PlanetGeek

Google disponibiliza relatório de mobilidade para o Covid-19

03-04-2020 | 17:30 | Aberto até de Madrugada


Enquanto por cá ainda se vai discutindo qual será o operador a ceder dados de localização e o que se irá fazer com eles, a Google demonstra que - para o bem e para o mal - isso é o tipo de coisa que já faz desde sempre, disponibilizando um relatório de mobilidade que mostra o impacto que o coronavirus / Covid-19 está a ter em cada país e região, incluindo Portugal.

A Google há muito que armazena o histórico de localização dos utilizadores que usam os seus serviços e aceitam que esses dados sejam recolhidos. E agora temos uma demonstração prática das coisas que isso permite fazer (para além de todas as outras) em termos de ilustrar o impacto que as medidas de contenção da pandemia do coronavirus têm tido.

Este relatório de mobilidade da Google analisa as alterações que houve a nível de acesso a determinados locais (parques, trabalho, casa, lojas, etc.), e torna-se imediatamente visível o impacto que o "ficar em casa" teve ao longo das últimas semanas.



Houve uma redução acentuada em todo o tipo de saídas, com lojas e locais recreativos a terem tido reduções superiores a 80%; compreensivelmente menos significativas no caso de supermercados e farmácias (-59%); e com a excepção a ser o tempo que se passa em casa, que tem aumentado significativamente.

O relatório para Portugal segmenta os resultados por distrito, para quem desejar ver mais em detalhe as diferenças entre cada região do país.

Windows 10 e Office em saldo desde €10

03-04-2020 | 16:30 | Aberto até de Madrugada


Bem a propósito do aumento do número de pessoas que passou a trabalhar a partir de casa por causa do coronavirus, temos nova mega-promoção da Goodoffer com diversas versões do Windows e Office a preço reduzido.

A Goodoffer24 está a levar a cabo uma nova promoção que dá acesso a descontos para todos os seus produtos de software. Para começar, temos os descontos habituais, de até 30% para a maioria dos produtos de software usando o código: AB30.


Windows

Windows 10 Pro Professional CD-KEY (32/64 Bit) a €10.99
Windows 10 Enterprise 2019 LTSC a €10.49
Windows 10 Pro Professional CD-KEY (32/64 Bit) (2 PC) a €17.63
Windows 10 Home (32/64 Bit) a €10.31

Office 2016 + bundles

Microsoft Office 2016 Pro Professional Plus CD-KEY (1 PC) a €23.92
Windows 10 Pro + Office 2016 Pro -Bundle a €27.29
Windows 10 Home + office 2016 Pro - Bundle a €25.19
Microsoft Office 2016 (Home and Student - 1 User) a €18.89

Office 365

Microsoft Office 365 (1 Year) 1 Device (Windows) a €13.99

Office2019 + bundles

Microsoft Office 2019 Professional Plus CD-KEY (1PC) a €43.39
Windows 10 Pro + Office 2019 Pro - Bundle a €46.19
Windows 10 Home + Office 2019 Pro - Bundle a €44.09


O processo de compra é bastante simples, bastando ir adicionando os produtos pretendidos ao carrinho de compras, e inserir o código de desconto no campo respectivo antes de prosseguir para o checkout.


É possível fazer o pagamento via PayPal - o que é sempre recomendado como medida de protecção adicional - e que também demonstra que a Goodoffer24 não tem receio de dar essa facilidade aos seus clientes. Um dos nossos leitores disse recentemente que uma das chaves que tinha tentado utilizar (alguns meses após a compra) estava a dizer que era inválida, e que bastou contactar o suporte em info@goodoffer24.com para que rapidamente lhe enviassem uma nova chave, funcional, sem qualquer complicação.

Não se esqueçam que no caso dos Windows 10 e Office, o download continuará a ser feito do site da Microsoft, com a compra a disponibilizar apenas as chaves para activar os produtos:

Notícias do dia

03-04-2020 | 15:30 | Aberto até de Madrugada

Videochamadas Zoom podem ser acedidas através do browser e dispensar a app - numa altura em que o Zoom continua a enfrentar preocupações atrás de preocupações, como a do zWarDial que expõe videoconferências; há indicações que o lançamento do iPhone SE 2020 está iminente; nas promoções temos o Xiaomi Mi 10 a €636 (e não te esqueças que podes acompanhar muitas mais promoções diárias no nosso AadM Promos); a Huawei quer apps da Google na AppGallery; e a Apple faz referência às AirTags num vídeo, numa altura em que a Tile reforça as críticas e acusações à Apple.

Antes de passarmos às notícias de hoje, relembro que já temos novo passatempo gadget da semana, que desta vez te dá oportunidade de ganhares um mini-teclado BT dobrável. É também a altura ideal para aderires ao nosso Clube AadM+ que oferece vantagens e passatempos exclusivos mensalmente.

Hackers podiam aceder à câmara do iPhone sem alertar utilizadores



Um investigador de segurança descobriu uma série de vulnerabilidades que permita aceder à câmara de iPhones e Macs sem dar qualquer indicação aos utilizadores. Normalmente, o acesso à câmara é precedido de um pedido de autorização, que o utilizador terá que aceitar (ou rejeitar), mas neste caso, uma série de vulnerabilidades permitia que o acesso fosse feito sem qualquer indicação.

As falhas foram reportadas à Apple, valendo-lhe uma recompensa de 75 mil dólares, e já foram corrigidas nas últimas actualizações do sistema.


iPad Pro 2020 vem com microfone que pode ser desligado por hardware



O novo iPad Pro 2020 não só vem com LIDAR, como vem também com protecção acrescida contra potenciais escutas. À semelhança dos MacBooks com chips T2, o iPad Pro 2020 conta com um corte de microfone implementado por hardware, para garantir que nem sequer no caso do dispositivo ter sido infectado por malware ou ter o firmware alterado, possa aceder ao microfone.

O corte do microfone é activado quando se fecha a capa de protecção do iPad, usando-se uma capa oficial da Apple ou com certificação MFI. (Provavelmente funcionará também com capas não oficiais que usem o sistema magnético habitual para "ligar / desligar" o iPad.)

... Agora, talvez seja melhor cortarem o acesso às câmaras também por hardware, como demonstrado acima. ;P


App "How do we feel" quer avaliar sentimento das pessoas durante a pandemia do coronavirus


O impacto da pandemia do coronavirus que atravessamos vai dar origem a milhares de estudos ao longo das próximas décadas, mas entretanto há quem tente ir recolhendo o máximo de informação possível. A app How do we feel, criada por um grupo de cientistas e com a participação do CEO do Pinterest, propõe a todas as pessoas que partilhem a forma com se vão sentindo a cada dia durante este período, incluindo possíveis sintomas que possam ter.

Neste momento é apenas uma de muitas apps - algumas (a maioria?) completamente desaconselhadas e de origem bastante duvidosa - que vão tentando recolher dados que permitam analisar a evolução do contágio e o impacto que vai tendo na sociedade.


Ligações à China e segurança duvidosa tornam Zoom pouco recomendado para assuntos confidenciais



As descobertas de coisas pouco abonatórias no Zoom têm sido tão frequentes que já quase deixam de ser notícia, mas eis que surge mais uma para adicionar à lista. Uma análise à segurança das comunicações feitas através do Zoom revela que o serviço nem sempre utiliza as técnicas de encriptação mais adequadas (como dá a entender) e por vezes usa chaves de encriptação emitidas por servidores na China.

Mais estranho, é que não parece haver grande lógica na atribuição dessas chaves, sendo que essas chaves oriundas da China são muitas vezes aplicadas a videoconferências em países do outro lado do mundo. Isso leva os especialistas de segurança a não recomendarem que o serviço seja utilizado para qualquer tipo de discussão de assuntos confidenciais.


Curtas do dia


Resumo da madrugada

Lançamento do iPhone SE 2020 está iminente

03-04-2020 | 14:30 | Aberto até de Madrugada


Seguindo-se às capas de protecção, chega nova informação que garante que está iminente o lançamento do novo iPhone económico, e que efectivamente se irá chamar iPhone SE e não iPhone 9.

A Apple parece não querer misturar este novo iPhone com a linha normal dos anteriores iPhones, e por isso não o irá chamar de iPhone 9 - embora em termos de design e formato, mantenha o formato do iPhone 8 - nem tão pouco entrar no erro da numeração que a certo ponto se começará a tornar ridícula (iPhone SE 2, 3, 4, ... 10... 40...?) Por isso, este novo iPhone será simplesmente iPhone SE, usando-se o ano para diferenciar entre os modelos.

Este novo iPhone SE deverá utilizar o chip A13 dos iPhone 11 mais recentes, o que representa uma avanço de duas gerações face ao A11 usado no iPhone 8, dando acesso a todas as funcionalidades dos iPhones mais modernos, incluindo Realidade Aumentada, NFC expandido com suporte para cartões Express Card, CarKey (o sistema que pretende deixar usar os iPhones como chaves para automóveis), e provavelmente também o chip Ultra Wide Band para permitir a localização das AirTags.

Segundo os rumores, chegará em três cores: preto, branco e vermelho [PRODUCT (Red)]; e com três capacidades disponíveis: 64GB, 128GB e 256GB. O preço é esperado que se situe no patamar inicial dos $399, abaixo do preço actual do iPhone 8 que começa nos $449.

Será um modelo que será particularmente atractivo para quem ainda se mantiver nos iPhone 6 e demais modelos que já não tiverem direito a actualizações para as versões mais recentes do iOS.

Notable PHP package: PHPInfo Compare Online

03-04-2020 | 13:54 | Manuel Lemos

By Manuel Lemos
phpinfo() is a PHP function that allows users to see details of the current configuration of PHP.

This package can extract the information of the phpinfo() function, so it can be exported and compared with the configuration of other environments. That is useful to verify if two environments on which PHP is running are using the same configuration.

Read this article to learn more details about how this notable PHP package works.

AirTags aparecem referenciadas em vídeo da Apple

03-04-2020 | 13:00 | Aberto até de Madrugada


A Apple descuidou-se e lançou um vídeo - entretanto já removido - onde é visível a referência às suas etiquetas de localização AirTags.

Ainda ontem falávamos das misteriosas AirTags da Apple e da possibilidade da sua demora em serem apresentadas oficialmente poder estar ligada às reclamações da Tile, que tem acusado a Apple de quebrar todas as promessas que tinha feito; e eis que surge uma das melhores confirmações oficiais até ao momento.

Num vídeo oficial da Apple referente ao processo de apagar remotamente um iPhone, um dos ecrãs mostra uma opção de "Enable Offline Finding" onde é referido expressamente a detecção da localização das AirTags, para além do habitual funcionalidade de localização dos iPhones.


Desde que os serviços de localização de etiquetas Bluetooh começaram a implementar a funcionalidade localizarem etiquetas perdidas de outros utilizadores que dissemos que isso era algo que só se tornaria verdadeiramente eficaz quando se tornasse parte do sistema, para funcionar sem que fosse necessário ter uma app específica de determinado fabricante. Demorou, mas foi precisamente o que a Apple fez - e mais uma vez depois teremos a Google a vir atrás e replicar a coisa, quando há muito que se poderia ter posicionado na liderança deste sector, criado um sistema standard para unificar este tipo de dispositivos e integrá-los directamente no Android.

zWarDial expõe videoconferências Zoom

03-04-2020 | 11:00 | Aberto até de Madrugada


Não há dia que não venha acompanhado por novas preocupações de segurança no serviço Zoom, e desta vez é uma ferramenta que permite descobrir videoconferências que estejam a decorrer e nas quais qualquer pessoas se poderá infiltrar e espiar o que por lá se passa.

O Zoom tornou-se na ferramenta de videoconferência favorita nesta época de coronavirus em que milhões de pessoas têm recorrido ao tele-trabalho, não obstante ser acusado de ser malware e ser acompanhado por novas vulnerabilidades a cada dia que passa. Neste caso, temos uma ferramenta que é capaz de descobrir videoconferências em curso, a que se poderá juntar qualquer "curioso".

Este zWarDial é capaz de descobrir centenas de códigos válidos de videoconferências a decorrer, e contraria a imagem passada pela Zoom de que todas as reuniões estão agora protegidas por passwords. São centenas de sessões que são descobertas por dia, de videoconferências sem password, a que qualquer pessoa se poderá juntar tendo o identificador da mesma - e assim ter acesso a tudo o que por lá estiver a ser dito ou partilhado. Ademais, a ferramenta pode expor informação sobre as videoconferências mesmo sem necessidade de entrar nelas.

As formas que a Zoom disse ter implementado para se proteger contra esta ferramenta revelaram-se infrutíferas (o scan passou a ser feito usando a rede Tor, para não apresentar sempre o mesmo IP), e por agora a única forma que há para garantir a privacidade das videoconferências no Zoom é garantir que a mesma está protegida com uma password.

Roland Zenbeats gratuito para iOS e Android

03-04-2020 | 10:00 | Aberto até de Madrugada


Quem gostar de coleccionar apps de música nos seus smartphones ou tablets, tem a oportunidade de adicionar o Roland Zenbeats desbloqueado aos seus dispositivos Android, iPhones ou iPads, gratuitamente.

A app Roland Zenbeats é gratuita, mas o acesso a um número mais confortável de sons e loops é algo que normalmente custa $15 para desbloquear. Mas neste momento, é possível instalar o Zenbeats e desbloquear esse pack extra de forma completamente gratuita.

O processo implica que tenham uma conta no Roland Backstage (que absurdamente é diferente das contas Roland Account), para que após a instalação da app se possam dirigir à loja de conteúdos extra e adicionar o pack "Unlock V1" para a respectiva plataforma, que deverá estar disponível gratuitamente.

A app poderá não fazer os utilizadores das apps mais populares (como o Cubasis) as abandonem, mas não deixa de ser uma ferramenta engraçada para quem se quiser aventurar no mundo da música no seu smartphone ou tablet, sem gastar dinheiro para ter acesso a alguns dos sons clássicos da Roland.

Câmara vigilância Xiaomi Mijia IMILAB Xiaobai a €24

03-04-2020 | 09:00 | Aberto até de Madrugada


Ver o que se passa em casa mesmo quando estamos longe é mais fácil que nunca, e esta câmara de vigilância da Xiaomi com resolução Full HD mostra como se pode fazê-lo por menos de 25 euros.

Qualquer momento do ano é propício a que se queira ter a nossa casa protegida contra todo o tipo de incidentes e, no caso de quererem ver o que por lá se passa mesmo quando estão fora de casa, não faltam soluções. Esta câmara da Xiaomi é uma câmara bastante acessível, e que se torna de particular interesse para quem já utilizar outros produtos Xiaomi, podendo integrá-la na app Mi Home.


Esta câmara pan-tilt Xiaomi Mijia IMILAB Xiaobai (versão internacional) está disponível por 24 euros usando-se o código de desconto BG1603.

A câmara conta com detecção de movimento e sons, visão nocturna, tem comunicação áudio bi-direccional (podem usá-la como intercomunicador), gravação de vídeo Full HD em formato H.265 para maior poupança de espaço, suporte para gravação em cartão de memória, NAS ou cloud, detecção de pessoas via A.I., com processo de configuração simplificado através da Mi App - que também permite que a utilizem para criar automações e acções com outros dispositivos.

Uma opção interessante para quem desejar uma câmara "pronta a usar" sem se preocupar com configurações.

Produtos da Semana

03-04-2020 | 08:00 | Aberto até de Madrugada

A nossa rubrica de Produtos da Semana agrupa uma lista de produtos e notícias que vamos compilando ao longo da semana e que achamos que será do interesse geral.

Huawei apresenta pulseira inteligente Band 4e



A Huawei Band 4e, a mais recente pulseira inteligente da Huawei, conta com mais de 20 funções inteligentes, incluindo lembrete de chamadas recebidas, alarme, monitorização do sono, visualização de dados de movimento em tempo real, definição de objetivos de movimento, localizador de telemóvel, entre outras, que podem satisfazer as exigências diárias dos utilizadores e ajudar a ter uma vida mais saudável.

A Huawei Band 4e é uma pulseira inteligente confortável com um design ergonómico que permite que todas as partes em contacto com a pele se adaptem ao pulso, criando uma experiência de utilização mais confortável. A nova pulseira inteligente da Huawei permite várias formas de utilização: no pulso ou no calçado desportivo proporcionando uma análise mais precisa sobre o treino. A funcionalidade de aplicação do monitor da Banda 4e em calçado de desporto permite que os desportistas possam melhorar a eficiência do seu treino e fazer uma melhor monotorização da sua corrida. Esta funcionalidade oferece 7 formas de medir e analisar a corrida, incluindo um padrão de passadas, o tempo de contacto com o solo, o impacto ao pousar o pé, inclinação da passada, o ângulo de oscilação e a cadência e comprimento da passada. Quando a Band 4e está conectada à Aplicação Saúde da Huawei, o utilizador pode ainda obter e guardar os seus dados de monitorização no seu smartphone. A partir destas 7 métricas, a banda consegue fornecer aconselhamento profissional de como melhorar a forma de corrida do utilizador, proporcionando ao mesmo tempo, sugestões de orientação cientifica. Embora, a Huawei tenha investido para que esta pulseira inteligente seja conscientemente ecológica, o principal foco da marca continua a ser garantir a melhor experiência para o utilizador. A Huawei Band 4e vem assim equipada com um ecrã PMOLED de 0,5 polegadas, com um peso de apenas 6 gramas, que a torna agradável e leve de usar.

A Huawei Band 4e está disponível por um preço de venda de 24,99 euros.


Acer anuncia novos portáteis gaming Triton 500 e Nitro 5



A Acer anunciou os seus novos notebooks de gaming Predator Triton 500 e Acer Nitro 5.

Alimentado pelos mais recentes processadores Intel Core de 10ª geração para notebooks de alta performance e GPUs até NVIDIA RTX 2080 SUPER ou 2070 SUPER com Max-Q Design, o Predator Triton 500 é capaz de ultrapassar até os obstáculos mais difíceis. Para conter a potência, até 7.5 horas de autonomia de bateria permitem uma produtividade impressionante, tornando o notebook uma escolha ideal para profissionais em trabalho que também querem jogar. O seu painel IPS de 300Hz líder na indústria com tempo de resposta de 3 ms overdrive revela toda a ação em detalhe, cobrindo 100% da roda de cores sRGB e suportando ângulos de visão panorâmicos. A tecnologia NVIDIA G-SYNC elimina o tearing e minimiza o lag. O Predator Triton 500 inclui um controlador sem fios Killer Wi-Fi 6 AX1650i, controlador ethernet E3100G e Control Center 2.0 para elevar a qualidade de ligação em rede a novos patamares, garantindo que aplicações críticas obtêm prioridade de largura de banda. Toda esta potência está encerrada num chassis em metal com 17,9 mm de espessura de 2,1 kg de peso que inclui uma moldura fina e uma relação de ecrã para corpo de 81%. O notebook tem até 32 GB de memória DDR4 e até 2 TB de armazenamento SSD em RAID 0 NVMe. O Predator Triton 500 inclui a tecnologia Vortex Flow da Acer, um novo design envolvendo três ventoinhas personalizadas estrategicamente posicionadas no chassis que trabalham em conjunto para aumentar o fluxo de ar ao mesmo tempo que reduzem o ruído. Este efeito é amplificado pela tecnologia CoolBoost, que aumenta a velocidade da ventoinha para um desempenho superior. Os jogadores podem monitorizar a temperatura do dispositivo e ajustar a velocidade da ventoinha através da interface de utilizador PredatorSense.

O Acer Nitro 5 inclui um processador até Intel Core i7 de 10ª Geração com 5 GHz e opções gráficas entre GPUs GeForce RTX 2060 ou os mais recentes GeForce GTX 1650Ti ou 1650. Ele inclui até dois SSDs PCIe M.2 e um HDD de 1 TBi para armazenamento, e até 32 GB de RAM DDR4 em duas ranhuras DIMM atualizáveis pelo utilizador. Disponível com um ecrã de 15,6 polegadas, o notebook oferece aos jogadores visuais significativamente melhorados em relação a modelos anteriores. Modelos com taxa de atualização de 144 Hz ou 120 Hzi e um tempo de reposta de 3 ms permitem jogabilidade isenta de efeitos blur que ganha vida no painel de 300 nit e NTSC a 72%.

O Predator Triton 500 e o Acer Nitro 5 estarão disponíveis na região EMEA em Maio com preços desde 1.899 euros e 899 euros, respectivamente.


Nova coluna Huawei Sound X



A Huawei, em parceria com o Devialet Wireless Speaker, lança a Huawei Sound X, a nova coluna da Huawei com Inteligência Artificial que vai revolucionar a tecnologia acústica de ponta com áudio sonoro.

A nova Huawei Sound X oferece um som 360º derivado dos seus 6 speakers e conta com certificação Hi-Res e suporte a Huawei Share para um emparelhamento simples e rápido entre dispositivos Huawei. A Huawei Sound X foi projectada para facilitar a interação perfeita entre dispositivos inteligentes. Esta coluna permite controlo por gestos: basta tocar com um smartphone da Huawei na parte superior do equipamento para emparelhar os dois e começar a ouvir música ou colocar a mão sobre o dispositivo para silenciar o som. A Huawei Sound X vem equipada com a tecnologia patenteada Devialet SAM (Speaker Active Matching) de processamento de sinal e a icónica estrutura simétrica Push-Push, que reproduz fielmente a música com a atenção de um audiófilo aos detalhes, dentro de um formato resistente ao impacto. A SAM introduz um algoritmo de compensação eficiente, capaz de adaptar o sinal de saída às características específicas da coluna e minimizar a distorção do som. Como resultado, a audição na Huawei Sound X proporciona uma imersão total, transportando-o para o cenário que a música evoca nos olhos da mente. A estrutura Push-Push coloca os speakers de alta potência simetricamente, de modo que as vibrações das suas ondas traseiras se anulem mutuamente. Isto significa que mesmo quando as paredes estão a tremer devido aos tons graves estrondosos, o corpo da Sound X permanece imóvel. A Huawei Sound X foi a vencedora do prémio iF Design 2020. O design exterior foi inspirado pela cúpula dourada da superfície preta e envidraçada, que para oferecer um som robusto que parece emanar de um poço sem fundo. A parte principal e brilhante do corpo é trabalhada através de um processo avançado que garante a transmissão e receção de um sinal de alta qualidade. A parte inferior feita em tecido utiliza uma tampa sem costura que facilita ainda mais a transmissão sem que existam perdas de ruído. Na superfície superior a luz tricolor RGB mistura a luz emitida com o seu ambiente, para um visor caleidoscópico que lembra uma sala de música glamorosa.

As marcas de altifalantes domésticos sem fios tentam muitas vezes manter o desempenho dos graves, tornando os seus produtos grandes e pesados. A Huawei Sound X representa uma solução elegante para este dilema, incorporando subwoofers duplos que fornecem 60W de graves em expansão, ao mesmo tempo que permanecem compactos e portáteis para utilização diária, para todos os fins.


Impressoras HP Neverstop Laser com tanque de toner



A HP Inc. anunciou a disponibilidade da HP Neverstop Laser, a primeira impressora laser do mundo com toner tank e dois modelos da família HP Neverstop Laser com suporte para rede.

A nova HP Neverstop Laser é uma impressora inovadora, com um sistema de substituição de toner ainda mais simples e um custo inferior a um cêntimo por página. Os kits HP de reenchimento de toner (HP Toner Reload Kits) têm um preço mais competitivo, com até 2,5x mais páginas quando comparados com os toners HP equivalentes. O reenchimento do toner para imprimir até 2.500 páginas é fácil e rápido – sem complicações, sem stress. Para além disso, dispensa a necessidade de interrupções para trocar o cartucho e suporta até 5.000 páginas impressas antes do primeiro reenchimento do toner. A HP Smart App, acessível em todo o lado e em qualquer altura, permite a digitalização e impressão em dispositivos móveis, o envio de faxes com toda a segurança, a possibilidade de encomendar facilmente os Toner Reload Kits e aceder a gestão documental com as Smart Tasks (HP Neverstop Laser 1000n e HP Neverstop Laser 1200n apenas). Fabricada com mais de 25 por cento de plásticos reciclados e com o kit de reenchimento a ser produzido com 75 por cento de plástico reciclado, a pegada ambiental é até 84 por cento inferior ao longo do seu ciclo de vida ao das impressoras laser standard devido ao sistema de reeenchimento contínuo (CTSS) e ao material reciclado. As baixas emissões da HP Neverstop e a tecnologia de controlo da qualidade do ar são argumentos importantes com certificação Energy Star 3.0.

Os modelos HP Neverstop vão estar disponíveis em Portugal a partir de Maio 2020. A Laser 1001nw vai ter um preço de venda recomendado de 269,99 euros. A HP Neverstop Laser 1201n estará disponível por 289.99 euros e a HP Neverstop Laser 1202nw por 299.99 euros.


Sony apresenta novos auscultadores wireless com cancelamento de ruído



A Sony apresentou dois novos auscultadores sem fios – WF-XB700 e WH-CH710N – que oferecem a experiência de audição perfeita e sem complicações, para uma utilização em movimento.

Com a tecnologia EXTRA BASS da Sony, os auscultadores XB700 criam batidas precisas e potentes que otimizam cada música e mantêm a nitidez das vozes, para uma experiência de audição excecionalmente rica e equilibrada. A tecnologia bluetooth elimina a necessidade de ligações com fios para uma utilização mais fácil, enquanto que a estrutura ergonómica de três pontos permite uma audição mais confortável. Desfrute de até 18 horas de música graças à sua prática caixa de carregamento - bastam 10 minutos de carregamento rápido para obter 60 minutos de reprodução musical. Além disso, a classificação IPX4 de resistência à água oferece uma proteção contra salpicos e suor, de modo a que os utilizadores possam continuar a mover-se ao som da sua música preferida, mesmo à chuva ou no ginásio. Ouça mais música e menos ruído de fundo, com os novos auscultadores WH-CH710N com cancelamento de ruído. Durante um longo voo ou a viagem até ao trabalho, a tecnologia Artificial Intelligence Noise Cancelation (AINC) analisa constantemente os componentes do som ambiente e seleciona automaticamente o modo de cancelamento de ruído mais eficaz para o ambiente envolvente do utilizador. Além disso, os microfones duplos à frente e atrás significam que os auscultadores WH-CH710N captam mais sons exteriores que nunca. A tecnologia Near Field Communication (NFC) permite aos utilizadores efetuar o streaming das suas músicas com um só toque, enquanto que a bateria de iões de lítio integrada oferece até 35 horas de autonomia com um único carregamento. Graças ao carregamento rápido, os utilizadores poderão desfrutar de 60 minutos de reprodução com apenas 10 minutos de carregamento. Com o cursor metálico deslizante, os utilizadores podem ajustar perfeitamente os seus auscultadores, enquanto que as almofadas ovais suaves significam que nunca terão de fazer uma pausa durante a sua música preferida.

O modelo WF-XB700 estará disponível a partir de Abril na cor preta e em azul, a um preço de 150 euros. O modelo WH-CH710N estará disponível a partir de Abril nas cores preta, branco e azul a um preço de 150 euros.

Videochamadas Zoom podem ser acedidas através do browser e dispensar a app

03-04-2020 | 07:00 | Aberto até de Madrugada


A maioria das preocupações com as vulnerabilidades do Zoom tornam-se irrelevantes, se dispensarmos a instalação da app e simplesmente usarmos o serviço através do browser - capacidade que a Zoom infelizmente parece preferir esconder.

Quem não apreciar usar uma app que está repleta de vulnerabilidades e recorre a todo o tipo de tácticas obscuras e duvidosas, seguramente gostará de saber que não precisa sequer instalá-la. É precisamente isso que acontece com a app Zoom, que por muito que se faça passar como sendo indispensável para se poderem juntar às videoconferências, não o é.

Muitas pessoas poderão não se aperceber que é possível aceder às videoconferências Zoom usando o browser sem necessidade de instalarem nada. No entanto, essa é uma opção que vem - mais uma vez - demonstrar as tácticas duvidosas que valem ao Zoom a acusação de ser malware.


A Zoom deu-se ao trabalho de "dar trabalho" a quem quiser activar esta opção, sendo que não só é preciso procurá-la nas definições em "Meeting->In Meeting (Advanced)", como depois ter o cuidado de, depois de a activar, ter que clicar no pequeno cadeado ao seu lado.

Seja como for, será uma forma de evitar todas as chatices associadas à instalação da app, pelo menos para quem estiver na situação de apenas ter que se juntar a videoconferências criadas por outros e não precisar criar as suas próprias videoconferências.

Tile diz que comportamento anti-concorrencial da Apple tem ido de mal a pior

02-04-2020 | 20:00 | Aberto até de Madrugada


Não se sabe até que ponto o atraso na apresentação e lançamento das AirTags da Apple estará relacionada com as queixas da Tile, mas parece que as perspectivas de ambas chegarem a acordo são cada vez mais reduzidas.

A Tile tem estado envolvida numa curiosa disputa com a Apple relativamente a um produto que ainda nem sequer foi confirmado oficialmente - as AirTags de localização - e diz que as negociações com a Apple não têm sido muito positivas; pelo contrário, têm ido de mal a pior.

Para além de ter praticamente impossibilitado o correcto funcionamento da app da Tile em background (com avisos constantes), a Apple prepara-se para replicar todo o processo de funcionamento das tags de localização, tornando todos os iPhones em localizadores de objectos perdidos. Isto, depois de ter iniciado conversações com a Tile, e depois acabar por contratar um dos seus engenheiros, e ultimamente ter optado por desenvolver as suas próprias AirTags (que provavelmente serão apresentadas este ano).

Infelizmente, é o tipo de comportamento que já não surpreende, nem vindo da Apple nem de outros gigantes tecnológicos... mas não significa que seja o mais correcto. (Por outro lado, imagino que o interesse da Tile seja ver se acaba por ser comprada pela Apple por 1 "bilião" ou coisa parecida...)

Maldita cocaína (e heroína)

02-04-2020 | 18:49 | Gonçalo Sá

São três séries a espreitar e propõem viagens muito diferentes aos (sub)mundos da droga. "GIGANTES" e "ZEROZEROZERO" começam bem, "OZARK" é um dos grandes regressos do ano.

Gigantes.jpg

"GIGANTES" (T1), AMC: Esta aposta da Movistar é uma das boas séries espanholas recentes, um drama familiar criminal centrado numa rede de narcotráfico a cargo de um pai tirano e dos seus três filhos (que acabam a lutar entre si para disputar a liderança do império). Não sendo especialmente original, é um retrato conseguido tanto pelos conflitos que vai colocando em jogo (além dos familiares, há ameaças de clãs ou das autoridades) como pelo ritmo e sentido atmosférico com que é apresentado - mérito de Enrique Urbizu, um dos criadores e realizador da maioria dos episódios, há muito habituado a territórios do thriller (tendo recebido o Goya de Melhor Realizador em 2011 com "No habrá paz para los malvados").

Se o veterano José Coronado, na pele de patriarca repelente, não é tão bem aproveitado como poderia (a sua entrega não chega para dar mais dimensões à personagem), as jornadas dos filhos são mais intrigantes. Sobretudo o arco do mais velho, interpretado por um Isak Férriz com carisma e nervo à altura de um protagonista obstinado e indomável. Também interessante é o rumo das mulheres que vão cruzando a vida dos três irmãos, sejam cúmplices ou antagonistas, e que poderá vir a ser mais explorado. Uma pista a confirmar na segunda (e última) temporada, também já com estreia confirmada no AMC. A primeira (de seis episódios) chegou esta quarta-feira, 1 de Abril, depois de ter passado há poucos meses na RTP2, e tem um final tão caótico como engenhosamente orquestrado. Numa palavra, ¡vale! 

3/5

Ozark.jpg

"OZARK" (T3), Netflix: À terceira temporada, a série protagonizada por Jason Bateman (que também é produtor executivo e realizador de alguns episódios) e Laura Linney consolida o lugar entre as melhores dos últimos anos. E algum cepticismo inicial, sobretudo pelas muitas comparações com "Breaking Bad", tem cada vez menos razão de ser quando o drama da autoria de Bill Dubuque e Mark Williams já encontrou, dominou e apurou o seu universo.

A tensão continua a partir de dilemas conjugais que têm ligação directa com a lavagem de dinheiro para um cartel mexicano (e agora também há um casino pelo meio), mas além de um óptimo relato familiar cruzado com o thriller, os novos episódios reforçam as doses de humor negro em complementos tão estratégicos como (quase sempre) certeiros. A cena do desfecho, por exemplo, é de antologia, e antes dessa há um estudo de personagens que nunca sai comprometido pela intrusão de acessos espirituosos - e que podem ser simultaneamente inquietantes.

Além da relação ambígua do casal protagonista, esta temporada também sabe como dar espaço a secundários, sejam presenças habituais ou recém-chegadas. As cenas entre Ruth e Wyatt Langmore ou Wendy Byrde e o irmão, Ben Davis, são mesmo das mais fortes de toda a história da série, daquelas que tornam praticamente obrigatória a nomeação de alguns actores para os prémios televisivos, nos quais "Ozark" não se tem saído mal (Laura Linney, Julia Garner e a nova aquisição Tom Pelphrey são especialmente memoráveis, sobretudo no crescendo emocional da segunda metade da temporada). Se não é a melhor proposta de binge-watching do momento, deve andar lá bem perto.

4/5

ZeroZeroZero.jpg

"ZEROZEROZERO" (T1), HBO Portugal: Não falta pedigree a esta produção que junta um elenco internacional (de Gabriel Byrne ao veterano Adriano Chiaramida), foi filmada em vários continentes, adapta o livro homónimo do italiano Roberto Saviano, autor de "Gomorra", e tem Stefano Sollima entre os autores e realizadores (que além de ter dirigido alguns episódios de "Gomorra", assinou os filmes "Suburra" e "Sicario - Infiltrado"). O dinamarquês Janus Metz ("Borg vs. McEnroe") e o argentino Pablo Trapero ("O Clã") são outros realizadores desta saga dividida em três histórias que acabarão por se cruzar, acompanhando a viagem atribulada de um navio de carga que transporta cocaína clandestinamente entre o México e Itália.

Senegal, Marrocos e os EUA também são pontos deste roteiro nada paradisíaco que mantém intocável (e irrepreensível) o realismo associado às adaptações das obras de Saviano. E retoma ainda a sua crueza e crueldade, com um tom quase sempre angustiante, às vezes claustrofóbico, ampliado pela banda sonora melancólica (e inspirada) dos Mogwai. Mas se em "Gomorra" (a série), o niilismo extremo é acompanhado de personagens bem desenhadas, aqui o seu desenvolvimento não é tão complexo, por muito que a maioria dos actores consiga acrescentar camadas a um argumento mais conseguido no retrato das relações de tráfico internacionais do que na singularidade dos seus agentes. Isso não compromete as óbvias qualidades formais e narrativas (todos os episódios têm uma cena-chave que obriga a um flashback, opção hábil para contar uma história tão ampla e ambiciosa), mas vai demovendo o impacto emocional de uma saga que poderia ter alcançando outros voos.

A fixar, ainda assim: o olhar indecifrável de Harold Torres, na pele de um soldado mexicano que passa para o outro lado do sistema, e Andrea Riseborough, brilhante noutra das figuras mais contraditórias, ao comando do navio no centro da acção (e bem acompanhada por um surpreendente Dane DeHaan).

3/5

Huawei quer apps da Google na AppGallery

02-04-2020 | 17:30 | Aberto até de Madrugada

Para minimizar o impacto da falta da Play Store nos seus smartphones, a Huawei quer que a Google disponibilize as suas apps na sua loja AppGallery.

A Huawei está consciente de que terá a vida muito dificultada ao tentar vender os seus modelos sem a Play Store nem as apps da Google pré-instaladas, algo que no ocidente se tornou algo indissociável de todos os smartphones Android. Para tentar minimizar esse impacto, a marca chinesa quer que a Google disponibilize as suas apps na sua loja AppGallery.

Para a Huawei, o cenário seria idêntico ao que acontece com o iOS, onde a Google também disponibiliza todas as suas apps e serviços: Google, Gmail, Google Maps, Google Assistant, e dezenas de outros. No entanto, esquece-se do pequeno pormenor que faz com que a Huawei esteja nesta situação: o bloqueio dos EUA à Huawei, que está na origem do impedimento do acesso à Play Store e serviços da Google.

E claro, resta também saber se, mesmo que tal fosse possível em termos legais, se a Google estaria disposta a fazê-lo - algo que, nesta altura, não me parece estar no topo das suas preocupações. Teremos que esperar para ver a receptividade dos mercados ocidentais aos smartphones Huawei sem Play Store... e se se tornarem um sucesso, certamente que a Google não quererá ficar de fora; mas se as vendas forem reduzidas, suspeito que terão que ser os próprios utilizadores a desenrascarem formas de terem acesso às apps da Google.

Xiaomi Mi 10 a €636

02-04-2020 | 16:30 | Aberto até de Madrugada


Com o preço do Xiaomi Mi 10 na Europa a ser o seu maior entrave, começam finalmente a ficar disponíveis a preços mais apetecíveis vindo das lojas online.

O novo Xiaomi Mi 10 chega com 5G, ecrã AMOLED de 6.67" FHD+ de 90Hz com furo para a câmara frontal de 20MP e sensor de impressões digitais no ecrã, Snapdragon 865, 8GB+128GB, câmara principal de 108MP +13MP ultrawide + 2MP macro + 2MP depth, WiFi 6, bateria de 4500mAh, carregamento rápido de 30W (por cabo e wireless), e carregamento wireless inverso de 10W. Tudo coisas boas, apenas penalizadas pelo facto de na Europa o seu preço oficial começar nos 799 euros - mas há forma de poupar mais de uma centena e meia de euros.



É possível apanhar o Xiaomi Mi 10 8GB+128GB Global por apenas 636 euros usando o código de desconto BG4M10. Sendo necessário acrescentar mais 5 euros para os portes via EU Priority Line.


Não são os valores sub-500 euros que gostaríamos de ver (como nos topos de gama de outros tempos) mas é um valor bastante mais próximo dos valores praticados na China, e muito mais apetecível por quem for fã dos smartphones da Xiaomi.

Notícias do dia

02-04-2020 | 15:30 | Aberto até de Madrugada

Vodafone Portugal diz não ser possível mudar identificador para "ficar em casa"; Cloudflare lança DNS para famílias com anti-malware e bloqueio de conteúdos impróprios (só falta bloquear publicidade); Zoom com novas vulnerabilidades que podem dar acesso a câmara e microfone; UE vai analisar dados de localização de um dos grandes operadores em Portugal; app Amazon Prime Video para iOS escapa ao pagamento de comissões à Apple; e consumidores norte-americanos aproveitam coronavirus para pedir fim dos limites de dados.

Antes de passarmos às notícias de hoje, relembro que já temos novo passatempo gadget da semana, que desta vez te dá oportunidade de ganhares um mini-teclado BT dobrável; e ainda te podes habilitar a alguns exemplares do livro Big Data da FCA. É também a altura ideal para aderires ao nosso Clube AadM+ que oferece vantagens e passatempos exclusivos mensalmente.

Cloudflare lança VPN Warp beta para Windows e macOS



Depois de se ter estreado nas plataformas mobile, a Cloudflare expande o seu serviço de VPN Warp aos sistemas Windows e macOS. Tal como nestes, o sistema tira partido da maior eficiência do WireGuard e irá estar disponível nas versões Warp (gratuita) e Warp+ (paga), com esta última a oferecer velocidades acrescidas.

O serviço não será uma verdadeira alternativa aos serviços de VPN existentes, que oferecem coisas como a possibilidade de escolher o país de saída que se quer utilizar; mas para quem apenas desejar a componente de ter protecção e privacidade acrescida nas suas comunicações, poderá ser mais que suficiente (esperando-se que daqui por uns anos não se venha a descobrir que afinal a Clouflare pertence à CIA...)


iOS 14 com gestor de passwords Keychain melhorado



A Apple prepara uma remodelação significativa do seu gestor de passwords iCloud Keychain para o iOS 14. A futura versão irá contanvbsr com novas funcionalidades, como alerta para utilização de passwords repetidas, aviso de passwords comprometidas, e suporte para logins com métodos de autenticação 2-factor.

Será mais um serviço que potencialmente irá tornar desnecessária a utilização de gestores de passwords de outras empresas; mas não completamente, já que apenas deverá ficar disponível para quem usar os serviços e equipamentos da Apple.


Gigantes tecnológicos aderem ao MANRS para routing mais seguro na internet



A Amazon, Google, Facebook, Microsoft, Cloudflare, Akamai, Netflix, e outros, aderiram ao grupo MANRS (Mutually Agreed Norms for Routing Security), que pretende tornar as comunicações na internet mais seguras.

A internet é um autêntico labirinto de routers, responsáveis por fazerem chegar os dados de qualquer ponto da internet a qualquer outro ponto; e infelizmente os sistemas utilizados para isso remontam a tempos onde as preocupações de segurança eram bem diferentes das actuais. É por isso relativamente fácil (e já tem acontecido) que um operador possa - por acidente ou intencionalmente - desviar tráfego da internet, manipulando o caminho por onde os dados devam passar.

Com o MANRS, estas empresas querem implementar medidas que impeçam esse tipo de desvios, garantindo que as comunicações continuam a seguir os caminhos que deveriam seguir - e trabalhando em paralelo com outras iniciativas como o BGPSEC.


Facebook faz chegar app do Messenger ao Windows e macOS



Quem não passar sem o Messenger do Facebook já pode recorrer a uma app do Messenger dedicada para Windows e macOS em vez de se limitar a utilizá-lo através do browser ou dos seus dispositivos móveis.

O Facebook refere como destaques: a videoconferência mais confortável num ecrã de maiores dimensões; sincronização das conversas entre todas as plataformas; notificações; modo escuro; etc. E não se pode ignorar que chega numa altura em que milhões de pessoas têm ficado em casa por causa do coronavirus, dando origem a um aumento substancial no uso dos serviços de mensagens e videoconferência.


Curtas do dia


Resumo da madrugada

Assistente digital Celia chega a 6 países e causa confusão com a Siri da Apple

02-04-2020 | 15:21 | Apps do Android


A acompanhar os novos P40, a Huawei anunciou também o lançamento da sua assistente digital Celia em 6 países ocidentais e em três línguas. Mas essa chegada não vai ser apreciada por quem tiver equipamentos com a Siri por perto.


Com a impossibilidade de usar os serviços da Google, a Huawei tem estado a replicar tudo usando os seus próprios serviços, e obviamente que isso inclui também o seu próprio assistente digital em vez do Google Assistant que até aqui era utilizado. Assim, os novos Huawei P40 vêm com a nova assistente digital Celia, que fica disponível em Inglês, Francês e Espanhol, e nos seguintes países: Reino Unido, França, Espanha, México, Chile e Colômbia.


A assistente permite fazer o tipo de coisas habitual, como enviar mensagens, marcar temporizadores, informar sobre o estado do tempo, criar eventos, etc. Mas a questão que já começa a levantar alguma polémica é que a sua activação através de um "Hey Celia" se revela demasiado parecida com o "Hey Siri" nos produtos da Apple, e faz com que a Siri também seja activada no caso de pessoas que tiverem um iPhone, iPad, HomePod, etc. por perto.

É algo que por agora só poderá ser resolvido desactivando a activação por voz, e recorrendo à activação física ao pressionar o botão de power dos P40 durante um segundo.


No entanto, a pergunta que se coloca é mesmo: será possível aos P40 sobreviverem no ocidente sem o acesso a Play Store e às apps da Google?

Por: Carlos martins

Vodafone Portugal diz não ser possível mudar identificador para "ficar em casa"

02-04-2020 | 14:30 | Aberto até de Madrugada


O período de distanciamento social para combater o contágio do coronavirus fez com que a Vodafone e outros operadores adicionassem ao seu identificador de rede a recomendação para ficar em casa, mas estranhamente, em Portugal, a Vodafone diz que tal não é "tecnicamente possível".

Colocar a mensagem no identificador de rede é uma forma não intrusiva de fazer chegar a mensagem a todos os clientes de uma operadora. No entanto, e inexplicavelmente, essa tarefa que foi feita noutros países pela Vodafone, em Portugal parece assumir contornos mais complicados. Em resposta à sugestão de que por cá também seguisse o exemplo, a Vodafone Portugal diz que tal alteração não é possível.

Após testes, não foi tecnicamente possível colocar a mensagem através da Vodafone Portugal, contudo, foi disponibilizada através do My Vodafone.
— Vodafone Portugal (@VodafonePT) April 2, 2020


É uma explicação que obviamente não é muito esclarecedora, especialmente quando se tem em conta que esse tecnicamente impossível foi feito pela própria Vodafone noutros países. Tendo como consequência nova sugestão de como essa "impossibilidade técnica" poderia afinal ser possível.

Em Portugal Daniel, realmente é tudo muito diferente.

Partilho uma das maneiras em que é possível realizar essa alteração:

Network Identity and TimeZone (NITZ); Service description - https://t.co/ebzxRrlQD7

A outra seria via OTA actualizar o "alphatag" nos cartões SIM.
— Ricardo José Saraiva (@ricardojsaraiva) April 2, 2020


Mais valia ter simplesmente dito: após deliberação interna a Vodafone Portugal decidiu não proceder à actualização do seu identificador; ou qualquer outra coisa. Tudo seria melhor do que usarem a desculpa do "tecnicamente impossível".

App Prime Video da Amazon para iOS escapa ao pagamento de comissões à Apple

02-04-2020 | 13:00 | Aberto até de Madrugada


De forma surpreendente, a app Amazon Prime Video para iOS passou a permitir que os utilizadores aluguem ou comprem filmes directamente da app, e sem o habitual pagamento da comissão cobrada pela Apple.

Uma das maiores críticas à App Store da Apple (entre muitas outras) é o facto da Apple não permitir que as apps usem formas de pagamento alternativas que evitassem pagar os 30% de comissão à Apple (nem sequer direccionar os utilizadores para páginas web onde pudessem fazer o pagamento) - mas parecem haver algumas excepções.

A app Amazon Prime Video, que até ao momento não permitia que os utilizadores fizessem a compra ou aluguer de filmes para não, agora permite que isso seja feito; e tudo devido a uma nova modalidade que permite escapar às comissões da Apple.

Infelizmente, é uma modalidade que não parece estar disponível para todo o tipo de apps, limitando-se a poder ser usada por "alguns fornecedores de serviços de streaming de vídeo", e que permite que o pagamento de compras feitas na app possa ser processado directamente pelo serviço em questão em vez de ser através do processo habitual da App Store / compras in-app.

Poderá ser um sinal de que a Apple se está a preocupar com potenciais processos anti-concorrência que parecem estar a avolumar-se nos últimos meses; e onde uma das grandes críticas é precisamente a proibição de métodos de pagamento alternativos que escapem à "taxa Apple". Com esta excepção, a Apple ganha o argumento de que afinal não é uma proibição, podendo usar uma app como a Amazon Prime Video para o demonstrar.

Google reconhece problemas de Bluetooth nos Google Home

02-04-2020 | 12:35 | A Minha Alegre Casinha


Após mais de um ano de queixas, a Google finalmente reconheceu a existência de problemas nas ligações Bluetooth nas suas colunas inteligentes Google Home.

Para além de poderem funcionar individualmente como "colunas inteligentes", é também possível utilizar as colunas Google Home / Mini / Max como colunas Bluetooth para ouvir música do smartphone, ou usá-las como fontes sonoras para emitirem música via Bluetooth para outras colunas - o que é particularmente simpático no caso dos Google Home Mini, ou no caso de querermos enviar músicas para uma aparelhagem que aceite entradas Bluetooth.

O grande problema é que, para grande parte dos utilizadores (todos?) que tentarem usufruir de qualquer destas funcionalidades, o mais frequente é que a ligação Bluetooth se desligue sem explicação ao fim de alguns minutos. O período em si varia de caso para caso, havendo pessoas que dizem que lhes acontece isso logo ao fim de um ou dois minutos, e outros em que isso só acontece ao fim de dez minutos - mas o problema é que, inevitavelmente, acontece, causando grande frustração. Frustração essa que era complementada pelo silêncio da Google, que ao longo de muitos meses nunca se dignou a reconhecer a existência de qualquer problema... até agora.

Se por um lado é vergonhoso ter passado tanto tempo a assumir a existência de um problema com impacto tão "chato", importa agora que o problema possa ser resolvido quanto antes, e que faça cair no esquecimento todas as frustrações com as ligações Bluetooth nas colunas Google Home.