PlanetGeek

Site AforroNet do Estado só permite passwords com 6 números

11-05-2021 | 13:00 | Aberto até de Madrugada

Quem visitar o site AforroNet do IGCP será surpreendido pelas regras de criação de passwords, que estão limitadas à utilização de 6 números.

Temos sites do Estado que levam ao extremo as regras de criação de passwords, obrigando a que sejam utilizadas letras minúsculas e maiúsculas, números e símbolos (embora depois cometam o erro de limitar o tamanho máximo da password a coisas como 16 caracteres). Mas, surpreendentemente, existem outros onde as regras básicas de segurança a nível de passwords parecem ter ficado paradas no século passado.

O AforroNet do IGCP, que permite subscrever e resgatar Certificados de Aforro e Títulos do Tesouro, é um desses sites. Ao criar uma password os utilizadores são confrontados com uma regra que deverá lançar alertas imediatos até para quem não preste muita atenção às questões de segurança na internet: as passwords estão limitadas a 6 caracteres, mas não 6 caracteres quaisquer - só se podendo utilizar 6 números!
Apesar do processo de login também fazer o pedido de dois algarismos do Número de Contribuinte / NIF, que dificultarão um pouco mais um ataque brute-force, o NIF não é nos dias de hoje uma informação que se possa considerar de difícil acesso, pelo que dificilmente complicará demasiado a tarefa a quem estiver dedicado a obter as passwords de acesso a este serviço. E, sendo um serviço que envolve directamente o manuseamento de dinheiro, seria altura da sua política de passwords ser revista e actualizada.

Tendo em conta o serviço em questão, até não seria descabido exigir a utilização de autenticação 2FA (2-factor), como já se tornou obrigatória nos serviços bancários online.

Google Assistant com broadcast melhorado e alertas familiares

11-05-2021 | 12:17 | A Minha Alegre Casinha

A Google está a melhorar as capacidades de broadcast e alertas do Google Assistant, podendo avisar pessoas até quando estão fora de casa.

Os broadcasts nos Google Home / Nest são uma das capacidades mais interessantes para quem tem estes dispositivos espalhados pela casa, permitindo enviar uma mensagem que será reproduzida em todos eles com um comando do estilo: "Hey Google, tell my family it's time for dinner". O grande senão é que isto só funciona no caso das pessoas estarem na proximidade de um Google Home para conseguirem ouvir a mensagem; algo que a Google se prepara para resolver.
Quando se criar um grupo familiar e se fizer o envio de uma mensagem global via Google Assistant, essa mensagem será também entregue nos smartphones dos membros do grupo mesmo que estejam fora de casa, fazendo com que o processo de avisar todos realmente tenha grande probabilidade de chegar mesmo a todos - e com a possibilidade de responderem.


Adicionalmente, temos boas notícias para quem usa o Google Assistant em português. A Google vai expandir o sistema de alertas "Family Bell", que permite criar alertas (temporários ou recorrentes) para fazer determinadas tarefas. Para além de permitir que estes alertas toquem em múltiplos dispositivos (até agora estavam limitados a um único), a funcionalidade irá finalmente ficar acessível em mais línguas, incluindo: francês, alemão, italiano, japonês, coreano, espanhol, hindi, holandês, e - sim - também em português.
Com tudo isto, já era tempo da Google começar a vender oficialmente os Google / Nest mini em Portugal, não?

Google enfrenta processo de $5B por tracking em modo incógnito

11-05-2021 | 11:00 | Aberto até de Madrugada

A Google tem novo processo a juntar à lista, desta vez com um pedido de 5 mil milhões de dólares por violar a privacidade dos utilizadores ao fazer tracking no modo incógnito do Chrome.

Curiosamente, embora fosse o tipo de processo que se esperaria ter origem na Europa, este é um processo com origem no seu país natal. A Google é acusada de fazer tracking dos utilizadores mesmo quando estes activam o modo incógnito do browser, através de muitos outros sistemas, como o Google Analytics (usando em grande parte do site para estatísticas das visitas), Google Ad Manager (a publicidade da Google que aparece em grande parte da web), e outros plugins (como os de tradução de páginas, etc.) Tudo coisas que continuam a recolher informação sobre os utilizadores, mesmo que tenham aplicado o modo incognito do browser.

Será interessante ver o desfecho deste caso, já que se for dada razão aos queixosos, poderão seguir-se muitos processos idênticos referentes a outras plataformas disseminadas de tracking, como o Facebook e outras redes sociais, que também conseguem obter informação idêntica de todas as páginas que tiverem botões de "like" ou de partilha (o modo mais eficiente de escapar a isto será utilizar um ad-blocker que bloqueie os scripts de estatísticas, redes sociais, publicidade, etc. - e que até pode ajudar a preservar a sanidade mental ao bloquear os popups insistentes dos cookies.).

Uma coisa que poderá resultar deste caso, será mais um popup a tentar esclarecer em que consiste o "modo incógnito" do Chrome. A Google por diversas vezes já tem reforçado a ideia de que o modo incógnito não garante a privacidade dos utilizadores, e se limita a ser um modo em que não fica um registo dos sites visitados no computador do utilizador - algo bem diferente da percepção que alguns (muitos?) utilizadores poderão ter, de que este modo lhes garantirá privacidade acrescida.

Talvez o resultado deste processo venha a ser uma alteração do nome, passando de "modo incógnito" para "modo de esquecimento", que deixe de transmitir essa ideia.

Chrome volta a insistir no tab na omnibox - mas agora como opção

11-05-2021 | 10:00 | Aberto até de Madrugada

O Chrome volta a tentar impingir a alteração no acesso aos motores de pesquisa alternativos na omnibox do Chrome através da tecla tab em vez da tecla espaço.

Apesar de ter sido odiada pela maioria dos utilizadores - ao ponto de obrigar a Google a recuar e voltar à opção anterior - o Chrome Canary 92.0.4503.0 volta a preparar caminho para o regresso da tecla tab como forma exclusiva de acesso às pesquisas alternativas na omnibox, embora desta vez tenta uma abordagem mais subtil, sendo lançado com a opção chrome://flags/#omnibox-keyword-space-triggering-setting pré-seleccionada para utilizar a barra de espaço em vez da tecla tab.
No Chrome podemos definir atalhos para vários motores de pesquisa alternativos, de forma a que - por exemplo - ao se escrever "wiki" na omnibox a pesquisa seja feita imediatamente no site da wikipedia, ou "imdb" a fazer a pesquisa no site do imdb, etc.

Essa activação tem sido feita normalmente de forma automática através da tecla de espaço (ou da tecla tab) pelo que bastará escrever naturalmente algo como "imdb [espaço]" e o nome de um filme ou actor, para se fazer a respectiva pesquisa. Só que no Chrome 88 a Google decidiu mudar isso de forma exclusiva para o tab, fazendo com que fosse necessário escrever um muito menos natural "imdb [tab]" seguido do resto do texto para efectuar a pesquisa através destes atalhos, algo que deu origem a críticas suficientes para fazer com que a Google recuasse nesta opção.

Ainda assim, fica demonstrado que há alguém na equipa da Chrome que é mesmo fã da tecla tab, e não está disposto a desistir de tentar impingir esta tecla para a activação dos atalhos das pesquisas alternativas. A acompanhar nos próximos lançamentos do Chrome.

Ganha livros FCA [Maio 2021]

11-05-2021 | 09:00 | Aberto até de Madrugada

Este mês temos nova selecção de livros gentilmente disponibilizados pela FCA para oferecermos, e que serão do agrado de quem se interessar por C++, Power BI, ou Faturação.

A FCA – Editora de Informática, do grupo de edições técnicas LIDEL, é um projecto 100% português que iniciou a sua actividade em Outubro de 1991. Apresenta a mais completa biblioteca de informática em português, tendo publicado desde a sua criação mais de 1800 livros. Está presente nos principais países de expressão portuguesa e as suas obras são dirigidas a profissionais, estudantes e público em geral. No catálogo online da FCA, os leitores podem ainda encontrar material auxiliar e algumas actualizações, que lhes permitem acompanhar o desenvolvimento das tecnologias e dos sistemas de informação.

Para este mês os candidatos são os seguintes livros:


Já sabem como funciona... votem no que mais vos interessa; e teremos exemplares do livro mais votado para vos oferecer nos dias que se seguem - cortesia da FCA! :)

Não se esqueçam de fazer like, retweet, e partilharem com os vossos amigos para mostrarem à FCA o quanto apreciam esta iniciativa.

Loading…

Passatempo válido para participantes com morada em território nacional (Portugal).

Huawei lança dois novos Wearables

11-05-2021 | 08:32 | Apps do Android



 Huawei Watch Fit Elegant e Huawei Band 6, são as novos apostas da marca chinesa para o mercado dos Wearables.

A Huawei tem vindo a reforçar a aposta no segmento de wearables de pulso, oferecendo aos consumidores dispositivos premiumde alta qualidade que se destacam pela autonomia da bateria e o desenvolvimento contínuo de tecnologias de monitorização de desporto e saúde. Assim, Maio marca a entrada de mais dois dispositivos no mercado português: o Huawei Watch Fit Elegant, um dos relógios inteligentes de maior sucesso da Huawei, e a Huawei Band 6, a primeira pulseira inteligente com ecrã FullView AMOLED.

 

Huawei Watch Fit Elegant: um Personal Trainer no seu pulso

Depois do lançamento em 2020 do primeiro modelo do Huawei Watch Fit, a marca anuncia a chegada da nova edição Elegant. O primeiro relógio inteligente desportivo da Huawei com um mostrador retangular arredondado, eleva a série a um novo patamar, introduzindo uma nova cor: Branco e um ar de metal em torno do mostrador para conferir a este relógio inteligente um toque mais premium, mantendo a identidade minimalista da primeira edição.

 

 

A nova edição Elegant apresenta um corpo de relógio em aço inoxidável com uma superfície de vidro polido. A sua pulseira ergonómica garante um maior conforto e foi concebida para ter ainda mais durabilidade. Graças à sua construção extremamente compacta, o Huawei Watch Fit Elegant é leve e confortável, permitindo que os utilizadores se possam envolver nas suas atividades físicas com maior naturalidade.

 

No campo da monitorização, o Huawei Watch Fit Elegant apresenta uma novidade, oferecendo uma monitorização contínua de SpO2 durante todo o dia[1], o que permite aos utilizadores estar a par da sua saúde 24/7 e assim poder fazer uma melhor gestão do seu esforço. Além da monitorização da saturação de oxigénio no sangue, este Huawei Watch Fit oferece ainda monitorização do controlo do ritmo cardíaco e do sono através da tecnologia TruSeen™4.0 e TruSleep™ 2.0, algo que já podíamos encontrar no seu antecessor.

 

Com 96 modos de treino, também disponíveis nos restantes wearables de pulso da Huawei, o Watch Fit Elegant incorpora 12 aulas interativas de fitness, desenvolvidas para responder às preocupações mais comuns na hora de treinar e exclusivas desta família Watch Fit. Nestes cursos interativos, o utilizador vai encontrar programas rápidos que podem variar entre os 6 e os 18 minutos, cada um com o seu objectivo, desde queimar gorduras ou reforço cardiorespiratório, a exercícios mais localizados, como tonificação abdominal ou de perna e glúteo ou até mesmo pequenos momentos para aliviar a tensão nos ombros e pescoço, que podem ajudar a melhorar a sua postura durante o dia de trabalho. Qualquer que seja a opção, os utilizadores terão sempre um PT só para si, no seu pulso, com pequenas demonstrações de como deve ser feito cada exercício.

 

O Huawei Watch Fit Elegant inclui ainda 13 cursos de corrida guiados para todo o tipo de desportistas. Enquanto corre, o relógio separa as instruções de corrida e analisa o seu contador de passos com a ajuda de GPS incorporado e múltiplos sensores. A tecnologia inteligente da Huawei garante que os utilizadores recebem orientação de corrida em tempo real e conselhos de treino para aumentar a sua eficiência e evitar a possibilidade de lesões.

 

Além de todas as características novas e inteligentes, o Huawei Watch Fit Elegant continua a oferecer até 10 dias de duração da bateria[2], mesmo com a monitorização do ritmo cardíaco e do sono ligados. Este dispositivo incorpora ainda a tecnologia de carregamento rápido da Huawei, ou seja, um carregamento de cinco minutos garante que a bateria do relógio dure o dia inteiro.

 

Em suma, este novo Watch Fit da Huawei apresenta uma experiência melhorada através do seu design, materiais e funcionalidades. Para os utilizadores que requerem uma gestão ativa da saúde e monitorização científica de um relógio inteligente com design premium, o Huawei Watch Fit Eleganté a opção perfeita.

 

HUAWEI WATCH FIT

PVP: 129,99€

CORES DISPONÍVEIS: Preto e Branco



[1] Este producto não é um dispositivo médico, os dados fornecidos são apenas de referencia, não para diagnóstico médico.

[2] Os dados da bateria baseiam-se no resultado dos testes nos laboratórios da Huawei. A duração da bateria é de até 10 dias para utilização típica ou até 7 dias para utilização intensiva. Para outros cenários de utilização, consultar o site oficial da Huawei.




Huawei Band 6: a primeira pulseira inteligente com um ecrã FullView

A Huawei anunciou também a chegada da nova Huawei Band 6, a primeira banda inteligente do mercado a incluir um ecrã FullView AMOLED de 1,47 polegadas com uma relação ecrã-corpo de 64%, que garante aos utilizadores o acesso a mais informação, num design ainda mais elegante. Além disso, a Huawei Band 6 herda a autonomia de duas semanas da bateria[1]característica dos produtos wearables da marca.



O conforto supremo e a monitorização precisa da saúde são duas das principais funcionalidades que se espera encontrar numa banda inteligente. Com isto em mente, a Huawei Band 6 adota requisitos extremamente elevados no design, materiais e várias tecnologias de monitorização. A Huawei Band 6 é a primeira banda inteligente da marca que disponibiliza a monitorização de oxigénio no sangue[1](SpO2) durante todo o dia, que se junta a outros parâmetros de saúde que já eram medidos ao longo do dia em bandas anteriores como a frequência cardíaca, sono, stress e calendário do ciclo menstrual.

 

Para os amantes de fitness, a nova Band 6 da Huawei, suporta os, já habituais, 96 modos de treino, de entre os quais podemos encontrar 11 modos de treino profissionais, tais como, corridas interiores e exteriores, ciclismo e, o novo, salto à corda, e ainda 85 modos customizados, incluindo fitness, jogos de bola e estilos de dança. A Huawei Band 6 adota o algoritmo de exercício profissional Huawei TruSportTM desenvolvido pela Huawei para analisar, profundamente, as capacidades de exercício dos utilizadores com base em parâmetros multidimensionais, como dados de variabilidade da frequência cardíaca e dados de exercício, fornecendo-lhes  avaliação científica  e sugestões sobre as suas capacidades de exercício, bem como o tempo necessário de recuperação. 

 

A Huawei Band 6 conta com um ecrã FullView AMOLED de 1,47 polegadas com uma resolução de 194*368 e 282PPI para exibir um conteúdo com cores vivas. Comparando com a sua antecessora, o ecrã é 148% maior, e a relação ecrã-corpo também melhorou para 64%. O ecrã colorido proporciona aos utilizadores uma maior clareza de informação e disponibiliza dados de treino e saúde de forma mais fácil de visualizar.

 

A Huawei Band 6 herda a bateria de longa duração já conhecida dos wearables de pulso da Huawei para gerir o consumo de energia a partir de um ecrã maior. Apoiada por chipsets de alta eficiência e algoritmos inteligentes de poupança de energia, a Huawei Band 6 permite uma monitorização contínua do ritmo cardíaco e do sono com uma duração de até 14 dias de bateria com uma utilização ininterrupta[2]. Além disso, a Huawei Band 6 suporta o carregamento rápido característico da marca, onde um carregamento de apenas cinco minutos pode suportar a banda inteligente para até dois dias de utilização típica.

 

A Huawei Band 6 não só está a liderar e a revolucionar a forma convencional de uma pulseira inteligente de fitness, como também é o wearable de pulso, de entrada de gama, mais versátil no mercado. Com a sua inspiração "Go Bigger for Better", a Huawei Band 6 foi concebida para criar uma experiência inteligente de gestão de saúde 24/7, ajudando os utilizadores a estabelecer novas formas de viverem um estilo de vida saudável e ativo. 

 

HUAWEI BAND 6

PVP: 69,99€

CORES DISPONÍVEIS: Preto; Rosa; Verde/Azul e Laranja (exclusivo online)



[1] Os dados baseiam-se no resultado dos testes nos laboratórios da Huawei. A duração da bateria é de 14 dias para utilizadores médios ou 10 dias para utilizadores intensivos.

[2] Esta função não foi concebida para uso médico e não se destina a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Todos os dados e medições devem ser utilizados apenas para referência pessoal.

[3] Os dados baseiam-se no resultado dos testes nos laboratórios da Huawei.

 

Spotify com partilha de podcasts para momentos à escolha

11-05-2021 | 08:00 | Aberto até de Madrugada

O Spotify passa a contar com a capacidade de partilhar podcasts com salto para momentos específicos à escolha.

Se têm por hábito ouvir podcasts, certamente já terão sentido a vontade de partilhar uma secção com amigos, que tradicionalmente tem que ser feito com o método muito pouco amigável de partilhar um link para o podcast completo, e depois dizer "avança até ao minuto X". Pois bem, o Spotify quer acabar com isso, e começou a disponibilizar a capacidade de se partilhar um podcast que começa a reprodução no momento desejado - ao estilo do que se pode fazer na partilha de vídeos em plataformas como o YouTube.
Falando de vídeo, o Spotify continua a apostar no Spotify Canvas, a sua versão dos videoclips que acompanham a música, e que também passam a mostrar um preview do que irá ser mostrado quando se faz a partilha de uma música com vídeo para plataformas como o Instagram Stories ou Snapchat.

A apresentação das apps e serviços disponíveis para partilha também sofreu uma remodelação, aparecendo agora numa grelha que faz melhor aproveitamento do espaço em vez de uma lista de apps.

Nokia adia actualizações para Android 11

11-05-2021 | 07:00 | Aberto até de Madrugada

A HMD já divulgou um novo calendário com as datas esperadas para as actualizações para Android 11 nos Nokia, que revela atrasos de um trimestre para quase todos os modelos.

Os Nokia (HMD) têm sido dos smartphones Android que se têm comportado bastante bem em termos de actualizações, mas parece que nem sequer eles conseguem escapar ao impacto da pandemia Covid-19, com a data prevista para o lançamento da actualização para o Android 11 a ter derrapado um trimestre para praticamente todos os modelos.
Embora alguns modelos, como o Nokia 4.2 tenham conseguido manter a data prevista, a maioria dos modelos que deviam receber a actualização no primeiro e segundo trimestre de 2021 viram essa data passar para o trimestre seguinte. Donos de modelos como Nokia 6.2, 7.2 e 9 Pureview terão que esperar até o terceiro trimestre, altura em que a Google já estará prestes a lançar o Android 12 no mercado.

Pelo lado positivo, na tabela mais recente a HMD já faz referência a modelos que não estavam presentes na tabela anterior, com o Nokia 1.4 e 5.4 a surgirem com a indicação de que receberão a actualização para o Android 11 até Junho, pelo que já não deverá faltar muito.

Operadores nos EUA gastaram milhões em comentários falsos a combater a neutralidade da net

10-05-2021 | 20:00 | Aberto até de Madrugada

Uma investigação descobriu que os principais operadores de internet nos EUA estiveram por trás de milhões de comentários falsos a favor da abolição das leis de neutralidade da internet.

Demonstrando porque motivo os consumidores têm muitas razões para desconfiarem dos operadores de telecomunicações, ficou comprovado que eles foram responsáveis por milhões de comentários falsos quando a FCC, em 2017, fez um pedido público de opinião quanto à abolição das leis de neutralidade da internet sob o "reinado" do senhor Ajit Pai.

Os operadores investiram mais de 4 milhões de dólares num coligação chamada Broadband for America, cuja missão era dar uma desculpa para que a FCC acabasse com as leis de neutralidade, fazendo a vontade aos operadores. Como resultado, 18 dos 22 milhões de comentários recebidos pela FCC eram falsos, o que acaba por ser o equivalente a "comprar as eleições".

Portanto, da próxima vez que acharem que até os operadores têm limites quando às coisas que estão dispostas a fazer... pensem novamente. E pensem também em todas as coisas que dizem ser boas para os clientes, como os tarifários zero rating com limites de dados diferenciados para certas apps, ou com tráfego "ilimitado" para certos serviços, e cujo resultado prático é que nos deixa a pagar dados mais caros do que no resto da Europa - e que o Tribunal de Justiça da UE já disse violar a neutralidade da net.

AI supera humanos nas palavras cruzadas

10-05-2021 | 17:30 | Aberto até de Madrugada

As palavras cruzadas juntam-se à lista de jogos em que os computadores conseguem superar os humanos, com a A.I. Dr. Fill a ter dominado num torneio nos EUA.

Com os computadores a já dominarem há muito jogos como o Xadrez, Go, e até já tendo ganho o Jeopardy há uma década, pode parecer um pouco estranho que tal ainda não tivesse acontecido para as palavras cruzadas. Mas, era mesmo o que acontecia, e que demonstra o quanto a chamada inteligência artificial ainda difere da inteligência orgânica, e a dificuldade que os computadores têm em interpretar e realmente compreender coisas. Ainda assim, este Dr. Fill digital conseguiu superar os jogadores humanos no American Crossword Puzzle Tournament, marcando uma nova etapa nos avanços da inteligência artificial.


Para o fazer, os seus criadores alimentaram-nos com milhões de palavras-cruzadas e respectivas soluções, das últimas décadas, deixando-o analisar por si próprio as pistas e as palavras correspondentes. Ainda assim, por vezes revelava a sua falta de compreensão ao responder inicialmente mal a pistas fáceis (do estilo: que autor escreveu o poema X) mas que posteriormente corrigia ao combinar com as pistas de outras palavras com que a resposta se iria cruzar.

Ainda não é desta que ficamos com uma inteligência artificial verdadeiramente "inteligente", mas riscamos mais um jogo / passatempo em que os humanos mantinham a liderança sobre as máquinas.

Teclast P20HD 4G a €135

10-05-2021 | 16:30 | Aberto até de Madrugada


Depois do P10HD de €99 temos mais um tablet da Teclast que chega com características imbatíveis a um preço reduzido: o P20 HD com 4G por apenas 135 euros.

O Teclast P20HD vem equipado com um ecrã IPS de 10.1" (1920x1200), CPU SC9863A octa-core, 4GB de RAM, 64GB + microSD até 128GB, câmaras de 5MP e 2MP, conectividade 4G LTE, WiFi ac dual-band, BT 5.0, GPS, bateria de 6000mAh e Android 10.


Com tudo isto, este Teclast P20HD 4G está disponível por apenas 135.99 euros com envio da Amazon Espanha. Se preferirem poupar mais uns euros, podem encontrá-lo a 99 euros vindo da China, com mais 3 euros para o envio EU Priority Line.

Uma proposta tentadora para quem estiver à procura de um tablet de 10" barato mas que mantenha características interessantes e seja capaz de um funcionamento livre de preocupações. Só de pensar que, num passado não muito distante, uma simples moldura digital com ecrã de tamanho muito mais reduzido, que só podia mostrar fotos, custava valores bastante mais elevados, é revelador do quanto a tecnologia evoluiu desde então. Graças a tablets como este, podemos facilmente considerar colocá-los em diversos locais espalhados pela casa, apenas para funcionarem como "interface" de intercomunicação (para casas grandes), ver notícias, e controlar a casa.


Acompanha as melhores promoções diárias no nosso grupo AadM Promos no FB.

Notícias do dia

10-05-2021 | 15:30 | Aberto até de Madrugada

Musk anuncia satélite lunar pago em Dogecoin; fabricantes automóveis abdicam dos extras tecnológicos para escaparem à falta de chips; Clubhouse lança (finalmente) app para Android; maioria dos utilizadores iOS diz não ao tracking; SpaceX faz lançamento Starlink com Falcon 9 usado pela 10ª vez; Messenger chega aos 5 mil milhões de downloads na Play Store; foguete chinês Long March 5B já caiu; WhatsApp não vai desactivar contas mas vai "chatear" utilizadores para aceitarem as novas condições; e nem a Tesla acredita no FSD prometido por Elon Musk.

Antes de passarmos às notícias do dia, ainda vais a tempo de participar no passatempo gadget da semana que te pode valer um módulo de tomada TP-Link Tapo P100.

Encerramento do banco online Simple deixa utilizadores sem acesso às contas

Quando um serviço que funciona bem é comprado por um maior, as coisas nem sempre correm bem. Foi precisamente o que aconteceu com o banco online Simple, que começou por ser um banco que prometia uma utilização simplificada via app, com categorização automática de despesas e outras funcionalidades, e que passado uns anos foi comprado pelo BBVA. Agora, o BBVA decidiu encerrar o Simple, por achar que já não se enquadrava na sua estratégia, anunciando que os actuais clientes seriam convertidos automaticamente em clientes BBVA. Só que não foi isso que aconteceu.

O processo de transição não correu como planeado, e o resultado foi que os clientes do banco Simple ficaram sem acesso às suas contas (e dinheiro) e sem conseguirem aceder via BBVA, deparando-se com inúmeras mensagens de erro de "contas erradas". Definitivamente, o mais distante que se poderia imaginar de uma experiência "simples" de utilização de um banco online.


Stadia vai deixar usar smartphone como gamepad nos televisores

A Google prepara-se para facilitar o uso do Stadia nos televisores. Parece estar para breve a chegada de uma nova capacidade, que permitirá dispensar o uso do Gamepad oficial do Stadia - que por agora é um requisito para se poder jogar na TV - e em vez disso permitirá utilizar o smartphone como controlador virtual.

Mais curioso ainda é que também é feita referência a um modo que permitirá utilizar um gamepad convencional para controlar o Stadia na TV, usando esse gamepad ligado ao smartphone, e com o smartphone a transmitir os controlos para o serviço Stadia.

Faltará ver se este último modo terá um impacto significativo a nível de tempo de reacção, mas o simples facto de dispensar o gamepad oficial poderá ser suficiente para que mais pessoas dêem uma oportunidade ao Stadia, já que poderão fazê-lo sem necessitar de qualquer investimento.


OneDrive ganha cast

Após vários anos, a Microsoft parece ter percebido finalmente a utilidade da função "cast", adicionando-a à mais recente versão da app OneDrive (6.29.1) para Android. Isto quer dizer que, a partir de agora, será extremamente simples fazer com que um vídeo ou outros conteúdos suportados sejam "atirados" para um televisor, ou smart devices compatíveis, para que possam ser vistos ou ouvidos sem necessidade de andar a saltitar entre diferentes apps e serviços.

No entanto, parece que nalguns casos a opção de cast continua sem aparecer, a não ser que se faça a desintalação e reinstalação da app. Também será necessário relembrar que a app só fará cast de conteúdos que a própria app consegue reproduzir - pelo que se tiverem um vídeo que a vossa Smart TV até consiga ler mas a app One Drive não, terão que continuar a recorrer a métodos alternativos para o fazer chegar ao televisor.


Amazon Prime com envio de 1 dia gratuito para Portugal

A Amazon está a repor a justiça geográfica para os utilizadores Amazon Prime portugueses. Depois de recentemente ter começado a disponibilizar envios gratuitos para Portugal sem o habitual limite mínimo de valor das compras, agora também já começa a disponibilizar o envio gratuito em 1 dia, tal como estava disponível para os clientes Prime em Espanha.

Este envio em 1 dia útil não está disponível para todos os produtos, mas vai aparecendo para alguns de valor mais elevado (tenho visto aparecer isto em produtos com valores de 100 euros ou mais).

Sempre é mais um aspecto a ter em conta a favor da adesão ao Amazon Prime.


Curtas do dia


Resumo da madrugada






Curiosidade do dia: O supercomputador Cray-1 entrou em operação em 1976 e tinha 8.39MB de memória e podia executar 160 MFLOPS. Tornou-se um dos mais bem sucedidos super-computadores de todos os tempos, com mais de 100 unidades vendidas. Hoje em dia, um smartphone pode ter mais de 8GB de RAM e executar mais de 1000 GFLOPS.

Entertainment Space para substituir o Google Discover / Feed (nos tablets)

10-05-2021 | 15:21 | Apps do Android

A Google vai finalmente dar algum tratamento diferenciado aos tablets Android, preparando um novo Entertainment Space para substituir o Google Discover / Feed.

Temos boas e más notícias para quem tem um tablet Android. A boa notícia é que a Google finalmente parece ter ganho consciência de que os tablets merecem um tratamento que não se limite a tratá-los como um smartphone em ponto grande, e para isso está a preparar um ecrã completamente renovado de acesso a informação recomendada para os utilizadores. A má notícia é que este novo Entertainment Space irá passar a ocupar o lugar do ecrã à esquerda do ecrã principal, que era ocupado pelo Google Discover / Feed.

Este novo espaço pretende agregar conteúdos dos diversos serviços que os utilizadores subscreverem, como Netflix, YouTube e outros, e divide-se por três áreas: vídeos, jogos e ebooks. A ideia é que os utilizadores possam simplesmente dar um salto a este espaço, e descobrir novas coisas para ver, jogar, ler; ou simplesmente para retomarem as coisas que estavam a fazer, de forma mais rápida do que tendo que saltar para as apps respectivas.
Isto pode também ser visto como uma forma da Google tentar controlar os conteúdos sugeridos, em vez de deixar que isso fique a cargo dos respectivos serviços - embora por agora não seja explicado se sera possível continuar a ter acesso ao Google Feed, caso o utilizador assim o prefira (se bem que, da forma que o Google Discover tem estragado as sugestões, não sei se ainda haverá muitas pessoas dispostas a depender dele).

Por agora a Google anuncia que este Entertainment Space será estreado em tablets da Walmart, sendo expandido a mais tablets mais para o final do ano.

Jailbreak de AirTags já permite mudar endereço a visitar

10-05-2021 | 14:30 | Aberto até de Madrugada

As AirTags da Apple já foram sujeitas às habituais experiências por parte dos curiosos, que já permitem fazer o "jailbreak" das mesmas e alterar o seu firmware.

Depois da conversão das AirTags em cartão e do modo developer, temos um investigador que já conseguiu modificar o seu firmware.

Por agora a modificação não foi muito radical, limitando-se a alterar o endereço URL associado à AirTag em NFC. Este endereço normalmente direcciona o utilizador (ou quem encontrar uma AirTag perdida) para o site de "perdidos e achados" da Apple; mas neste caso foi alterado para direccionar o utilizador para outro site - ao estilo do que se pode fazer com qualquer tag NFC programável.

Built a quick demo: AirTag with modified NFC URL 😎

(Cables only used for power) pic.twitter.com/DrMIK49Tu0

— stacksmashing (@ghidraninja) May 8, 2021

Será uma questão de tempo até que se explore mais a fundo o firmare das AirTags e potencialmente se ganhe acesso a mais parâmetros internos e potenciais alterações; e resta saber se isto irá "incomodar" a Apple ao ponto de dificultar este tipo de operações na próxima revisão que fizer ao hardware.

Malware XCodeGhost chegou a 128 mihões de iPhones em 2015

10-05-2021 | 13:00 | Aberto até de Madrugada

O caso Epic vs Apple revelou informação referente a uma das maiores campanhas de hacking nos iPhones, indicando que o malware XCodeGhost chegou a 128 mihões de iPhones em 2015.

A plataforma iOS da Apple é tida como "segura", com alguns casos ocasionais de malware que chega às apps por via de blocos de código de terceiros ou, mais raramente, através de vulnerabilidades 0-day que são usadas em ataques (como no célebre caso de hacking de activistas que ficaram com os iPhones infectados com uma simples mensagem via iMessage). Mas, uma das que afectou os iPhones em mais larga escala, foi o caso XCodeGhost em 2015, que agora emails da Apple confirmam que chegou a 128 milhões de iPhones.

O XCodeGhost foi um caso curioso, pois tratou-se de um ataque de hacking que foi lançado através da disponibilização de uma versão infectada do XCode, o sistema de desenvolvimento da Apple necessário para criar apps iOS. Estas versões infectadas foram disseminadas em fóruns, e tornavam-se apelativas a quem procurava uma forma mais rápida para fazer download desse software. Mas, como efeito secundário, todas as apps geradas por este XCode infectado, levavam malware incluído, tendo acabado por infectar mais de 2500 apps que foram disponibilizadas na App Store.

Felizmente, as capacidades do malware eram limitadas e não permitiam o acesso a informação privada - ou os hackers não chegaram ao ponto de implementar essas funcionalidades mais avançadas - pelo que o ataque acabou por não ter consequências gravosas. Ainda assim, os emails internos da Apple detalham as dificuldades em lidar com um caso de tal magnitude, referindo que se fosse necessário enviar um email para todos os utilizadores afectados, iriam demorar uma semana ou mais a enviar os 128 milhões de emails.

De uma colaboração a um retrato da solidão

10-05-2021 | 11:37 | Gonçalo Sá

BoysNoize_JakeShears_comp.jpg

BOYS NOIZE e JAKE SHEARS já não colaboravam desde 2012, ano da edição de "Magic Hour", o quarto e último álbum dos Scissor Sisters, do qual o DJ alemão foi um dos produtores. Depois disso, tinham criado um tema ouvido numa festa caseira do vocalista da banda, mas ainda numa versão demo e esquecido durante anos... até que BOYS NOIZE acabou por encontrar o disco onde estava guardado e voltou a trabalhá-lo.

"ALL I WANT" deve menos à house francesa que inspirou boa parte das produções de Alex Ridha e tem antes raízes na house de Chicago, com a batida metronómica e a voz em registo spoken word a fazerem a ponte entre 2021 e finais dos anos 80. A canção devolve Shears a ambientes electrónicos, regresso já sugerido pela explosiva "Meltdown" depois de um álbum de estreia homónimo mais contido e a explorar outros territórios.

Mas embora seja um single eficaz para as pistas, "ALL I WANT" arrisca-se a ficar ofuscado pelo videoclip, realizado por Dan Streit (Charli XCX, Mac DeMarco), que propõe um retrato simultaneamente satírico e melancólico da obsessão pelo corpo e pela imagem, entre a busca pela perfeição impulsionada pelas redes sociais e um dia a dia solitário. Aguardemos as remisturas, já garantidas e a cargo de Purple Disco Machine, de DJ Tennis e do próprio BOYS NOIZE, numa versão NRG.

Fabricantes automóveis abdicam dos extras tecnológicos para escaparem à falta de chips

10-05-2021 | 11:00 | Aberto até de Madrugada

O cenário da falta de chips está obrigar os fabricantes de automóveis a medidas drásticas, como a redução e remoção de alguns extras tecnológicos que se tinham tornado comuns nos últimos anos.

Nos últimos anos os carros têm tido cada vez mais componentes tecnológicos, que incluem coisas como ecrãs digitais no painel de instrumentos, espelhos retrovisores com ecrãs, e toda uma série de outros luxos electrónicos. Só que o panorama actual de escassez de chips está a força-los a reconsiderar essas opções, com diversos fabricantes a "andarem para trás" e regressarem aos sistemas mais antigos.

A Renault deixou de oferecer um painel digital de grandes dimensões no seu recente SUV Coupé Arkana, a Peugeot também regressou aos mostradores analógicos no 308, e a Nissan reduziu drasticamente o número de modelos pré-equipados com sistema de navegação. Praticamente todas as marcas estão a reservar os chips para os seus modelos mais dispendiosos, e fazendo com que na restante gama esses equipamentos digitais fiquem disponíveis apenas como extras opcionais em vez de serem incluídos de origem.
Não deixa de ser caricato que, estando-se a falar de automóveis de valor de 30, 40 ou 50 mil euros (ou mais), tudo possa ser posto em causa pela falta de chips que custarão alguns euros (ou cêntimos, nalguns casos). Mas, é um cenário que demonstra bem a importância da cadeia de fornecimento, e onde até o chip mais insignificante se pode tornar no "elo mais fraco" que impede a produção e consequente venda de um automóvel de valor imensamente superior.

Messenger chega aos 5 mil milhões de downloads na Play Store

10-05-2021 | 10:00 | Aberto até de Madrugada

O Messenger torna-se na terceira app não-Google a chegar aos 5 mil milhões de downloads na Play Store, completando um trio vitorioso para o Facebook.

Se atingir a marca dos mil milhões de downloads pareceria algo impensável há uns anos, hoje em dia já temos várias apps a cruzar a marca dos 5 mil milhões de downloads em Android. Mas, esse número torna-se ainda mais exclusivo quando se excluem as apps da Google, e o Messenger do Facebook torna-se na terceira app a fazê-lo, seguindo-se à app do Facebook em 2019 e o WhatsApp em 2020.
Com esta actualização o Messenger torna-se na 14ª app a entrar no clube dos 5 mil milhões de downloads, mas em que a grande maioria delas são - como referido - apps da Google que são incluídas de origem na maioria dos equipamentos Android, como a app da Google, Gmail, Google Maps, YouTube, etc.

Por outro lado, é também a constatação de como estes gigantes tecnológicos, apesar de todas as polémicas e críticas, continuam a ser de utilização imprescindível para grande parte dos utilizadores.


P.S. Continua a ser absurdamente ridículo o facto de na Play Store ser impossível ver o tamanho de uma app, sendo dito que "varia com o dispositivo". Custaria assim tanto dizer, como acontece na secção das compras in-app, que "pode ocupar entre X e Y megabytes"?

Headphones Corsair HS60 Pro a €54.99

10-05-2021 | 09:00 | Aberto até de Madrugada

Se gostam de ouvir todos os detalhes nos jogos, sem limitações de volume independentemente da hora do dia ou da noite, uns headphones gaming como estes Corsair HS60 Pro podem fazer toda a diferença.

Quer seja para poderem jogar jogos de guerra recheados de explosões às altas horas de madrugada, ou para facilmente comunicarem com os demais jogadores da vossa equipa, uns headphones gaming com microfone tornam-se num acessório indispensável. No caso destes Corsair HS60 Pro, temos direito às almofadas com espuma visco-elástica para maior conforto, e conta com o microfone amovível para que não fique a incomodar quando os quiserem utilizar apenas como headphones.
Estes Corsair HS60 Pro estão disponível por 54.99 euros na Amazon Espanha.

Se procurarem algo mais em conta podem espreitar os Corsair HS35 a 39.90 euros; ou se tiverem um pouco mais de liberdade orçamental e apreciarem graves que se podem sentir, podem considerar os Corsair HS60 Haptic a 99.99 euros - que já por cá passaram e nos surpreenderam pela positiva.

Todos eles têm em comum o microfone amovível, e os controlos (mute, volume, etc.) directamente nos headphones, dispensando a necessidade de um dongle pendurado no cabo.


Acompanha as melhores promoções diárias no nosso grupo AadM Promos.

Processadores Qualcomm com nova falha de segurança

10-05-2021 | 08:32 | Apps do Android


Descoberta nova falha de segurança que afeta os processadores da Qualcomm.

A Check Point Research (CPR), área de Threat Intelligence da  Check Point Software Technologies Ltd., fornecedor líder especializado em soluções de cibersegurança a nível global, identificou uma vulnerabilidade de segurança na gama de chips Mobile Station Modem (MSM) da Qualcomm, incluindo a versão 5G. Presente em quase 40% de todos os telemóveis do mundo, os MSM da Qualcomm estão na maioria dos dispositivos Android – até nos topo de gama, de marcas como a Google, Samsung, LG, Xiaomi e OnePlus. O chip é responsável pela comunicação móvel destes dispositivos, encarregando-se ainda de funcionalidades como a gravação de alta definição.

 

A vulnerabilidade de segurança permitiria que um atacante injetasse um código malicioso no chip MSM da Qualcomm, partindo do próprio sistema operativo Android. Depois, dar-lhe-ia acesso ao histórico de chamadas e SMS, permitindo ainda que o hacker ouvisse as conversas telefónicas do utilizador. Além disso, o atacante poderia desbloquear o SIM do dispositivo, ultrapassando, assim, as limitações impostas pelos fornecedores.

 

Sistema operativo Android, a porta de entrada

Os chips MSM da Qualcomm têm 2 interfaces primárias:

  1. Chip comunica com a rede móvel, como o 5G
  2. Chip comunica com o sistema operativo Android

 

A maior parte dos esforços, tanto de cibercriminosos, como de especialistas de segurança, procuram utilizar indevidamente o chip MSM da Qualcomm do lado da rede móvel. Contudo, a última investigação da Check Point Research focou-se na segunda interface, comprovando que o sistema operativo Android pode ser um ponto de entrada para o MSM.

 

A app maliciosa que fica invisível

Se explorada com sucesso, a vulnerabilidade revelada pela CPR pode permitir a qualquer aplicação maliciosa esconder a sua atividade no âmbito dos próprios chips, tornando-a completamente invisível para o sistema operativo Android ou quaisquer que sejam as medidas de segurança que este tenha. Por outras palavras, assumindo que o telemóvel está infetado com uma aplicação maliciosa, esta pode tirar proveito da falha de segurança para “esconder” grande parte das suas atividades, “debaixo” do sistema operativo do próprio chip. 

 

Chips para dispositivos móveis são frequentemente considerados bens preciosos para os ciberatacantes, especialmente os fabricados pela Qualcomm. Um ataque aos chips da Qualcomm tem o potencial de afetar centenas de milhões de telemóveis no mundo,” começa por dizer Yaniv Balmas, Head of Cyber Research at Check Point Software Technologies. “Ainda assim, pouco ou nada se sabe sobre as vulnerabilidades destes chips, devido à dificuldade no seu acesso e inspeção. Acredito que a nossa última investigação seja um enorme salto nesta área, uma vez que tem sido historicamente difícil para os especialistas de segurança inspecionar o código do modem. A nossa esperança é que a nossa investigação possa abrir portas para que outros especialistas possam ajudar a Qualcomm e outros fornecedores a criar chips melhores e mais seguros. Para os utilizadores de Android, a minha mensagem principal é que atualizem os sistemas operativos dos seus dispositivos.”

 

Dicas de segurança para os utilizadores de Android

  1. Tenha sempre o sistema operativo atualizado. Os dispositivos móveis devem estar sempre protegidos com a última versão do sistema operativo para que a exploração de potenciais vulnerabilidades seja prevenida.
  2. Utilize apenas fornecedores de aplicações oficiais. Instalar apps partindo apenas de fornecedores oficiais reduz a probabilidade de descarregar um malware móvel.
  3. Possibilite a limpeza remota. Ative esta funcionalidade no seu telemóvel para que a probabilidade de perder dados sensíveis seja minimizada.
  4. Instale uma solução de segurança no seu dispositivo.

 

A equipa da Check Point Research fez chegar as suas conclusões à Qualcomm, que confirmou o problema, notificando os respetivos fornecedores. A vulnerabilidade recebeu a seguinte classificação: CVE-2020-11292.