PlanetGeek

Como pôr um ESP32-CAM a funcionar

21-09-2019 | 17:30 | Aberto até de Madrugada


Criar uma câmara digital capaz de enviar imagens via WiFi é algo que agora está disponível por poucos euros e ao alcance de qualquer pessoa, graças a sistemas como o ESP32-CAM.

O ESP32-CAM é um dos kits mais irresistíveis para quem quiser criar a sua própria câmara IP capaz de fazer streaming via WiFi (e até reconhecimento facial directamente no micro-computador) - e que por cá já falamos, sendo possível apanhá-lo por menos de 5 euros quando está em promoção.


Mas hoje, o que trazemos é um tutorial que poderá auxiliar aqueles que não se sentirem tão à vontade a mexer neste tipo de coisa, sendo que não há motivo para "ter medo".

Passo por passo, este instructables explica tudo o que é preciso fazer para se colocar um ESP32-CAM em funcionamento, transmitindo imagens via WiFi que poderão ser vistas num browser.

Depois disso, como se costuma dizer, o céu é o limite, já que poderão começar a explorar coisas como detecção de movimento, reconhecimento facial (ou objectos), e considerar a sua interligação com mais sistemas. Por exemplo, com reconhecimento facial ligado a um Home Assistant, podem potencialmente usá-lo para que sejam seguidas rotinas diferentes quando se detecta a entrada em casa de membros diferentes da família: podendo começar a tocar a playlist de cada, por exemplo. :)

Galaxy Fold risca com facilidade mas resiste a dobragens

21-09-2019 | 15:30 | Aberto até de Madrugada


O Samsung Galaxy Fold está finalmente a chegar ao mercado em versão revista, mas embora tenha durabilidade garantida nalguns aspectos, há outros que continuam a levantar múltiplas questões para os potenciais interessados.

Depois de um adiamento de última hora quando estava prestes a ser lançado, por se ter descoberto que o Galaxy Fold era facilmente susceptível à entrada de detritos na zona da dobradiça, a Samsung passou os últimos meses a trabalhar numa correcção de emergência que agora será novamente posta à prova. Da parte da Samsung, dizem que o problema foi resolvido - embora continuem a recomendar que se seja "gentil" ao usar o smartphone.



Mas, quando sujeito aos testes nada gentis do JerryRigEverything, descobrem-se vários pontos preocupantes: o ecrã não tem qualquer resistência aos riscos (até as simples unhas provocam riscos permanentes), e o sistema melhorado de protecção da dobradiça continua a deixar entrar pó e areia para o mecanismo. Pela positiva, a dobradiça em si tem resistência suficiente para aguentar abusos em caso de se tentar dobrar o Galaxy Fold em sentido contrário ao que devia.

... Mas, será que se justifica gastar 2000 euros para ter um smartphone que inevitavelmente ficará com o ecrã riscado ao fim de poucos dias de utilização, e que se arrisca a começar a "ranger" quando se infiltrar pó e lixo na dobradiça? Será o mercado a responder, muito em breve.

Samsung divulga lista de smartphones com actualização garantida para o Android 10

21-09-2019 | 15:21 | Apps do Android


Segundo uma lista que apareceu recentemente, já podemos saber que smartphones e tablets da Samsung irão receber a desejada actualização para o Android 10.


Segundo uma imagem com a lista dos modelos Samsung com actualização para Android 10, serão actualizados:


Galaxy S Series

Galaxy S10 / S10+ / S10e / S9 / S9+

Galaxy Note Series

Galaxy Note10 / Galaxy Note10+ /Note9

Galaxy M Series

Galaxy M40 / M30 / Galaxy M30s / M20 / M10

Galaxy J Series

Galaxy J8 / J6 / J6+ / J4 / J4+ / J7 Duo / J7 2018 / J5 2018 / J3 2018

Galaxy A Series

Galaxy A90 5G / A80 / A70 / A60 / A50 / A50s / A40 / A30 / A30s / A20 / A20e / A10 / A10s / A10e / A9 Pro 2019 / A9 / A7 / A6 / A6+ / A8 / A8 Star Lite / A9 Star Lite

Galaxy Tab Series

Galaxy Tab S5e / Tab S4 / Tab A 2019 / Tab A 2018


Caso a lista se venha a confirmar, as principais ausências serão os Galaxy S8 e Note 8, que apenas poderão contar com actualizações de segurança por mais um ano.

Modo para óculos de realidade aumentada da Apple activado no iOS 13

21-09-2019 | 13:30 | Aberto até de Madrugada


O iOS 13 chegou com referências a óculos de realidade aumentada "StarBoard" da Apple, e há quem já tenha conseguido forçar esse modo para ver os resultados mesmo não se tendo óculos.

Tudo parece indicar que estes StarBoard funcionarão como óculos com ecrãs mas que deixarão todo o processamento a cargo dos iPhones; e embora o developer conhecido como xSnow no Twitter tenha conseguido forçar esse modo num iPhone X, rapidamente descobriu que este modo deverá ficar limitado aos iPhone 11 mais recentes (no iPhone X foi necessário contornar muitas restrições, e o resultado apresenta imagens com problemas).

Confirmed, there's no artifacts on Xs/Xr, and whole experience is a lot smoother. It appears that I've launched StarTester mode on my X in spite of all hardware locks:) pic.twitter.com/cAjmmbFbxG
— xSnow (@__int32) September 20, 2019


For example, there are 3D models for device displays, and this is luck's prototype display. pic.twitter.com/dkNGki2LRi
— xSnow (@__int32) September 20, 2019


Lá pelo meio até surgem referências a dispositivos concretos com diferentes características, como um "Franc" com campo de visão de 61° (47°x40°), "Luck" de 58° (46°x34°), e "Garta" de 68° (49°x47°).

Resta agora saber quando é que a Apple irá decidir apresentar estes óculos AR oficialmente.

ISS Globe faz piscar um LED quando a ISS passa no céu

21-09-2019 | 13:11 | A Minha Alegre Casinha


Ideal para todos os que sentem um fascínio pelo espaço e procuram uma forma fácil de saber quando a estação espacial internacional está a passar por cima das suas cabeças, temos este projecto ISS Globe.

A ISS dá uma volta ao planeta a cada 92 minutos, pelo que não será difícil apanhá-la no céu. No entanto, há formas mais fáceis de saber quando podemos vê-la a percorrer o firmamento a alta-velocidade, como nos mostra esta ISS Globe.

Este projecto de baixo custo recorre a um NodeMCU e um LED para criar um sinalizador luminoso que pisca quando a ISS passar por cima de nós, e a parte que me parece mais interessante não é a sua funcionalidade, mas sim o facto de permitir demonstrar algumas funcionalidades extremamente importantes a qualquer pessoa que se inicie nestas coisa. Neste caso, a parte de fazer a interligação entre outros serviços e um micro-controlador nosso (que neste caso é feito via IFTTT - pelo que automaticamente abre as portas a uma infinidade de possibilidades: como fazer piscar um LED quando recebemos um email urgente, ou quando o sol se põe, ou quando vai chover, ou quando a temperatura sobe acima de um certo valor, ou... Já começam a perceber as possibilidades...)

Um excelente projecto para se entreterem num fim-de-semana. :)


Tesla confirma tempo de 7:20 no Nürburgring

21-09-2019 | 11:00 | Aberto até de Madrugada


Depois dos rumores surge a confirmação: a Tesla diz que o Model S pode fazer 7:20s no Nürburgring, mas que acredita poder baixar o tempo para os 7:05s no próximo mês.

A comunidade automóvel tem estado em alvoroço depois de surgir uma cronometragem não oficial ter indicado que o Model S (na nova versão Plaid com três motores) tinha conseguido um tempo de 7:23s, sendo cerca de 20 segundos mais rápido que o recorde anunciado pela Porsche para o Taycan.

Agora, a Tesla não só confirma que os testes feitos com os Model S no Nürburgring já permitiram apontar aos 7:20s, como acredita que na próxima sessão de testes a realizar no próximo mês, conseguirá reduzir esse valor para os 7:05s.

Data from our track tests indicates that Model S Plaid can achieve 7:20 at the Nürburgring.

With some improvements, 7:05 may be possible when Model S returns next month.
— Tesla (@Tesla) September 19, 2019




Caso o consiga fazer, isso faria com a nova geração dos Model S ficaria com tempos idênticos aos de um Mercedes-AMG GT R Pro ou Porsche 911 GT3 RS, e começando a aproximar-se da marca dos sub-7:00 que até aqui só tem conseguido ser atingida por carros mais "radicais". E chegando aí, "só" faltam 15 segundos para estar a disputar o recorde absoluto da pista, que neste momento pertence a um Lamborghini Aventador LP770-4 SVJ (6:44.97s) - tempo que Elon Musk já referiu que seria batido, de certeza, pelo Tesla Roadster.

... Acho que por esta altura a Porsche já estará arrependida por sequer ter falado em recordes no Nürburgring, ao ver um carro familiar de 4 portas da concorrência a ficar à frente de muitos dos seus 911.


P.S. Como curiosidade, a Tesla divulgou alguns gráficos com os valores da potência e aceleração ao longo do circuito.




P.S.2. Como curiosidade adicional, um dos Model S avariou, e ao aguardar para ser retirado da pista foi ultrapassado por um... Porsche Taycan. :)



iPhone 11 vem com novo sistema para lidar com baterias velhas

21-09-2019 | 10:00 | Aberto até de Madrugada


Com a chegada dos iPhone 11 chega a preocupação sobre como irão lidar com as baterias após algum tempo de utilização; e desta vez a Apple - sem entrar em detalhes - diz que recorreu a um novo sistema para tentar evitar o impacto no desempenho como acontecia nos modelos anteriores.

Foi há quase dois anos que, a muito custo, a Apple lá foi obrigada a reconhecer aquilo que os utilizadores já tinham comprovado há muito: que havia um sistema que reduzia o desempenho dos iPhones quando a bateria envelhecia. O resultado foi começar a exibir informação sobre o estado da bateria e dar a opção aos utilizadores de manterem o desempenho máximo nos seus iPhones, embora arriscando-se a poder enfrentar reboots inesperados em situações que a bateria não seja capaz de fornecer a energia necessária.

Mas para os iPhones 11 a Apple vai aplicar um sistema diferente. A Apple diz que os iPhones 11 têm um sistema mais avançado que analisa e faz a gestão contínua dos consumos necessários, ajustando-os à capacidade do estado actual da bateria. A expectativa é que, com isto, se evitem as situações em que ocorrem abrandamentos substanciais sem que tal fosse necessário.

Ainda assim, os utilizadores continuarão a ter acesso às informações do estado da bateria e nível de desempenho dos iPhone 11, tal como tinham nos iPhones anteriores. E assim sendo, será mais fácil detectar e identificar o motivo de uma potencial redução no desempenho - que originalmente era feita secretamente e sem qualquer indicação (e ainda valendo acusações de "teorias de conspiração" a quem se queixava do problema!)

Android 10 já está disponível para OnePlus 7 e 7 Pro

21-09-2019 | 09:06 | TecnologiaHoje

Android 10 já está disponível para OnePlus 7 e 7 Pro


Boas notícias para todos aqueles que têm um OnePlus 7 ou um OnePlus 7 Pro. A OnePlus iniciou a implementação da atualização do OxygenOS 10.0, que inclui o Android 10, a última versão do Android lançada há menos de um mês.

Todas as novas funcionalidades do Android 10, tais como maior privacidade com novas configurações, estão presentes, bem como alguns elementos específicos da OnePlus. O fabricante diz que adicionou novas opções de gestos de navegação, um novo espaço que lista todos os jogos, uma opção para bloquear spam SMS de acordo com palavras-chave, personalização para a forma de ícones em configurações ou as chamadas informações "inteligentes" de acordo com o tempo, localização e eventos para o display ambiente.

A OnePlus informou também que a atualização está sendo implementada gradualmente. A OnePlus salienta ainda que o método VPN para alterar a sua localização e forçar a actualização não funciona porque a sequência de implementação não está associada a um determinado país.

A OnePlus informou ainda que outros smartphones da marca terão direito ao Android 10, mas ainda não adiantou quais os modelos.

SpaceX mostra compilação dos testes da Crew Dragon

21-09-2019 | 09:00 | Aberto até de Madrugada


A cápsula Crew Dragon da SpaceX tem a importante responsabilidade de levar astronautas até ao espaço, e depois da explosão num dos testes, temos uma compilação que mostra alguns dos mais de 700 testes que já foram realizados aos testes responsáveis pelo seu sistema de escape de emergência.

A Crew Dragon já foi até à ISS - sem tripulação a bordo - e antes disso poder acontecer será necessário demonstrar a sua capacidade de efectuar uma manobra de escape de emergência durante o lançamento, que garanta a segurança dos tripulantes. Para isso a cápsula terá que depender dos seus oito motores SuperDracos, que poderão afastar a cápsula quase um quilómetro em apenas 7.5 segundos, atingindo uma velocidade máxima de 702 km/h.

Ahead of our in-flight abort test for @Commercial_Crew—which will demonstrate Crew Dragon's ability to safely carry astronauts away from the rocket in the unlikely event of an emergency—our team has completed over 700 tests of the spacecraft's SuperDraco engines pic.twitter.com/nswMPCK3F9
— SpaceX (@SpaceX) September 12, 2019


Vai ser seguramente um teste impressionante de se ver... e que se espera que corra bem, para que se possa prosseguir com os planos de transportar pessoas.

Quando o smartphone pode ajudar a detectar problemas com o acne

21-09-2019 | 08:32 | Apps do Android


A pele, tal como de resto todas as partes do corpo, devem ser alvo de atenção permanente, por forma a prevenir possíveis problemas. A aplicação Effaclar Spotscan pretende ser um precioso auxiliar, para ajudar a detectar problemas com o acne, com o smartphone a poder ajudar nesta tarefa  de cuidado da pele.


Esconder o rosto ou comparar-se com regularidade aos padrões de beleza impostos durante décadas pela publicidade e pelas contas que segue nas redes sociais deixarão de ser preocupações do século XXI – e, claro, suas! Apesar da acne, com os seus inestéticos pontos negros e borbulhas, se afirmar como uma problemática de pele universal que se faz anunciar de rompante e nos momentos em que menos esperamos (e precisamos) – da infância para a adolescência e desta para a vida adulta – , a La Roche-Posay apresenta agora um serviço gratuito que permite saber o nível da acne através de inteligência artificial – Effaclar Spotscan (https://pt.spotscan.com).

Aliando a tecnologia e a saúde, a marca francesa desenvolveu um serviço pioneiro que pretende ser uma extensão de uma consulta com um dermatologista especialista. Nesse sentido, através do Effaclar Spotscan é possível ter um acompanhamento personalizado e um follow-up após o diagnóstico.

A grande inovação passa, precisamente,pelo recurso a inteligência artificial e de que forma é feita uma avaliação do nível da acne. Além disso, o utilizador consegue ter uma noção mais precisa do progresso do tratamento, já que ao olhar-se ao espelho todos os dias,esta perceção muitas vezes acaba por não ser tão fidedigna. Assim, graças ao Effaclar Spotcan é possível evitar uma limpeza excessiva da pele com agentes irritantes, a proliferação bacteriana e as células mortas, e ter ainda uma dose extra de motivação para manter a pele saudável por muitos mais anos. 

Mas como funciona então esta análise, que parece tão simples e fácil de concretizar? Basta aceder ao site https://pt.spotscan.com ou descarregar a aplicação “Effaclar Spotcan” para o smartphone – gratuita para os sistemas operativos Android (5.0 e versões mais recentes) e iOS (iPhone 5s e sucessores) – e captar três fotografias: frontal e perfis direito e esquerdo.  A partir daí, o serviço irá analisá-las ao mais ínfimo detalhe, localizar quaisquer imperfeições, diferenciando-as entre si (borbulhas, pontos negros e marcas de pigmentação), e, assim, delimitar o nível de acne da pele; sendo que, a partir de um grau 2, Effaclar Spotcan aconselha uma consulta presencial com um dermatologista. Por sua vez, através de um simulador Antes/Depois, é possível ter um preview dos resultados esperados com a rotina sugerida e acompanhar o estado de evolução, graças ao Diário da Pele.

Como foi desenvolvida esta aplicação?
Para desenvolver um algoritmo preciso e inovador, a La Roche-Posay convidou dermatologistas nacionais e internacionais a analisarem mais de seis mil fotografias de homens e mulheres de uma miríade de etnias, tipos de pele e níveis de gravidade da acne, numa escala de 0 a 4+. Numa ótica de ‘win win’ entre os pacientes e os médicos, o serviço recomenda então uma rotina diária de limpeza e de hidratação para uma pele oleosa com tendência acneica baseada na gama Effaclar.


Pocket Casts angustia utilizadores vitalícios

20-09-2019 | 20:00 | Aberto até de Madrugada


A app Pocket Casts (de podcasts) é a mais recente a enfrentar dificuldades ao tentar passar da modalidade de pagamento único para subscrição, especialmente após ter informado os utilizadores que já tinham pago pelo acesso "vitalício" à modalidade Plus teriam que começar a pagar mensalidade.

Esta não é a primeira vez que uma app que promete acesso vitalício acaba por quebrar esse compromisso com os seus utilizadores (lembro-me de como isso levou ao fim da app Cerebrus), embora seja compreensível que qualquer app que preste um serviço com gastos recorrentes não seja fácil de sustentar através de um único pagamento por cada utilizador. A transição para a modalidade de subscrição faz sentido, mas isso não significa que se deva aceitar a quebra do "contrato" a quem já tinha pago pela app.

Os responsáveis do Pocket Cast começaram por dizer que iriam oferecer três anos de acesso ao Pocket Casts Plus a quem tivesse pago pela app, mas obviamente que isso não acalmou os ânimos desses utilizadores, especialmente por se tratar de uma app que até dava destaque a não ser uma app freemium nem ter subscrições!


Anteriormente, era apenas pedido um pagamento único de $9, que agora na nova modalidade de subscrição passa a $0.99/mês ou $10/ano.

Felizmente, desta vez os responsáveis pela app mostraram estar atentos, e optaram por manter a sua clientela satisfeita, dizendo que irão manter o acesso vitalício ao Pocket Casts Plus, na web e nas apps, a todos os utilizadores que já tivessem pago os tais $9.

Uma medida positiva, que só deixará de o ser se, devido a isso, a empresa acabar por encerrar por inviabilidade financeira daqui por uns meses, fazendo com que o "vitalício" também deixe de o ser.

Google começa a mostrar secções dos vídeos nas pesquisas

20-09-2019 | 17:30 | Aberto até de Madrugada


Da próxima vez que estiverem a procurar algo num vídeo, não se admirem se virem o Google a apresentar diferentes secções / capítulos que permitem saltar exactamente para o ponto que se deseja.

Não há nada mais irritante do que querer dar com determinada parte num vídeo longo, e ter que andar para trás e para a frente, às "cegas", a tentar encontrá-lo - algo nada facilitado pela tendência de muitos vídeos no YouTube prolongarem desnecessariamente a conversa para atingirem a marca mágica de mais de 10 minutos para poderem apresentar mais publicidade.

De forma idêntico aos capítulos nos filmes Blu-ray, também os vídeos do YouTube passam a poder contar com secções diferenciadas, que podem ser apresentadas nos resultados das pesquisas, permitindo que os utilizadores saltem directamente para a parte que lhes interessa.

A parte mais desanimadora é que, quando se esperava que isto fosse feito com recurso à magia do reconhecimento de imagens da Google, descobre-se que afinal se trata de uma segmentação feita manualmente pelos próprios criadores de vídeos. Algo que elimina erros potencialmente embaraçoso das "inteligências artificiais", mas resulta em trabalho acrescido para quem edita os vídeos - e também abre as portas a descrições abusivas ou falsificadas (ao estilo dos thumbnails enganadores que continuam a ser utilizados frequentemente para ilustrar vídeos).

Escova de dentes Xiaomi So White a €11

20-09-2019 | 16:30 | Aberto até de Madrugada


Não há melhor desculpa para usar tecnologia do que quando é para tratar de nós, e neste caso uma melhor saúde oral está à distância de poucos euros, com uma escova de dentes eléctrica Xiaomi So White.

Já temos falado de escovas de dentes que contam com ligação Bluetooth para manter um registo no smartphone (e análise da qualidade do processo de escovar os dentes), mas neste caso trata-se de uma escova eléctrica mais simples - e barata - que se foca apenas na tarefa de multiplicar a eficiência da escovagem.


A escova Xiaomi So White custa apenas 11.59 euros.

Tal como noutras escovas eléctricas, podemos escolher entre várias intensidades de vibração, e temporizador integrado para que não se fique na dúvida se já escovamos os dentes pelo tempo recomendado. Vem com base de carregamento - embora cada carga dê para 25 dias de utilização - pelo que a poderão levar nas férias sem necessidade de levar o carregador, o que é sempre simpático.

Normalmente, os dentes são algo a que só se dá valor depois de se "ficar sem eles". Sabendo que por um valor tão reduzido podemos maximizar o processo de os manter limpos e saudáveis, nem dá para se pensar duas vezes.

Notícias do dia

20-09-2019 | 15:30 | Aberto até de Madrugada

Vodafone lança tarifários ilimitados RED Infinity em Portugal; relatos de problemas nos pagamentos com Apple Pay levantam suspeitas sobre SIBS e Unicre; teclado do iOS 13 vem com "swype" multi-língua (e também vimos como apagar apps no iOS 13); que smartphones Samsung vão receber Android 10; e alerta para burlas no MB Way tentam associar cartões a telemóveis alheios.

Antes de passarmos às notícias do dia temos um novo passatempo gadget da semana, que te pode valer um smartwatch Bilikay SN58, e também temos alguns livros da FCA para dar.

Amazon vai comprar 100 mil carrinhas eléctricas



Procurando responder às críticas de não estar a fazer o suficiente para combater as alterações climáticas, a Amazon revelou um ambicioso programa para atingir as zero emissões de carbono em 2040, e que incluirá a aquisição de 100 mil carrinhas eléctricas da Rivian para fazer as entregas.

A Amazon já tinha feito um investimento na Rivian no início do ano, e esta encomenda torna-se na maior de sempre de veículos eléctricos. Esperemos que possa servir de exemplo para que outras empresas também aceleram a transição para veículos não poluentes.


Tags de localização da Apple continuam a intrigar




A Apple não revelou as tags de localização ultra-wideband que se esperavam para a apresentação do iPhone 11, mas as referências às mesmas continuam a surgir por todo o lado. Novas imagens revelam como essas tags se enquadrarão com a nova app "Find My" do iOS 13, que englobou as capacidades do Find my iPhone and Find my Friends, e que eventualmente passará também a ter uma secção para as novas tags.

A grande questão é saber quando é que a Apple irá apresentar estas tags, esperando-se que não se assista a um novo episódio estilo AirPower (sendo que esse foi complicado pelo facto da Apple o ter apresentado oficialmente... para depois de muitos atrasos, acabar por apagar todas as referências ao mesmo, e o cancelar).


Huawei apresentou novos Huawei Watch GT 2




A par dos novos Mate 30 (sem apps da Google), a Huawei revelou também o seu novo smartwatch, o Huawei Watch GT 2 com LiteOS, que estreia um chip criado especificamente para este tipo de aplicação, o Kirin A1, e que com isso consegue atingir uma autonomia mais prolongada.

O Watch GT 2 chega em versões de 42mm e 46mm, conta com tracking de mais actividades desportivas, e (no modelo de 46mm) pode funcionar durante um período de até duas semanas, com o monitor inteligente de frequência cardíaca, as funções de notificação de chamadas, uso semanal de até 30 minutos de chamadas em Bluetooth, até 30 minutos de reprodução de música, até 90 minutos de exercício e usando o modo de sono científico à noite. No modo desportivo com GPS, a autonomia é de 30 horas. Para o modelo de 42mm, a autonomia cai para cerca de metade em ambos os cenários.


Apple antecipa iOS 13.1 e iPadOS para 24 de Setembro



Tornando ainda mais estranho o lançamento do iOS 13 ontem (19 de Setembro), quando o iOS 13.1 e iPadOS já estavam prometidos para 30 de Setembro, a Apple antecipou essa data para 24 de Setembro. Ou seja, quem fez ontem (ou hoje) a actualização, estará a repetir o processo daqui por 4 dias.

O iOS 13 contém alguns bugs (não críticos) que indicam ter sido lançado à pressa, e espera-se que o iOS 13.1 os venha resolver. Resta agora saber porque é que a Apple não se limitou a adiar a chegada do iOS 13 e lançar logo o 13.1, já que se está a falar de tão poucos dias de diferença.


Curtas do dia


Resumo da madrugada

Como um simples SMS pode ser suficiente para controlar um smartphone

20-09-2019 | 15:21 | Apps do Android


Investigadores da AdaptiveMobile Security descobriram um novo tipo de ataque - Simjacker - que permite controlar remotamente smartphones, telemóveis e até equipamentos IoT com cartões SIM, através de simples SMS.


O que diriam se bastasse um simples SMS, que nem sequer apareceria na lista de SMS recebidos num telemóvel, para saber a localização de um smartphone, poder efectuar chamadas para qualquer número, enviar SMS, ou até abrir uma página maliciosa na internet? Poderia parecer algo saído de um filme de ficção, mas infelizmente volta a demonstrar-se que é mesmo realidade.

O ataque Simjacker é transversal aos diferentes sistemas mobile (Android, iOS, etc.) uma vez que não ataca directamente o sistema operativo do dispositivo, mas sim as capacidades do chip no cartão SIM. Raramente pensamos no cartão SIM (a não ser quando se muda de telemóvel), mas a verdade é que no seu interior se encontra um micro-computador com bastantes capacidades. Infelizmente são capacidades que hoje em dia se podem considerar obsoletas, como seu "S@T Browser" integrado, que permite realizar uma série de funções e que se torna na porta de entrada para este ataque Simjacker.


Enviando SMS especiais, é possível activar estas funcionalidades "esquecidas", de modo a obter a localização do dispositivo, fazer com que envie SMS para outros números, fazer chamadas (permitindo que se possa escutar o alvo remotamente), ou direccioná-lo para uma página na web onde exista malware que tente tirar partido de outras vulnerabilidades. Mais grave ainda, este tipo de ataque não é apenas teórico, tendo sido detectada a sua utilização durante pelo menos um par de anos.

O ataque funciona até com dispositivos que trocaram o cartão SIM físico pelo eSIM integrado, e vem demonstrar que, hoje em dia, não se pode ter a garantia que nada seja "absolutamente seguro".

Por agora o recomendado é que os operadores bloqueiem este tipo de SMS nas suas redes, mas haverá milhares de milhões de dispositivos com cartões SIM que permanecerão vulneráveis a este Simjacker.
https://www.adaptivemobile.com/blog/simjacker-next-generation-spying-over-mobile

Sony LSPX-S2 Glass Sound Speaker

20-09-2019 | 14:30 | Aberto até de Madrugada


As colunas de som Bluetooth são, hoje em dia, um dos acessórios que por norma surgem associados aos smartphones, constituindo-se como uma excelente alternativa para melhorar a reprodução de som nestes equipamentos. A Sony LSPX-S2 Glass Sound Speaker é disso exemplo, disponibilizando uma excelente experiência sonora, que surge associada a um design original, fazendo desta coluna um ornamento que se enquadra na perfeição numa casa com linhas modernas.


A coluna tem o formato de um candeeiro, que é constituído por duas zonas distintas: a base maioritariamente em metal, e a zona de iluminação tubular em vidro. Para dar estabilidade ao conjunto, ao mesmo tempo que reduz as vibrações, a Sony utiliza um anel em borracha, que é ladeado por uma banda em tecido, com cerca de um centímetro de altura.


É nestas duas zonas que encontramos todos os botões e ligações. Na zona inferior, botões para controlar a intensidade da iluminação, reset, timer/wps, configurar o Bluetooth e dois LEDs de estado, WiFi e Bluetooth.


Na zona de tecido, dois botões com LEDs de estado, a porta micro USB para carregamento e uma entrada de som via ficha de 3,5mm. Um dos botões serve para ligar/desligar a coluna, o outro tem uma finalidade curiosa.




Quando tocava neste botão ouvia uma música via Spotify diferente da que estava na minha lista de reprodução. A explicação acabou por estar no site da marca, com a funcionalidade "Push & Play" a permitir ouvir a última faixa reproduzida no Spotify, uma música favorita ou uma recomendação de lista de reprodução do Spotify. Ficou assim esclarecido este pequeno mistério.




Para controlar o volume, a Sony disponibiliza mais dois botões, à direita da entrada de 3,5mm



Ligada a coluna, há que a configurar, quer seja através da ligação WiFi, ou emparelhando a mesma com a fonte de áudio, o qual pode ser feito via Bluetooth, ou de forma mais simples e expedita com NFC. A entrada de 3,5mm, será sempre um alternativa válida para reprodução de áudio, dispensado a utilização de tecnologias sem fios.

Quando ligada à rede WiFi, caso tenham um conta Spotify, poderão utilizar o Spotify Connect, não tendo que estar ligados directamente à coluna. Via Bluetooth, podem utilizar a app de eleição, para reprodução de conteúdos, mas para explorar a coluna na sua plenitude, recomenda-se a utilização da aplicação "Music Center", a qual está disponível para iOS e Android.

A aplicação é bastante completa, permitindo controlar remotamente a luminosidade e a música, ou para definir o temporizador para desligar. Como fonte de conteúdos, permite utilizar o armazenamento interno, Google Play Music, Apple Music, equipamentos DLNA, a entrada de som através da ficha de 3,5mm e Spotify. A oferta é bastante completa, fazendo desta app uma excelente opção para reprodução de conteúdos áudio, visto cobrir um alargado espectro de fontes de som, Hi-Res, incluído.


É possível ajustar o som através das funções de equalização disponibilizadas na app, assim como controlar o tipo de luz, podendo a mesma imitar uma vela, algo que poderá ser interessante, para garantir um ambiente mais intimista. A lamentar o facto de o tubo de vidro não poder ser utilizado de outras formas, que seja com outro tipo de efeitos com a luz amarela, quer seja com leds RGB, para disponibilizar um tipo de iluminação mais versátil.


Em termos de qualidade sonora, a primeira vez que se utiliza a coluna, é quase que por certo acompanhada de um "uauu!" É um "estalo" que não se espera de um corpo com tão reduzidas dimensões. Claro que este cartão de visita leva a que se experimentem vários conteúdos e cenários de utilização, sendo recomendável que se utilizem fontes de som de elevada qualidade, sendo o Spotify algo curto neste aspecto.




Os agudos são vibrantes, com a zona tubular a maximizar o tweeter.  O radiador passivo faz um bom trabalho nos graves, dando corpo à musica mais pesada. A experiência é interessante, mas o facto de termos apenas uma coluna, acaba por limitar o efeito do estéreo, algo que poderá ser colmatado com o emparelhamento de uma segunda coluna, duplicando os 11W de potência sonora.

O desempenho da coluna, levou a que se comparasse a mesma com um sistema áudio com amplificador Denon e quatro colunas KEF, acompanhadas de coluna central e subwoofer. Se em termos de pureza dos agudos não existe uma diferença assinalável, o mesmo não se poderá dizer dos graves, notando-se uma clara diferença em termos de estrutura. Poderá o leitor dizer que esta é uma comparação que não faz sentido, o que acaba por ser verdade, mas há que contabilizar o peso do preço, no valor global do produto, sendo este o motivo para a comparação entre os dois sistemas de som.


É que o seu ponto mais penalizador acaba por estar no preço, com a Sony a cobrar um valor premium por esta coluna LSPX-S2 Glass Sound. Com um preço recomendado de 600€, este acaba por ser um produto só ao alcance de carteiras mais recheadas, disponíveis para investir num produto singular, que junta o design exclusivo a uma interessante experiência sonora.

Teclado do iPhone no iOS 13 vem com "swype" multi-língua

20-09-2019 | 13:00 | Aberto até de Madrugada


Uma das novidades no recém-lançado iOS 13 é que o teclado finalmente passa a contar com a capacidade de escrita por gestos - e embora não seja feita referência a isso, parece lidar bem com escrita multi-língua.

Embora o "Swype", que popularizou este método de escrita de deslizar o dedo pelas letras se tenha iniciado como uma app iOS, foram necessários muitos anos até que o iOS finalmente permitisse a utilização de teclados não-oficiais; sendo que por essa altura isso já se tinha tornado comum em praticamente todos os teclados que existam para Android. Para os fãs deste tipo de escrita, usar este método obrigavam a recorrer a teclados como o SwiftKey (agora da Microsoft) ou o Gboard da Google.

No caso da Apple, o sistema é chamado QuickPath e está activado de origem, sem interferir com a escrita normal ou o método de transformar a área do teclado num trackpad para posicionamento do cursor (com um toque mais prolongado). Mas a melhor parte é que já nesta versão inicial suporta a escrita multi-língua, que é um dos elementos que se revela indispensável para alguns utilizadores e que nem sempre estava presente nos teclados que suportavam "swype".

O teclado da Apple ainda não permite usar português e inglês simultaneamente no método de escrita normal, sendo necessário alternar manualmente entre um ou outro, mas ao se utilizar o QuickPath o gesto de deslizar não tem problemas em deixar escrever palavras em inglês mesmo estando com o teclado português seleccionado - sempre prático para utilizar uma ou outra palavra inglesa no meio de uma frase em português.

Para quem utilizava o SwiftKey, Gboard, ou outros teclados, unicamente pela sua funcionalidade de escrita multi-língua a deslizar, com o iOS 13 poderá reconsiderar a sua desinstalação.

Sensor de temperatura e humidade Xiaomi a €7

20-09-2019 | 12:36 | A Minha Alegre Casinha

A Xiaomi veio revolucionar o sector das "casas inteligentes" com o seu conjunto de sensores de baixo custo, e a demonstrá-lo está o seu sensor de temperatura e humidade, disponível por apenas 7 euros.

O principal entrave à transição para casas mais inteligente é, invariavelmente, o custo dos equipamentos. Com a chegada da Xiaomi ao sector, isso deixou de ser problema, já que temos acesso a um conjunto diversificado de sensores (movimento, temperatura, água, etc) e aparelhos (câmaras, aspiradores, filtros de ar, etc.) com preços ultra competitivos. Pelo preço que dantes se poderia comprar um único dispositivo para monitorizar a temperatura e humidade numa divisão, podemos agora comprar sensores wireless para espalhar pela casa toda.


Este sensor Xiaomi de temperatura e humidade está disponível por apenas 7.48 euros.

Ter em conta que será necessário ter um Gateway da Xiaomi, ou um sistema alternativo que permita aceder a este sensor (como por exemplo, um sistema com Home Assistant e uma pen ZigBee - que terá a vantagem adicional de evitar a dependência no gateway e app da Xiaomi). Ainda assim, para quem simplesmente quiser uma solução pronta a usar, a solução da Xiaomi é bastante simples e funcional - e acima de tudo, económica.

Depois, basta dar-lhes o uso pretendido, quer seja para automatizar um ar-condicionado, ou desumidificadores, ou para determinar quando abrir ou fechar estores ou janelas; ou simplesmente para manter um registo da temperatura e humidades ao longo dos dias, meses, anos.

Vodafone lança tarifários ilimitados RED Infinity em Portugal

20-09-2019 | 11:00 | Aberto até de Madrugada


Depois de outros países, a Portugal lança finalmente em Portugal um tarifário ilimitado de voz, SMS, e dados móveis: o RED Infinity.

O RED Infinity da Vodafone vem dar resposta a quem deseja ter um uso de dados completamente despreocupado, e abre as portas à possibilidade de realmente se começar a tirar partido das futuras ligações sem 5G sem receio de que o limite de dados do tarifário se esgote em poucos segundos. Este tarifário ilimitado promete chamadas, SMS e dados verdadeiramente ilimitados, e chega em duas versões:
  • Red Infinity - com velocidade até 10Mbps, por €39.9/mês
  • Red Infinity Giga - com velocidade até 1Gbps, por €49.9/mês

Há ainda a possibilidade de adicionar até 3 cartões adicionais ao tarifário, com desconto de €15 na mensalidade de cada um. Cada cartão extra ficará por 24.9€/mês (Red Infinity) ou de 34.9€/mês (Red Infinity Giga).

A Vodafone diz que estes tarifários ilimitados Infinity estarão também disponíveis para clientes empresariais, e também integrar os planos convergentes para os clientes fibra, com novas modalidades TvNetVoz+Móvel Infinity e TvNetVoz+Móvel Infinity Giga (no momento do agendamento deste artigo, ainda não apareciam no site para se avaliar o seu posicionamento face aos pacotes com limites).

[não está em português, mas a ideia é a mesma]

Há muito que pedíamos aos operadores nacionais que disponibilizassem tarifários verdadeiramente ilimitados no nosso país, para que se possa entrar numa era em que a utilização do smartphone possa ser feita com total despreocupação, independentemente de se estar ligado a uma rede WiFi ou não. É bom ver que a Vodafone finalmente ouviu e nos dá essa oportunidade. Agora resta saber quanto tempo irá faltar para que os outros operadores sigam o exemplo - sendo que, conhecendo-se o panorama nacional, é de esperar que rapidamente surjam tarifários com preços que, por total coincidência, serão idênticos, ao cêntimo.


P.S. Para umas contas rápidas: Um pack Red Infinity Giga para 4 pessoas ficará por €154.6/mês, o que resulta em €38.65/mês por pessoa, o que não é nada mau para dados ilimitados a 1Gbps. No caso de se contentarem com os 10Mbps, o valor seria de €114.6, ou €28.65/mês por pessoa. Isto para os packs RED Infinity normais, sem estarem integrados nos pacotes fibra. Se estiverem a pagar mais que isto por um tarifário com dados limitados, é altura de mudar de tarifário.

Como apagar apps no iOS 13

20-09-2019 | 10:00 | Aberto até de Madrugada


A chegada do iOS 13 marca o fim do 3D Touch, e com isso chegam algumas alterações na forma como se apagam as apps.

Durante a apresentação do iPhone 11 a Apple centrou-se nas novidades, mas não perdeu tempo a explicar porque decidiu dizer adeus ao 3D Touch, que há alguns anos atrás tinha sido apresentado como sendo a "próxima grande revolução do touch". Com a chegada do iOS 13, até os iPhones que suportavam 3D Touch deixam de lhe dar uso, e agora um toque passa a ser apenas um toque, indiferente da força com que for feito.

Com isso, muda-se o processo de acesso aos atalhos e modo para ordenar ou apagar apps, que nos iPhones com 3D Touch recorriam a toques com pressões diferenciadas. Agora, a diferenciação é feita pela duração do toque. Um toque ligeiramente mais demorado dá acesso aos atalhos; e para se ter acesso ao modo de reordenar as apps - ou eliminá-las - podemos ir por dois caminhos:
  • manter o toque durante mais alguns segundos, mesmo depois de ter aparecido o menu de atalhos, para que os icons das apps comecem a "tremer", permitindo que sejam eliminadas ou movidas
  • quando surge o menu de atalhos, escolher a opção "rearrange apps", que dá acesso ao mesmo modo

Pessoalmente, não irei sentir a falta do 3D Touch no dia a dia, pois a sua implementação sempre me pareceu confusa. No entanto, vou sentir saudades dele no caso de apps de música que tiravam partido da sensibilidade à pressão. A opção da Apple o fazer desaparecer demonstra que nunca chegou a ter o nível de utilização esperado, e o iOS 13 vem demonstrar que a utilização de toques ligeiramente mais longos - como utilizados no Android há muito - serve perfeitamente e é de utilização muito mais natural. (Até o atalho para transformar o teclado em trackpad para posicionar o cursor, através de toque prolongado, funciona perfeitamente sem necessidade de conhecer o truque de fazer pressão.)