes e fornecendo saturação de cor consistente. A lâmpada de durabilidade superior do Acer B130i tem um tempo de vida de até 20.000 horas. Com uma bateria integrada de 15000mAh (3,7V), o avançado Acer B130i é facilmente portátil e pode também ser usado como carregador para os seus dispositivos inteligentes durante a projecção. Com 5 horas de autonomia por ciclo de carga completa, o Acer B130i está livre das limitações de uma tomada ou adaptador pesado para que longas-metragens possam ser reproduzidas em qualquer lugar a partir de uma unidade USB ou cartão MicroSD. O Acer B310i tem duas colunas de 3W que proporcionam um som pleno e vibrante para que não haja necessidade de trazer uma coluna externa. Com apenas 812g de peso e 108 x 103 x 96 mm de tamanho, o Acer B130i é muito mais compacto que os projectores convencionais e pode ser facilmente guardado numa mala para a derradeira portabilidade, permitindo desfrutar de filmes ou jogos na sala, jardim, em viagem e até nas tardes à volta da fogueira. Juntamente com toda a potência e funcionalidade de um projector convencional, o Acer B130i é também compacto e elegantemente esculpido. Os pontos artísticos que adornam a tampa prateada e o corpo branco criam um visual vibrante e elegante. É também compacto o suficiente para caber em qualquer espaço e acrescenta um toque de estilo onde quer que seja colocado. Ao contrário de projectores baseados em lâmpadas convencionais, um projector LED não necessita de tempo de arranque nem arrefecimento. A fonte de luz LED oferece funcionalidade de ligar/desligar imediatamente sem danificar o dispositivo, poupando tempo precioso em viagem. Para além disso, através da eliminação da potencial poluição causada pelas lâmpadas de mercúrio, o projector não contém substâncias prejudiciais ao ambiente.

O projector portátil Acer B130i está já disponível com preços desde 499 euros.


MMD apresenta o novo monitor touchscreen de 24" Philips 242B9T



A MMD apresentou o novo monitor LCD 24" Philips 242B9T com SmoothTouch (23,8"/60,5 cm. diagonal).

Desenvolvido com características brilhantes de interactividade SmoothTouch, o monitor Touch Philips 242B9T possibilita uma interacção natural e intuitiva em qualquer cenário. Com uma capacidade de 10 pontos de smooth touch, esta tecnologia permite a dactilografia de 10 dedos, garantido que, através da precisão extra e necessária fornecida pela stylus touch pen, para que os utilizadores não sintam saudades da utilização do teclado. Desde aplicações baseadas no toque, a projetos profissionais, a tecnologia emocionante deste monitor, sem qualquer tipo de esforço, combina produtividade com prazer. E como os utilizadores de hoje estão mais flexíveis do que nunca, o Philips 242B9T é equipado com revestimento de tela antirreflexo, SmartStand em forma de "Z" flexível articulado e protecção IP54 avançada contra a água e poeira, tornando-o robusto o suficiente para ser utilizado em qualquer lugar, garantindo que os utilizadores disfrutem de um óptimo conforto visual. Com uma resolução Full HD 1920 x 1080 reforçada, o Philips 242B9T oferece aos utilizadores todos os detalhes, cores e brilhos que estes desejam e esperam. Com o objectivo de valorizar a qualidade de visualização de imagens e vídeos, a tecnologia SmartContrast ajusta de forma automática as cores e a intensidade da luz de fundo para proporcionar negros mais ricos e uma leveza brilhante. Todas as funcionalidades do foram projectadas para proporcionar uma experiência agradável a todos os utilizadores. Quando se trata de conectividade, este monitor oferece a máxima conveniência graças a uma ampla variedade de características que facilitam, ainda mais, o trabalho dos utilizadores e as suas actividades de lazer.

O monitor touchscreen Philips 242B9T flexível, potente e de fácil utilização estará disponível com um preço de 299 euros.

topo

Samsung revela mega-ecrã The Wall Luxury

14-06-2019 | 07:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Quem não tiver problemas de falta de espaço (nem de dinheiro) já poderá começar a pensar em colocar a mais recente versão do mega-ecrã micro-LED modular The Wall da Samsung numa parede de sua casa.

O The Wall Luxury permite criar um ecrã à medida, com tamanho e formato adequado ao espaço e função desejada, podendo ir das 73" com resolução 2K às 292" com resolução 8K. A sua construção modular requer menos de 30mm de espessura, e junta os módulos sem qualquer interrupção visível entre eles.

Ao contrário dos OLEDs, os seus micro-LEDs garantem uma longevidade de pelo menos 100 mil horas, permitindo utilizar o seu modo "Ambiente" para apresentar fotos, pinturas ou vídeos artísticos, enquanto o ecrã está "desligado", sem preocupação com o desgaste ou efeitos de retenção de imagem (as 100 mil horas significam que o poderemos deixar ligado 24 horas por dia durante mais de 11 anos!)

O The Wall Luxury trata do processamento da imagem por forma a tirar o melhor partido de toda a resolução disponível, e pode apresentar imagens HDR com brilho máximo de 2000 nits e a uma frequência de 120Hz. Fica disponível já a partir do próximo mês... destinado àquelas pessoas que não têm que perguntar o preço dos brinquedos que desejam.

topo

Facebook volta a pagar para espiar utilizadores

13-06-2019 | 20:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Depois de ter sido apanhado a contornar as regras da App Store para fazer chegar a sua app de espionagem estudo de mercado aos utilizadores, o Facebook volta a relançar a app Study, com a promessa de pagar aos utilizadores por se deixarem espiar.

Agora que todo o esquema foi revelado, o Facebook promete maior transparência no processo - chegando até ao ponto de indicar claramente que este "Study" faz parte do Facebook (ao contrário do que acontecia quando era promovido como VPN Onavo, sem qualquer indicação a quem pertencia). A ideia é exactamente a mesma: os utilizadores que aceitarem instalar a app irão ter a sua actividade monitorizada, para fornecer ao Facebook os dados que eles desejam, e que na prática consiste em lhes dar informação sobre se existe algum concorrente com o qual se devam preocupar.


No rescaldo do escândalo, ficamos a saber que o Facebook estava a recolher dados de 187 mil utilizadores, sendo que a alguns eram dados créditos ($20 por mês) para tornar o serviço mais aliciante.

Agora nesta nova abordagem mais "transparente", o Facebook diz que irá continuar a pagar aos utilizadores da app Study from Facebook, mas que o acesso à app será feita por convite e não por inscrição directa; certamente para garantir que obtém uma amostra representativa do mercado e não apenas de um grupo disposto a ganhar uns dólares por mês. No entanto, por agora o Facebook mantém-se silencioso quanto ao valor que irá pagar aos utilizadores da app.

O que se sabe é que desta vez o Facebook irá utilizar apenas os serviços oficiais para recolha de dados, em vez de recorrer a todo o tipo de técnicas manhosas para os conseguir (como a VPN que era utilizada no Onavo). Acima de tudo, vai ser interessantes saber qual o valor que o Facebook atribui à privacidade de cada utilizador, e que indirectamente representa quanto é que está a lucrar com cada um dos utilizadores "gratuitos" que usam as suas apps.

topo

Helium quer libertar IoT das mensalidades 4G e 5G

13-06-2019 | 17:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


O Helium quer ser uma rede peer-2-peer gratuita que disponibilizará acesso wireless à internet para os equipamentos IoT com hotspots que pagarão em criptomoeda a quem suportar a rede.

Os operadores de telecomunicações têm estado bastante animados quando à chegada do 5G, dizendo que irá fazer maravilhas pela "Internet of Things", mas esquecem-se de referir que esse futuro risonho é completamente insustentável nos moldes actuais, de cobrar uma mensalidade por cada cartão SIM e dispositivo. A maioria das pessoas já pagará a custo o acesso à internet feito a partir dos seus smartphones, quando mais pagar por uma dúzia de sensores, câmaras, localizadores GPS e outras mais coisas que se forem juntando à colecção. É certo que muito apreciaríamos a funcionalidade de ter acessórios ligados à internet onde quer que estivessem... mas não se isso for acompanhado de uma mensalidade acrescida.

Acreditando que os operadores de telecomunicações não irão disponibilizar planos adequados num futuro próximo, o Helium quer criar uma rede P2P gratuita para ligar os dispositivos IoT, e para isso conta com uns pequenos hotspots com cobertura de longo alcance. O seu protocolo LongFi promete atingir distâncias 200 vezes superiores ao WiFi convencional, pelo que bastariam algumas dezenas de hotspots para cobrir uma cidade inteira.

A utilização da rede é gratuita, mas quem comprar os hotspots ($495) poderá ir rentabilizando o investimento, pois irá receber criptomoeda da Helium pelo serviço prestado. Embora este não seja o único sistema de comunicações IoT que queira escapar às mensalidades das redes 4G/5G (temos o LoRa, por exemplo), vem demonstrar que há interesse acrescido nestas alternativas, que serão indispensáveis para que realmente se possa ter toda a multiplicidade dispositivos IoT ligados à internet, sem pagar dezenas ou centenas de mensalidades de dados.

topo

Samsung surpreende ao disponibilizar modo noite para o Galaxy S9

13-06-2019 | 16:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A Samsung vinha ser altamente criticada nos últimos anos, devido à ausência de um "modo noite" nos seus topo de gama. Ao contrário da Google e Huawei, a marca Sul Coreana tardava em disponibilizar esta funcionalidade nos seus smartphones, algo que acabava por penalizar a prestação dos mesmos, no que à fotografia diz respeito.


Tendo em conta a evolução apresentada pela Google e Huawei, esperava-se que o Galaxy S10 fosse apresentado com um modo noite, para fotografias em zonas com pouca luz, mas a Samsung acabou por não apostar nesta funcionalidade, algo que deixou os seus fãs bastante desapontados.

Foi preciso esperar algumas semanas, para que esta situação fosse invertida. Ao disponibilizar uma actualização de rotina para a série Galaxy S10, a Samsung incluiu também uma novidade inesperada, passando a disponibilizar o tão desejado modo noite. É certo que os resultados continuam um pouco abaixo dos desejados, mas são naturalmente bem melhores, que os disponibilizados anteriormente.

Resolvida a questão para a série Galaxy S10, havia naturalmente a expectativa que esta funcionalidade pudesse chegar ao outros smartphones da marca Sul-Coreana, algo que já está a acontecer em alguns mercados, com o Galaxy S9 a ser brindado com o referido modo noite.

Não há ainda informações sobre a disponibilização deste modo de fotografia para outros smartphones da Samsung, mas tendo em conta que o Galaxy S9 foi alvo de actualização, é de esperar que o Galaxy Note 9 também venha a receber tratamento idêntico.

topo

Cabo USB-C Xiaomi Wsken com LED a €4

13-06-2019 | 16:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Precisam de um cabo USB-C com ficha a 90º que se distinga dos demais? Espreitem este da Xiaomi Wsken com LED que permite saber imediatamente que a electricidade está a chegar onde deve.

As fichas USB-C vão finalmente começando a popularizar-se, e com isso é também altura de muitas pessoas começarem a por de lado a sua colecção de cabos USB com fichas micro-USB e transitarem para os cabos com ficha USB-C. Este cabo USB-C da Wsken tem a ficha USB-C a 90º, o que facilita a utilização de um smartphone ou tablet enquanto o estamos a recarregar durante jogos ou filmes.


Este cabo Xiaomi WSKEN Type-C suporta carregamento rápido (5V@2A, 6V@3A, 9V@2A) e transferência de dados, e está disponível com opção de LED colorido ou branco, em vários tamanhos, com preço a começar nos 4 euros:

LED Multicor
  • €4,41 : 40 cm
  • €5,29: 120 cm
  • €6,18: 200 cm

LED Branco
  • €4,41 : 40 cm
  • €5,29: 120 cm
  • €6,18: 200 cm

Uma vez que se trata de uma ficha USB-C reversível, deixa de haver a preocupação com encontrar um cabo com ficha a 90º virada para o lado "certo", como acontecia com os micro-USB. E, embora o LED possa parecer desnecessário, é um excelente indicador que serve para despistar qualquer desconfiança quanto a um carregador estar efectivamente a funcionar ou não.

topo

Notícias do dia

13-06-2019 | 15:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Rede da Vodafone com problemas a nível mundial; Google confirma Pixel 4 com modulo quadrado com 2 (ou mais) câmaras; novo CPU AMD Ryzen 9 3950X arrasa Core i9 no Geekbench; análise ao mini PC Shuttle XPC DH370; Google vai aumentar limite de regras para adblockers no Chrome; iPhones e iPads já podem usar Androids como chave de segurança Google; e Apple perde semanas a reparar MacBook Pro com ecrã desligado.

Antes de passarmos às notícias do dia, certifica-te que participas no passatempo gadget da semana que desta vez tem para oferecer uns powercube multiplicadores de tomadas.

Dados de 128 mil alunos estiveram expostos durante anos no SIGE



O SIGE (Sistema Integrado de Gestão de Escolas) veio facilitar a gestão das escolas, mas durante anos expôs os dados de mais de 128 mil utilizadores. A descoberta foi feita pela empresa de segurança digital Adamant Sec, que decidiu fazer um teste ao SIGE e ficou surpreendida pelo que descobriu.

Através de diversas vulnerabilidades era possível aceder aos dados do Cartão do Cidadão dos utilizadores, horários dos alunos, registo de doenças e alergias, e até ao código PIN do cartão do aluno. Depois de informadas as entidades competentes, deu-se início ao processo de resolução das falhas, que ficou concluído em Março deste ano.

... Como sempre, o grande problema do roubo de dados é que, depois de dados privados terem sido expostos na internet, já não há nada a fazer. Estes alunos não irão mudar de nome, rosto, doenças, etc. Dados que poderão ser explorados e abusados ao longo de toda a sua vida.


Samsung apresenta monitor CRG5 de 240Hz com G-Sync



Para quem não se contentar em jogar a 120 ou 144Hz, a Samsung propõe o seu mais recente monitor curvo CRG5 de 27" que não tem problemas em apresentar imagens a frequências de até 240Hz, e contando com tecnologia G-Sync para garantir que não há quebras entre as imagens no caso de variações no framerate.

O painel utilizado é um VA, e a resolução fica-se pelo Full HD (1920x1080) mas considerando a frequência dos 240Hz, não me parece que fosse muito aconselhável aventurarem-se em resoluções superiores. (Por outro lado, já era tempo dos monitores ditos "normais" passarem dos 60Hz para os 120Hz pelo menos...)


Huawei pede mais de mil milhões de dólares à Verizon por violação de patentes



Enquanto vai lutando contra o bloqueio dos EUA, a Huawei relembra que também tem outras armas ao dispor. A empresa chinesa terá exigido à operadora norte-americana Verizon o pagamento de mais de mil milhões de dólares por violação de mais de 230 das suas patentes.

Numa altura em que se assiste à transição para as redes 5G, a Huawei - enquanto detentora do maior número de patentes 5G - parece estar disposta a demonstrar que o "bloqueio" poderá ser feito nos dois sentidos ou, no mínimo, subtrair alguns "biliões" à economia norte-americana.


Project Galileo da Cloudflare protege sites - incluindo o VOST Portugal



Criar um site é algo que pode parecer simples, mas na verdade é uma grande dor de cabeça para quem se preocupar com a segurança do mesmo. Um site exposto na internet está continuamente exposto a todo o tipo de ameaças e tentativas de intrusão, e nem sempre se tem os recursos para enfrentar coisas como ataques DDoS e outros. O Project Galileo da Cloudflare oferece esses serviços a sites sem fins lucrativos, e um dos sites que conta com essa protecção é o VOST Portugal.

O VOST Portugal faz a representação nacional da rede VOST, consistindo no trabalho de voluntários que ajudam a difundir e esclarecer os interessados em situações de emergências como incêndios, greves, e outros acontecimentos inesperados. Graças ao Project Galileo, podem focar-se naquilo que é essencial sem se preocuparem com os "detalhes" de manter o site a salvo de potenciais ataques.


Curtas do dia


Resumo da madrugada

topo

Google revela Pixel 4 - confirma-se um módulo quadrado para as câmaras

13-06-2019 | 15:21 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


As expectativas para a próxima geração dos Pixel 4 da Google são elevadas, e os rumores estão a fervilhar quanto às possibilidades que estão para vir, falando-se da possibilidade de ser o primeiro modelo a integrar a detecção de gestos antecipada pelo Project Soli.



Esteticamente, imagens do que serão os moldes para as capas dos futuros Pixel 4, revelam um volumoso módulo para câmaras múltiplas que se assemelha ao que temos visto nos rumores para os iPhones deste ano. A Google tem resistido a adicionar múltiplas câmaras na traseira, mas é de esperar que este ano finalmente o faça - e esperando-se que consiga tirar o máximo partido de todas elas, usando a "magia" do seu software que já fazia autênticos milagres usando um único sensor. Mas, mas interessante ainda poderá ser algo que não se vê.

Existem referências a um misterioso novo sensor que parece ter a capacidade de detectar gestos feitos no ar, e que estão a ser considerados uma pista para que estes Pixel 4 venham com o sensor de radar do Project Soli que a Google apresentou em 2015. Este sensor permitiria detectar gestos feitos no ar com bastante precisão, e daria uma nova dimensão às potencialidades de interacção com o Android (não esquecer que a Google tem explorado esse caminho, como o "apertar" do smartphone).

Poderá muito bem ser a maior novidade com a qual a Google espera diferenciar o Pixel 4 de todos os demais smartphones no mercado. Mas para isso será também preciso mostrar vantagens efectivas, para que não se arrisque a ser mais uma coisa a juntar à lista de curiosidades que acaba por não servir para nada (veja-se o 3D Touch da Apple).



A Google não quis deixar que os rumores sobre o Pixel 4 se mantivessem indefinidos e optou por confirmar que o seu próximo smartphone terá, de facto um módulo quadrado multi-câmara na traseira.

Numa imagem revelada num tweet, a Google mostra a traseira do futuro Pixel 4, onde podemos ver o módulo quadrado. No entanto, é uma revelação que acaba por trazer mais perguntas que respostas.

Well, since there seems to be some interest, here you go! Wait 'til you see what it can do. #Pixel4 pic.twitter.com/RnpTNZXEI1
— Made by Google (@madebygoogle) June 12, 2019


Para além do flash, são claramente visíveis duas câmaras. No entanto, temos também um orifício adicional no topo, que poderá ser uma terceira câmara ou sensor de profundidade ou de luminosidade, e também um orifício adicional mais pequeno ao lado do flash na parte inferior, cuja função é também desconhecida.


Esta revelação da Google não será completamente inocente, pois os rumores referem que a Apple terá recorrido a uma solução idêntica (um módulo quadrado) para albergar as câmaras nos iPhones deste ano. Ao mostrar esta parte do Pixel 4, a Google está indirectamente a assumir que este design foi uma opção sua, fazendo com que quando a Apple revelar os novos iPhone, seja mais provável dizer-se que copiaram o Pixel 4. Mas, copianços à parte, o que realmente interessa é ver o que as câmaras de ambos valem.

... Por último, temos também a confirmação de que o Pixel 4 se despede do sensor de impressões digitais na traseira, sendo provável que passe a utilizar um integrado directamente no ecrã.

topo

Rede Vodafone em baixo a nível mundial

13-06-2019 | 14:40 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Se forem clientes Vodafone e estiverem com problemas a aceder à internet, quer via 4G quer através da rede fibra, não são os únicos. As queixas multiplicam-se não só em Portugal como também noutros países.

Normalmente consideramos o acesso à internet dos operadores como sendo "garantido" - mas de vez em quando lá somos confrontados com episódios que nos relembram que nada é garantido. Desta vez a lembrança recai sobre os clientes Vodafone, que têm estado sem acesso à internet, tanto nas redes fibra como na rede móvel.

Ainda não se sabe qual será o problema, já que nalguns casos continua a ser possível aceder a alguns sites mas não a outros. E embora a suspeita inicial recaísse sobre os servidores de DNS, parece que desta vez não será esse o caso (pelo menos, não exclusivamente).

Estamos a aguardar por esclarecimentos por parte da Vodafone. Mas até lá... não há muito a fazer senão aguardar, e esperar que a situação fique resolvida o mais rapidamente possível.


Actualização (17h): A situação parece ter sido regularizada. A suspeita é que tenha sido um desvio de rotas via BGP. Saberemos quando a Vodafone emitir um comunicado formal.

topo

Análise ao Shuttle XPC DH370 mini PC

13-06-2019 | 14:31 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A Shuttle há muito que tem tradição no segmento dos PCs compactos, e um dos seus mais recentes modelos - o Shuttle XPC DH370 - torna-se num sério candidato para quem procurar um computador cuja potência ou capacidades sejam limitadas pelo seu tamanho, incluindo a capacidade de suportar até três monitores.


O Shuttle XPC DH370



Embora não se possa dizer que a Shuttle seja uma marca muito popular, também está longe de ser uma desconhecida no mundo dos PCs. Desde o início do século que os seus XPC Cube eram modelos predilectos de quem procurava alternativas aos "caixotes" dos PCs - e eu próprio ainda mantinha um velhinho XPC Cube, com quase 15 anos, a funcionar com Linux (e só o reformando devido ao consumo de energia excessivo para o manter como máquina sempre ligada).


XPC DH370, como seria de esperar, é algo completamente diferente. Com tamanho ainda mais compacto (190x165x43mm), suporta CPUs Intel com socket LGA1151v2 - significando que pode ir até um potente Core i9 se for necessário (com TDP máximo de 65W). Suporta ainda até 32GB de RAM (dois módulos SO-DIMM DDR4), saídas independentes HDMI + 2x DisplayPort, cartões SDXC, dual LAN Gigabit (Intel),  4x USB 3.1 Gen1 e 4x USB 3.1 Gen2, 1x slot M.2 2280, 1x slot M.2 2230, portas RS232 / RS422 / RS485, e ainda um disco SATA de 2.5". De notar que estamos a falar de um sistema barebone, pelo que CPU, RAM, discos / SSDs, etc. fica por conta de cada um. Quem desejar WiFi terá que recorrer a um módulo M.2 ou usar um adaptador USB externo.


No caso deste XPC DH370 que nos foi gentilmente cedido pela Shuttle, vinha equipado com um Intel Core i5-8400, 8GB de RAM, e um SSD M.2 Samsung 970 EVO Plus de 250GB. Mas, como referido, o nível de desempenho poderá ser ajustado em função das necessidades, de um económico Celeron a um Core i7.

Por motivos óbvios, a fonte de alimentação é externa, com potência de 90W (19V @ 4.74A).

[Um Shuttle XPC de outros tempos, com mais de uma década de funcionamento em cima! :]


Em utilização



As potencialidades de um mini-PC deste tipo, com volume bastante reduzido (podemos fixá-lo na traseira de um monitor ou televisor, usando a furação VESA e uns adaptadores incluídos) mas que permite a utilização de CPUs relativamente potentes são imensas, mas há uma aplicação que imediatamente salta à vista: a utilização em funções onde seja necessário ter até três monitores ou televisores com resoluções até 4K.

Utilizar um mini-PC com um monitor, ou até com dois, é algo relativamente comum. Mas se quisermos utilizar três monitores, as opções reduzem-se drasticamente, e é aí que este Shuttle XPC DH370 se destaca. Este PC não tem dificuldade em lidar com conteúdos 4K (e HDR), e de, no limite, alimentar três monitores simultaneamente a 3840x2160 e a 60Hz. No entanto, há algumas limitações, leia-se: não esperem reproduzir três vídeos 4K diferentes a 60fps, em cada um dos monitores. Aí começarão a surgir "engasganços". Mas, se se tratarem de vídeos com resolução e frequência inferior, pode ser possível. Já no caso de apresentar informação semi-estática, ou fotografias em slideshow, obviamente não haverá qualquer problema (por exemplo, para quem quiser encher três monitores 4K com informação da bolsa, câmbios, dashboards ou as últimas notícias das redes sociais).


Para poder lidar com os CPUs mais potentes, a Shuttle aplicou neste XPC um ventilador de baixo perfil com duas ventoinhas. As ventoinhas não são muito ruidosas, particularmente com o sistema com pouca carga de utilização, mas é um factor a ter em conta caso o pretendam utilizar como PC media-center na sala de estar. Será sempre possível posicioná-lo num local onde o seu som seja "abafado", devido ao seu tamanho reduzido - sendo que a Shuttle também disponibiliza um cabo de extensão (opcional) para o podermos ligar com facilidade nesses casos - é ainda possível utilizar um jumper interno para o deixar numa configuração "always-on".


Apreciação final



É difícil não ficar fascinado com este XPC DH370. O seu tamanho diminuto vem demonstrar-nos que não precisamos de um "caixote gigante" para ter um PC com capacidades idênticas a qualquer outro PC - que pode ir da gama económica à gama média-alta. A título de referência, na configuração indicada, bastam cerca de 6 segundos para que se passe do carregar no botão de power a estar no ambiente de trabalho do Windows 10, pronto a funcionar. É bastante agradável poder utilizar o Chrome ou qualquer outro programa mais pesado, e fazê-lo sem qualquer lentidão que se associaria a um "computador pequeno" - e como vantagem adicional, estamos perante uma máquina que gasta apenas 10W em operação, tornando-o numa excelente escolha para quem deseja ter um PC sempre ligado (obviamente, o consumo irá depender dos programas que desejarem correr a tempo inteiro).

A capacidade para o ligarmos até três monitores independentes torna-o numa escolha clara para efeitos de kiosks multimedia, apresentação de informação, pontos de venda, sector educativo, etc. e para isso contribui também a existência das portas série "à moda antiga", ainda bastante comuns para diversos periféricos. A existência de duas portas de rede gigabit também lhe permitem actuar como servidor / firewall, embora se possa dizer que será um desperdício utilizá-lo apenas para essa função.

O Shuttle XPC DH370 tem um preço base oficial de 300 euros, mas já pode ser encontrado na Amazon e noutras lojas online por cerca de 260 euros. Sai daqui com um escaldante.


Shuttle XPC DH370
Escaldante


Prós

  • Volume reduzido
  • Suporte para 3 monitores 4K
  • Suporte para CPUs até Intel Core i9


Contras

  • Módulo WiFi M.2 opcional
  • Ruído dificulta utilização como HTPC



Galeria de fotos








Shuttle XPC DH370 mini PC

Escaldante (5/5)

topo

Google vai aumentar limite de regras para adblockers no Chrome

13-06-2019 | 13:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Depois de ter angustiado os criadores de adblockers para o Chrome, a Google recua e acede a aumentar o número de regras disponíveis de 30 para 150 mil, permitindo manter adblockers eficientes no seu browser.

A luta entre a Google e Chrome e os adblockers não é de agora, mas recentemente subiu de tom com o anúncio de que iria ser removida a Web Request API, que alguns adblockers usavam para bloquear os conteúdos indesejados. Esta API permitia aos adblockers inspeccionar uma página web antes do browser dar início ao download dos recursos nela indicados, e remover os conteúdos a bloquear, de modo a que nem sequer sejam descarregados.


O problema é que esta funcionalidade é extremamente poderosa, podendo facilmente ser abusada por extensões maliciosas, às quais dará acesso a toda a informação do utilizador. Algo que é confirmado pelo facto de mais de 40% das extensões maliciosas detectadas desde Janeiro de 2018 usarem esta API.


Como alternativa, a Google diz que os criadores de adblockers deverão passar a utilizar a Declarative Net Request API, em que podem criar regras sobre conteúdos a bloquear, mas que são aplicadas sem que a extensão tenha acesso aos dados da página.

A Google diz que este sistema até é mais eficiente, por ser gerido directamente pelo Chrome; mas o problema é que até agora esta API permitia definir apenas 30 mil regras - número manifestamente insuficiente (algumas listas de adblockers incluem mais de 70 mil regras) e que deu origem a um coro de protestos.

Felizmente a Google decidiu ouvir essas vozes e anunciou que irá aumentar o número de regras de 30 mil para 150 mil.

Não é ainda certo que isto seja suficiente para apaziguar todos os criadores de adblockers (alguns dizem que continua a ser essencial terem acesso a mais dados sobre as páginas, e que aumentar simplesmente o número de regras não será suficiente), mas não deixa de ser um primeiro passo nesse sentido.

Alternativamente, não faltam outros browsers que são bastante mais receptivos à utilização de adblockers, e que até os trazem de origem.

topo

Central fotovoltaica de Évora entra em funcionamento

13-06-2019 | 12:22 | A Minha Alegre Casinha | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


É já amanhã (14 de Junho) que entra em funcionamento a central fotovoltaica de Évora, com uma capacidade de 28.8 MW.

A central fotovoltaica de Vale de Moura, no concelho de Évora – uma das primeiras em toda a Península Ibérica a ser explorada sem qualquer tipo de subsídios públicos – entra em funcionamento no dia 14 de junho.

Com uma área de 55 hectares e uma capacidade total instalada de 28,8 megawatts (MW), a nova central estará a funcionar em pleno a partir de sexta-feira, para produzir mais de 52 gigawatts-hora de energia limpa por ano – o equivalente ao consumo médio anual de quase 10.000 habitações. Este projeto, cujo investimento rondou os 20 milhões de euros, surge no seguimento de um contrato pioneiro de compra de energia (PPA – Power Purchase Agreement) a 10 anos, celebrado com o grupo energético suíço Axpo, que garante a comercialização de energia até 2029.

A Axpo atuará como agente vendedor da central fotovoltaica no mercado ibérico de eletricidade (MIBEL), proporcionando uma garantia do preço da eletricidade nos próximos 10 anos. Esta garantia possibilitou financiamento privado do projeto uma vez que garante uma estabilidade das receitas ao produtor, ao mesmo tempo que permite oferecer preços mais competitivos aos consumidores.

A central fotovoltaica de Vale de Moura permitirá evitar a emissão 110.756 toneladas de CO2 por ano, ajudando a cumprir as metas de descarbonização estabelecidas pela União Europeia, onde se pretende que Portugal aumente a quota de energia proveniente de fontes renováveis no consumo final para 31%, até 2020. Além disso, a construção desta central contribui para a independência energética portuguesa, garantindo a segurança de abastecimento e sustentabilidade económica e ambiental.

topo

iPhones e iPads já podem usar Androids como chave de segurança Google

13-06-2019 | 11:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Depois de ter permitido utilizar dispositivos Android como chaves de segurança, a Google expande a funcionalidade aos iPhones e iPads - para maior segurança na autenticação das contas Google.

A Google há muito que tem vindo a promover a utilização de chaves de segurança físicas como sendo a única forma verdadeiramente segura para evitar todo o tipo de ataques, incluindo os ataques de phishing. Mais recentemente, e para ultrapassar a barreira de ter que comprar um componente adicional, a Google passou a permitir utilizar um dispositivo Android para esse efeito, e agora passa também a ser possível utilizá-los para autenticar contas Google em iPhones e iPads.

O processo é idêntico ao das restantes plataformas, mas nos dispositivos iOS sendo feito através da instalação da app Google Smart Lock. O processo de autenticação é iniciado na app no iPhone ou iPad, e o dispositivo Android que estiver por perto (estando ambos com o Bluetooth ligado), servirá como chave que confirma que é mesmo o utilizador legítimo a querer aceder à conta Google.

Não esquecer que este sistema de "chave" é extremamente seguro, mas pode também revelar-se uma dor de cabeça caso por algum motivo deixem de ter a chave (roubo, avaria, etc.) A Google recomenda que quem optar por este método mantenha uma chave adicional como backup, para essas eventualidades. Pois se mantiverem os métodos tradicionais de login (como por SMS) derrotam o propósito de usar uma chave física - um atacante que fizesse SIM swap, poderia apoderar-se da vossa conta na mesma.

topo

Borlas para o fim de semana: jogos, apps e ícones grátis!

13-06-2019 | 10:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Fim de semana à porta, altura para descansar e recarregar as baterias (para quem pode). Aproveitem para dar uma olhadela nesta lista de promoções, onde vão encontrar jogos, apps, ícones grátis.

Aplicações

Autoroid - Automation Device Settings $1.99
Lecture Notes - Classroom Notes Made Simple $2.49
Ai. Gallery $2.99
APN Notificator $0.99
CUBE: Model and measure in AR $1.99


Jogos

Football Challenger - League $3.99
Undertones $1.49
Cash Knight Soul Special $9.99
Battle Royale: Surviours $4.99
HEXASMASH 2 • Ball Shooter Physics Puzzle $2.49
Night Survivor PRO $1.49



Ícones

Mono - Icon Pack $1.49


topo

SpaceX lança satélites Radarsat e aterra com sucesso

13-06-2019 | 10:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A SpaceX pode somar mais uma missão bem sucedida ao seu currículo, lançando para o espaço o trio de satélites canadianos Radarsat, e conseguindo mais uma vez aterrar com sucesso um Falcon 9 reutilizado - e desta vez com a plataforma escondida por um espesso manto de nevoeiro.

Embora enviar seja o que for até ao espaço não seja uma tarefa fácil, a SpaceX está a fazer um excelente trabalho a fazer parecer que é. Os três satélites Radarsat vão substituir o RADARSAT-2, que tem estado em operação desde 2007 e que estava planeado durar apenas 7 anos (mas tendo sido mantido em funcionamento até ser substituído). Têm por missão manter um olhar atento sobre o território canadiano e o árctico, e deverão enviar para o solo mais de 250 mil imagens por ano, que serão de valor incalculável para monitorizar as alterações climáticas.


O Falcon 9 utilizado neste lançamento foi aquele que em Março transportou a cápsula Crew Dragon até à ISS. Foi também a segunda vez que a SpaceX conseguiu fazer com que o seu foguete voltasse ao lugar de lançamento na Califórnia - no SLC-4 (Space Launch Complex 4) - em vez de optar pelo pouso na plataforma flutuante, que requer menos combustível.


Como curiosidade, terá também sido o mais valioso lançamento já realizado pela SpaceX, com o trio de satélites a ter um custo estimado de mil milhões de dólares. (É melhor nem imaginar o desastre que seria terem-se tornado no mais dispendioso festival pirotécnico de sempre... :)

O próximo lançamento da SpaceX está agendado para 24 de Junho, desta vez com um Falcon Heavy.

topo

Página 1 de 6042

Subscrever

Autores

Disclaimer

O Planet Geek não é responsável pelos seus conteúdos, apenas os replica a partir de cada blog.
Os artigos são da exclusiva responsabilidade dos seus autores.