Planet Geek

14 de Novembro, 2018

Notable PHP package: PHP Google Authenticator with CodeIgniter

14-11-2018 | 12:54 | Manuel Lemos | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

By Manuel Lemos
Google Authenticator is a mobile authentication that can be used that a given user is the one that uses his own mobile phone.

This allows applications to verify if an user is the person he claims to be more than one way, thus allowing to implement what is called two factor authentication.

This package provides an implementation of a two factor authentication using CodeIgniter framework.

Read this article to learn more details about how this notable PHP package works.

topo

Apple prepara-se para dificultar reparações via chip T2

13-11-2018 | 21:12 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Onde começa e acaba o direito à segurança; onde começa e acaba o direito a podermos mexer nos equipamentos que compramos? É algo que voltará a ser posto à prova em breve, com a intenção da Apple utilizar o seu chip de segurança T2 para impedir reparações não oficiais nos seus Macs.

A Apple tem recorrido a um chip - designado T2 - dedicado às funções de segurança, funcionando como um controlador independente de tudo o que se passa no sistema, e que tem por missão garantir que os dados mais sensíveis, como os dados de autenticação biométricos, ou chaves de encriptação dos dados nos discos, estejam a salvo mesmo que o sistema operativo ou restante hardware fique comprometido.

A ideia é boa... mas levanta preocupações quando começa a ser utilizada para impedir reparações. Graças a este chip T2, a Apple tem uma nova forma de detectar e impedir todo o tipo de alterações ao sistema, incluindo alterações que resultem de reparações feitas em lojas não oficiais. Se neste momento isso não está - ainda - a ser feito, o histórico da Apple a este respeito não deixa margens para dúvidas, pois já no passado implementou medidas que impediam a utilização de peças não autorizadas nos iPhones (mesmo quando eram peças legítimas), e que só depois de se ter gerado polémica, é que retrocedeu.



Portanto, a adicionar à dificuldade crescente que é reparar os seus produtos, a Apple segue um rumo onde isso passe de "difícil" a "impossível", a não ser para quem tiver as máquinas necessárias para fazer a reautorização dos componentes utilizados.


É uma situação onde temos duas perspectivas diferentes: por um lado o direito que os utilizadores deverão ter, de repararem os seus produtos eles próprios ou de recorrerem a lojas não oficiais; por outro lado, o desejo dos fabricantes quererem manter a "segurança" dos mesmos, impedindo que sejam feitas modificações não autorizadas. E isto não é algo que se limite aos produtos da Apple; no Android temos smartphones que deixam de poder usar serviços como o Google Pay caso os utilizadores tenham feito root; por deixar de ser possível confiar a 100% no sistema...

Não vai ser fácil encontrar um ponto de equilíbrio entre uma coisa e outra; mas em caso de dúvida, penso que a prioridade terá que ser sempre dada ao direito dos utilizadores poderem fazer o que quiserem com os produtos que compram, e que não haja impedimentos dos fabricantes para bloquearem isso de forma deliberada.

topo

Achas que sabes dançar?

13-11-2018 | 20:05 | Gonçalo Sá | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Roisin Murphy 2018 3

 

A parceria de RÓISÍN MURPHY com Maurice Fulton arrancou na pista de dança e é lá que termina. Depois de "All My Dreams", "Plaything" e "Jacuzzi Rollercoaster" (esta também com Ali Love), "THE RUMBLE" é o quarto e último single da colaboração entre a ex-vocalista dos Moloko e o produtor mantida ao longo do ano.

 

Como nos temas anteriores, a cena raver de inícios dos anos 90 foi o ponto de partida para a canção e para o videoclip que a acompanha, realizado pela cantora irlandesa e centrado na bailarina e coreógrafa Lindy Nsingo - cujo corpo se entrega a ritmos house numa noite festiva, custe o que custar.

 

Entre a celebração e a obsessão, é um remate que faz sentido para uma série de hinos ao hedonismo até altas horas, atmosfera que também passa pelo lado B "World's Crazy", de toada mais funk e a confirmar uma voz e postura maleável como poucas - nada mal para quem anda nisto há 20 anos e começou nos tais anos 90 que inspiram esta nova fase.  

 

topo

MIUI 10 Global Stable chega finalmente aos Xiaomi Redmi Note 4/4X e Redmi Note 6 Pro

13-11-2018 | 18:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A MIUI 10 foi oficialmente apresentada pela Xiaomi em meados de Junho, mas como tem vindo a ser habitual na marca chinesa, a disponibilização da versão final da MIUI, acabou por levar mais algum tempo do que aquele que seria desejável.

Primeiro é lançada a versão Chinesa, que não disponibiliza os serviços da Google e só semanas mais tarde, a versão Global, que é aquela que interessa aos mercados ocidentais.
Em termos de novidades, o modo retrato, o menu para apps "recentes", notificações inspiradas na natureza, tempo para relaxar, novos controlos para o brilho e som e melhorias no desempenho, são os grandes aspectos em destaque.

O primeiro lote de smartphones a receber a MIUI 10 Global, contemplava os Xiaomi Redmi Note 5 Pro, Xiaomi Mi 5, Xiaomi Mi 6, Xiaomi Mi Mix, Xiaomi Mi Mix 2 e Xiaomi Mi Note 2. A actualização só começou a ser disponibilizada em meados de Setembro, 3 meses depois da apresentação oficial da MIUI 10.

O segundo lote de smartphones tinha actualização prevista para o início de Outubro e a Xiaomi volta a cumprir o planeamento, disponibilizando a MIUI 10 para os Xiaomi Redmi Note 4/4X e Redmi Note 6 Pro.

Este Redmi Note 6 Pro foi lançado em Setembro e não é mais do que um update do Xiaomi Redmi Note 5 Pro. Apresenta um processador  Qualcomm Snapdragon 636, 3GB/4GB/6GB de RAM e 32GB/64GB para armazenamento. Tem um ecrã LCD IPS de 6,26" Full HD+ (2246×1080) com notch, câmara dupla de 12MP + 5MP (sensor de profundidade) na traseira e outra dupla de 20MP + 2MP (sensor de profundidade) na frente do smartphone. A bateria tem 4000mAh e corre MIUI 9 sobre o Android 8.1 Oreo.


Já o Xiaomi Redmi Note 4/Redmi Note 4X, é um antecessor dos dois smartphones acima referidos, tendo sido lançado em Janeiro de 2017. Em termos de hardware, apresenta (naturalmente) componentes mais modestos, mas ainda assim, consegue continuar a ser um smartphone interessante hoje em dia. Tem um processador Qualcomm Snapdragon 625, 2GB/3GB/4GB de RAM e 32GB/64GB para armazenamento, ecrã LCD IPS de 5,52" Full HD (1920×1080), câmara traseira de 13MP e uma câmara frontal de 5MP. A bateria tem 4100mAh e foi apresentado a correr MIUI 8 sobre o Android 6.0 Marshmallow. 

topo

Squoosh deixa testar compressão de imagens no browser

13-11-2018 | 18:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A equipa do Chrome Labs da Google lançou uma interessante web app que permite explorar e comparar os diferentes métodos de compressão de imagens, directamente no browser, mesmo quando não se tem internet.

Um salto ao site Squoosh dá- acesso a esta web app - que pode funcionar em modo offline - e que permite carregar uma qualquer imagem e avaliar o efeito dos diferentes formatos de compressão de imagem disponíveis, incluindo os habituais JPG e PNG, mas também o WebP, MozJPEG, e OptiPNG; mesmo em browsers e sistemas que nativamente poderiam não os suportar.

??Today we released https://t.co/rdEh9XpHMx ??

It allows you to encode images using best-in-class codecs like MozJPEG, WebP, and OptiPNG.
Works cross-browser, works offline, and ALL codecs supported even in a browser with no native support using power of WASM ?? pic.twitter.com/GMxABSQIne
— Chrome Developers (@ChromiumDev) November 13, 2018


Em cada um deles temos acesso a diversos parâmetros, como a taxa de compressão, qualidade, ou o "esforço" que deverá ser feito para comprimir a imagem com o máximo de qualidade; e que será interessante para se ficar com uma melhor ideia do que é possível obter, muitas vezes sem qualquer perda de qualidade perceptível.


Altamente recomendado, em particular para todos aqueles que continuam a colocar imagens com mais megabytes do que seria necessário na web! ;P

Nota: para efeitos de referência, num dos exemplos temos uma captura de ecrã de um smartphone que ocupa 1.62MB e que passa para 154KB usando MozJPEG, ou 130KB usando WebP, sem diferença visual perceptível.

topo

Lógica religiosa

13-11-2018 | 18:29 | Bruno Miguel | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Visto no /r/funny.

topo

Já testámos o SuperCharge da Huawei - 70% de carga em 30 minutos?

13-11-2018 | 17:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


O Mate 20 Pro adopta o novo SuperCharge da Huawei de até 40W e também carregamento wireless que pode ser usado para recarregar outros equipamentos. Depois de termos testado a anterior geração do SuperCharge, foi agora tempo de o fazer com esta nova versão.


O Mate 20 Pro apresenta-se com sistema de carregamento sem fios até 15W e pode inclusivamente carregar outros smartphones, graças a um sistema de carregamento inverso. Além deste sistema de carregamento sem fios, o Mate 20 Pro pode também ser carregado através do sistema SuperCharge, que nesta nova versão, chega aos 40W, numa relação de carregamento de 10V/4A.


Como tivemos oportunidade de testar, o SuperCharge utilizado no Mate 10 Pro permitia um carregamento rápido que chegava aos 100% (bateria de 4000mAh) em 1h32min. Este novo SuperCharge apresenta uma evolução significativa face ao sistema anterior, capaz de chegar aos 70% de carga em apenas 30 minutos, segundo a Huawei. Para termo de comparação, no mesmo tempo, o Mate 10 Pro consegue um pouco menos de 60%.

Para testar o novo SuperCharge, utilizámos o Mate 20 Pro com o carregador que acompanha o smartphone. O Mate 10 Pro foi também carregado ao mesmo tempo com o seu carregador original. Cada smartphone tinha ligado um adaptador que permite saber a relação de carregamento utilizada em cada momento.

No vídeo que se segue, podem ver a evolução do carregamento nos dois smartphones.



Ambos os smartphones foram utilizados até se desligarem, altura em que apresentavam 2% de carga. Ligou-se o respectivo carregador a cada um dos smartphones e deu-se início ao processo de carregamento.

A tabela que se segue apresenta as medições efectuadas ao longo do processo, até se atingir os 100% de carga no Huawei Mate 20 Pro.



Após alguns segundos para ajuste da relação de carregamento, o Mate 20 Pro estava a carregar a 8.2V@2.36A e o Mate 10 Pro a 4.44V@4.73A. Aos 5 minutos o Mate 20 Pro já tinha uma vantagem de 3%, estando a carregar quase à potência máxima de 40W, a qual se alargou para 8% aos 10 minutos. Aos 20 minutos o Mate 20 Pro tinha o carregamento a meio, com 51% de carga, e o Mate 10 Pro começava a ficar para trás, com 39% de bateria - uma diferença de 11% para o Mate 20 Pro.

O primeiro objectivo estava aos 30 minutos, pois a Huawei avançava com 70% de carga. No teste que efectuámos, o Mate 20 Pro apresentava a bateria a 75%, uma percentagem um pouco acima da que a marca anunciou (à qual se deve retirar os 2% que o smartphone apresentava no início do carregamento). Fica assim comprovada a promessa da Huawei, mas interessava verificar quanto tempo demoraria o Mate 20 Pro a chegar aos 100% de carga. Isso veio a acontecer aos 54 minutos. Em menos de uma hora o smartphone fica com a bateria de 4200mAh completamente carregada, algo que no Mate 10 Pro (4000mAh) demorou 92 minutos a acontecer.

O smartphone aqueceu um pouco no período de carregamento, mas nada que se possa considerar preocupante.





No gráfico podemos ver a evolução do carregamento, com o Mate 20 Pro a conseguir uma larga vantagem até aos 40 minutos, fruto de uma relação de carregamento superior, onde os 9V@3A fizeram a diferença.

Esta nova versão do SuperCharge apresenta uma evolução significativa, face à disponibilizada com o Mate 10. Os 40W (10V@4A) fazem toda a diferença - mesmo se esse valor é apenas atingido durante a fase inicial de carregamento - com os 4200mAh do Mate 20 a chegarem aos 73% em apenas 30 minutos. A carga completa foi conseguida em menos de 1 hora, o que faz deste novo SuperCharge um dos mais rápidos sistemas de carregamento actualmente disponíveis no mercado.

topo

Mini teclado com trackpad a €17

13-11-2018 | 17:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Fartos de pesquisarem por coisas no YouTube da vossa Smart TV ou TV Box Android usando um teclado virtual no ecrã? Nada como utilizar um teclado a sério, ou neste caso, um min-teclado wireless com trackpad, mais adequado para este tipo de cenários.

A maioria das pessoas não dá valor ao teclado e ao rato / trackpad, até ao momento em que fica sem eles e descobre como é frustrante ter que escrever coisas usando teclas do cursor num controlo remoto, a percorrer teclas num teclado virtual no ecrã. Para se livrarem disso, nada como recorrer a um teclado que possa passar despercebido na sala de estar, mas que esteja sempre à mão para teclar o que for preciso.



Este mini-teclado com trackpad Rii RT504 está disponível por 17.41 euros usando-se o código de desconto ASZC3089.

Para além das dimensões compactas (13.8 x 6 x 1 cm), este mini-teclado conta com teclas iluminadas, e a área do trackpad pode também funcionar como secção de controlo multimédia. Basta encaixar o receptor wireless USB no dispositivo a ser controlado (Smart TV, TV Box Android, consolas, ou até portáteis ou computadores de secretária), e passamos a poder escrever neles usando este mini-teclado.

Este teclado wireless tem uma bateria de 450mAh e uma autonomia anunciada de até 700h em funcionamento. Quando começar a indicar nível baixo, bastará ligá-lo a uma porta USB para o recarregar.

topo

Notícias do dia

13-11-2018 | 16:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Copiadores de cartões nas caixas MB em Portugal; Linux chega ao DeX e transforma smartphones em "computadores completos"; análise ao BlackBerry KEY2; modo Night Sight do Pixel 3 chega ao Pocophone F1 para fotos nocturnas melhoradas; Google quer Android adaptável a todo o tipo de ecrãs; e a Corel desactiva software de utilizadores legítimos - e ainda oferece descontos a piratas.

Antes de passarmos às notícias de hoje, não deixem de votar no livro FCA que vos parecer mais interessante, para sabermos qual será o livro cujos exemplares iremos oferecer ao longo da semana.

Waymo vai lançar serviço de táxis autónomos ainda este ano



A Waymo quer terminar o ano em grande, com o lançamento de um serviço (sob uma nova marca) para competir com a Uber e Lyft, usando os seus carros autónomos, já no próximo mês. Uma medida que marcaria o arranque oficial destes serviços, depois dos testes piloto que já foram feitos com acesso limitado... e que viria aumentar drasticamente a pressão sobre todos os concorrentes.


Olhar para a taxa de desactivações do sistema autónomo demonstra bem que a Waymo está "noutra divisão", actualmente conseguindo percorrer - em média - mais de 8000Km antes de qualquer intervenção humana, enquanto que a maioria dos seus concorrentes nem 1000Km consegue fazer antes do condutor ter que assumir o controlo.

... Fica a questão de saber que preços poderão ser praticados para manter o serviço sustentável.


Serviços da Google estiveram inacessíveis devido a desvio de tráfego para a China



Depois das acusações de que grande parte do tráfego da internet estaria a ser indevidamente desviado para a China, temos mais um caso onde isso teve consequências bem visíveis: diversos serviços da Google estiveram inacessíveis, por o tráfego estar a ser redireccionado para a China, onde acabava por ser bloqueado.

Este tipo de incidentes vem relembrar a necessidade urgente de modernizar o BGP (Border Gateway Protocol), responsável por definir as "regras de trânsito" que os dados devem seguir, e que foi criado com o pressuposto que todos os elementos na rede seriam elementos de confiança e que seguissem as boas práticas - algo que, infelizmente, nos nossos dias, já não se pode assegurar.


Intel adianta modem 5G 



O próximo ano vai marcar o lançamento dos smartphones 5G, e a Intel não quer ser a responsável pelo atraso da sua chegada ao mercado. Para isso, anunciou que o seu chip XMM 8160 5G irá ficar disponível já na segunda metade de 2019, 6 meses antes do que estava originalmente planeado.

É uma medida que poderá estar relacionada com o facto da Apple ter cortado as relações com a Qualcomm, e agora recorrer aos chips da Intel para as comunicações (embora os rumores refiram que irá manter a MediaTek como backup, para qualquer eventualidade). Esta antecipação da Intel viria a calhar para o lançamento dos primeiros iPhones com 5G em 2020 - já que mesmo com estes 6 meses adiantados, não deverá ser possível integrá-los nos iPhones de 2019 (nem será conveniente fazer isso à pressa, para não se arriscarem a enfrentar um 5G-gate devido a um qualquer bug.)



Google disponibiliza AI open-source que distingue vozes



Reconhecer a voz é algo que os actuais sistemas de reconhecimento já fazem com bastante qualidade, mas agora a Google disponibilizou como open-source o seu sistema de A.I. que é capaz de diferenciar entre diferentes pessoas a falar e que pode ser utilizado em tempo real.

Um sistema deste tipo poderá ser usado, por exemplo, para distinguir entre diferentes pessoas ao fazer a transcrição de um vídeo; ou ser aplicado a sistemas de tradução instantânea, sabendo quando é que uma pessoa ou outra está a falar; ou eventualmente para fazer com que um assistente de voz execute os comandos dados pelo utilizador legítimo, mas não ao comandos de voz de outra pessoa que tente falar logo a seguir.


Fornecedor de componentes do Face ID revela quebra na venda de iPhones



A Apple pode ter deixado de revelar o volume de vendas dos iPhones (o que por si só seria logo um indicador de que não haveria boas notícias a revelar), mas não consegue impedir que os seus fornecedores revelem os seus resultados e projecções - e daí inferir a produção e vendas. Foi o que aconteceu com a Lumentum Holdings, o principal fornecedor de componentes usados no Face ID, que anunciou uma redução nas suas estimativas devido ao seu "maior cliente" ter reduzido as encomendas.

Uma redução de $70 milhões para a Lumetum, que se traduziu numa queda de $50 mil milhões para as acções da Apple, com os investidores a ficarem cada vez mais preocupados perante a perspectiva da táctica dos iPhones caros não estar a resultar tão bem quanto a Apple esperaria (e ainda mais pelo facto do iPhone XR não estar a ser o sucesso que se esperava que viesse a ser).


Curtas do dia


Resumo da madrugada

topo

O sensor de impressões digitais no ecrã do OnePlus 6T

13-11-2018 | 16:21 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Uma das novidades do OnePlus 6T é ter o sensor de impressões digitais integrado no ecrã, e agora já podemos ver como é que a coisa funciona, vista de dentro.


Ao contrário dos sensores capacitivos e ultra-sónicos, a OnePlus optou por utilizar um sensor óptico, o que basicamente é o mesmo que dizer que este sistema recorre a uma câmara montada por trás do ecrã, que capta uma imagem do dedo pousado directamente sobre o vidro. É precisamente isso que é revelado no teardown feito pelo JerryRigEverything, e onde podemos ver que o "furo" no ecrã OLED, que permite ver parcialmente o que se passa do lado de fora quando se espreita do interior.


Tal como já demonstrado noutros ecrãs OLED transparentes, a luz dos pixeis é emitida unicamente numa direcção (para fora), permitindo que o sensor capte a imagem das impressões digitais usando a luz do próprio ecrã como iluminação.

Neste caso, a câmara usada para o sensor estará afinada para captar apenas imagens "encostadas", e a transparência do ecrã não parece ser ainda suficiente para que se pudesse lá colocar uma câmara frontal convencional. No entanto, são precisamente estes os princípios que um dia permitirão ter um ecrã full-screen com câmara frontal sem notches nem partes deslizantes. Falta apenas saber quem será o primeiro a fazê-lo...

P.S. a imagem acima permite também ver um dos "contras" desta tecnologia, que é a reduzida área de detecção: o utilizador tem que por o dedo exactamente sobre a área daquele orifício.

topo

Análise ao BlackBerry KEY2

13-11-2018 | 15:31 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Os smartphones da BlackBerry encontraram uma nova vida por intermédio da TCL e a adopção do Android, e o KEY2 é o mais recente modelo que tenta combinar a tradição da marca com os requisitos que se esperam de um smartphone moderno.


O mercado dos smartphones há algum tempo que entrou numa espiral de monotonia, parecendo que todos os novos modelos são apenas versões ligeiramente melhoradas dos anteriores, com as diferentes marcas a apostar em pequenas evoluções do hardware ao invés de arriscarem em produto verdadeiramente inovadores, com características diferenciadoras.

A aposta da BlackBerry no mundo Android acabou por ser uma lufada de ar fresco, mantendo a aposta nos teclados físicos tão associados a esta marca. Foi assim com o BlackBerry KEYOne, e volta a ser o caso com o KEY2.

O BlackBerry KEY2



O KEY2 é um herdeiro natural do KEYOne. A TCL analisou em detalhe os aspectos menos positivos do KEYOne, tendo corrigido a maioria das falhas que lhe eram apontadas. Apresenta um equipamento mais fino e leve, com um novo teclado, elemento que continua a ser o maior destaque neste smartphone. O ecrã não sofreu alterações, mantendo as 4.5" numa relação 3:2, continuando por isso muito longe dos ecrãs "full-screen" que hoje em dia são cada vez mais comuns.




No que ao hardware diz respeito, o KEY2 apresenta um Snapdragon 660 da Qualcomm, processador que garante uma boa relação desempenho/autonomia, 6GB de RAM e 64GB para armazenamento. A bateria tem 3500mAh, o que permite uma utilização despreocupada do smartphone.

As câmaras foi uma das áreas onde a TCL apresentou novidades. Na traseira temos uma câmara dupla de 12MP, uma com abertura f/1.8 e outra com f/2.6, para fotografias com efeito bokeh. Na frente um sensor de 8MP, com as selfies nocturnas a terem o auxílio do LCD para simular o efeito de um flash. No vídeo, as câmaras traseiras permitem captar vídeo de 4K@30fps, já a câmara frontal fica-se pelos 1080p@30fps.




O teclado



O teclado retro-iluminado apresenta algumas novidades, face ao que a marca apresentou no KEYOne. O tom brilhante das teclas, deu lugar a um acabamento fosco, com a superfície dos botões a ficar menos escorregadia. A dimensão de cada tecla aumentou em 20%, tornando o teclado mais confortável para quem tenha dificuldade em lidar com estes pequenos botões.

A maioria das teclas tem dois caracteres associados, o principal a branco e o secundário a cinza, com este último a estar acessível através da tecla "ALT". A tecla shift dá acesso às letras maiúsculas, que também podem ser obtidas com uma pressão mais longa sobre a tecla.


Na fila inferior, à esquerda da barra de espaços, o acesso ao microfone e número zero. Uma pressão longa dá acesso à barra de funções especiais, na zona da sugestão de palavras (logo por cima dos botões de navegação) onde podermos encontrar os emojis, zona de navegação e copy/paste e ainda o histórico do clipboard. Estas funcionalidades também podem ser chamadas através do ícone que se encontra à esquerda na linha com as 3 sugestões.



Do lado direito da barra de espaços temos ainda a tecla "sym", que activa o teclado virtual com os símbolos; e a speed key, que dá acesso aos atalhos, configuráveis pelo utilizador, que podem chamar aplicações ou executar acções pré-configuradas.



As possibilidades são efectivamente imensas e permitem que, com um pouco de configuração, se possam realizar muitas das operações mais rotineiras com um simples toque nas teclas deste KEY2.




Em utilização




O KEY2 apresenta-se a correr Android Oreo 8.1, não havendo ainda uma data para a chegada do novo Android 9 Pie. Tendo em conta a prestação da TCL na actualização do KEYOne, não vale a pena estar a contar com uma actualização a curto prazo.



O mesmo já não se passa com as actualizações de segurança, com o KEY2 a ter nesta altura um patch com data de Outubro. Não chegou tão rapidamente como desejável, mas acabou ser disponibilizado antes de a Google lançar o patch de Novembro, pelo que acaba por ser um desempenho positivo.

As aplicações disponibilizadas neste KEY2, continuam a marcar a diferença pela positiva. Foram pensadas para quem tem de trabalhar em mobilidade, permitindo uma rápida edição dos documentos.




Temos o Locker para restringir o acesso a aplicações e conteúdos, o Password Keeper para nunca mais se esquecerem das vossas palavras passe, o DTEK que o centro de toda a segurança do smartphone e o HUB para gerir as notificações das contas de email e redes sociais. O Power Center gere o desempenho do equipamento e a dupla Privacy Shade/Redactor permite a leitura e edição dos documentos em segurança. Fica de fora desta lista o mítico BlackBerry Messenger, uma app que acabou por ser vítima das coisas políticas da empresa.

O Notable e o Notes são duas aplicações extremamente práticas para tirar notas, sendo que no caso do Notable, é possível adicionar grafismo ao texto. Já o Notes tem por objectivo a edição de texto "pura e dura". Foi precisamente com esta app que escrevi esta análise, pois pretendia testar e o teclado durante um longo período.

A curva de aprendizagem é bastante exigente, pelo que o utilizador se vê obrigado a empenhar-se decisivamente em busca da mestria de escrita num teclado físico. Os primeiros tempos não vão ser fáceis, mas a eficiência vai melhorando ao longo do tempo.


A câmara



Este KEY2 passa a recorrer a uma dupla câmara de 12MP, uma com abertura f/1.8 e outra com f/2.6, sendo esta última utilizada o zoom e efeito desfocado no fundo da imagem.

BlackBerry KEY2

Está dupla permite obter imagens de boa qualidade, mas está sempre dependente da iluminação da zona a fotografar. Fotos em interiores, podem apresentar algum ruído e menor definição nos detalhes da imagem.


A interface está organizada em duas zonas principais. À esquerda, definições, modo HDR, formato de imagem, temporizador e flash. Do lado direito, filtros de imagem, tipo de fotografia /vídeo, botão de disparo, mudança de câmara e acesso à biblioteca de imagens captadas.

Hoje em dia, é comum ter acesso a um modo Pro, que permite a definição manual dos parâmetros da fotografia. O KEY One apresentava está funcionalidade, pelo que considerei muito estranho o facto de este KEY2 não apresentar um modo Pro.

Na verdade, o KEY2 tem um modo Pro disponível, mas para terem acesso ao mesmo terão de o activar previamente nas definições. Ao activarem está funcionalidade, passam a contar com mais um ícone no ecrã, ao lado do flash. Ao tocarem neste ícone, são apresentados os diferentes parâmetros para captura da imagem, havendo sempre a possibilidade de escolher o modo auto.


No que diz respeito ao vídeo, o KEY2 permite gravar a 720p e 1080p ao 60fps, com o 2160 (4K) a ficar limitado a 30fps, algo que é norma, até nos smartphones topo de gama. A estabilização de imagem, só vai até aos 1080p a 30fps.


O facto de podermos filmar a 4K é naturalmente interessante, mas o KEY2 vem com uma limitação que restringe a gravação em 4K a um máximo de 5 minutos. Se necessitarem gravar um vídeo ininterrupto durante mais tempo, será necessário escolher uma resolução inferior.


Apreciação final




O teclado físico volta a estar em grande plano neste BlackBerry KEY2, algo que irá agradar aos fãs da marca, proporcionando uma utilização precisa e agradável ao toque. Todo o smartphone trabalha em função deste elemento, sendo exemplo disso o ecrã, que continua a apresentar uma resolução abaixo do normal nos dias que correm. Um teclado deslizante por baixo do ecrã poderia ser uma opção interessante, no sentido de permitir um ecrã de maior dimensão sem abdicar do teclado físico - quem sabe se poderá ser a opção escolhida para o KEY3? :)

A actualização do hardware vem corrigir um dos pontos menos positivos do KEYOne, com o desempenho a subir para um nível bem mais adequado ao preço a que o equipamento é comercializado. O Snapdragon 660 é muito competente e, mesmo num cenário mais intensivo, vão ter bateria para mais de um dia de utilização.

O pacote de actualizações disponibilizado pela BlackBerry continua a acrescentar valor ao produto, apresentando várias opções para aumentar a produtividade. Quando me propus a escrever este artigo no smartphone, pretendia avaliar isso mesmo. As conclusões são bastante positivas, com o Note a mostrar-se uma boa opção para a escrita, faltando-lhe apenas a função de voltar atrás (undo), algo que poderá ser catastrófico nalguns cenários. O restante conjunto de apps é também bastante útil, tanto em termos de produtividade como no que à segurança diz respeito, algo que é inclusivamente uma das bandeira da TCL para a comercialização do KEY2.

Em termos globais, o BlackBerry KEY2 é uma evolução natural do seu antecessor, constituindo-se como uma opção bastante sólida para os amantes dos teclados físicos. É por isso merecedor de um distinto "Quente" - sem que deixemos de referir a recomendação por outras propostas, caso o teclado físico não seja uma prioridade.

O BlackBerry KEY2 já está disponível no nosso país, com um preço 629.99 euros.



BlackBerry KEY2
Quente


Prós
  • Teclado físico
  • Qualidade de construção

Contras
  • Preço
  • Formato do ecrã




BlackBerry KEY2

Quente (4/5)

topo

Notable PHP package: Generic PHP Named Parameters Function Call

13-11-2018 | 14:54 | Manuel Lemos | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

By Manuel Lemos
Named function parameters constitute a special way of passing parameters to a function in a way that each parameter can be specified in any order.

This class provides means to extract values of named parameters that can be passed literally by value or by reference.

It can also be used to call any global function passing named parameters defined as associative arrays.

Read this article to learn more details about how this notable PHP package works.

topo

Como os Tesla vêem a estrada à noite

13-11-2018 | 14:13 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Depois de termos visto como o novo Autopilot V9 da Tesla vê a estrada durante o dia, temos agora um exemplo que nos mostra como é que se comporta à noite.

Ter veículos com capacidades autónomas e semi-autónomas que nos possam conduzir durante o dia é bom, mas mais importante será que o consigam fazer em circunstâncias que seriam mais complicadas para os condutores humanos, como à noite e sob condições adversas.

O vídeo que se segue mostra-nos como a mais recente versão 9 do Autopilot da Tesla lida com a detecção dos veículos e estradas à noite, sendo o processo complicado pelo facto de ter chovido, criando reflexos na estrada e com algumas das câmaras a terem gotas de água a "atrapalhar".

Felizmente, mesmo assim o sistema parece funcionar de forma bastante robusta, mesmo não contando com a assistência de um LIDAR, que muito ajudaria nestas condições.

topo

Alexa já disponível para todos os PCs com Windows 10

13-11-2018 | 13:11 | A Minha Alegre Casinha | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Depois de ter sido lançada de forma limitada apenas para alguns portáteis, a app Alexa da Amazon fica finalmente disponível na Microsoft Store para todos os computadores com Windows 10.

Quem não estiver satisfeito com as capacidades da Cortana, ou simplesmente quiser ter acesso à mais vasta gama de possibilidades permitida pela Alexa, pode a partir de agora instalar a Alexa em qualquer computador Windows 10.

Com isto os utilizadores passam a ter acesso a algumas das funcionalidades que teriam através de um Echo da Amazon, como controlar dispositivos inteligentes (acender e apagar lâmpadas, por exemplo), mas deixando de fora algumas coisas como as chamadas (de voz e vídeo) e até o acesso ao Spotify (que não deixará de ser um pouco estranho). No entanto, a Amazon diz que irá adicionar novas capacidades já no início de 2019, pelo que se espera que as diferenças entre ter a Alexa no PC ou num Echo comecem a reduzir-se.

Em computadores "compatíveis" será também possível usar a activação por voz bastando dizer "Alexa"; nos restantes, será necessário activar previamente o reconhecimento carregando num botão na app sempre que se quiser dizer um comando.

topo

Copiadores de cartões nas caixas MB em Portugal

13-11-2018 | 12:01 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Há quase uma década atrás falamos dos perigos dos "copiadores de cartões" nas caixas de levantamento de dinheiro; actualmente, é algo a que ninguém está imune, e que obriga a cuidados redobrados em qualquer caixa Multibanco que se utilizar.

O problema não é recente (como se pode verificar pela data do nosso artigo referenciado acima), mas infelizmente permanece e parece estar mais disseminado que nunca. As fotos no início são referentes a uma caixa MB do Montepio Geral da Av 25 de Abril na Costa de Caparica, tendo o aparelho sido detectado há poucos dias - e apenas porque o cartão, ao sair, ficou um pouco encravado, e ao tentar desencravá-lo a peça "saltou".

Para quem não estiver familiarizado com estes aparelhos, lá fora designados por "ATM Skimmers", são dispositivos que têm como objectivo copiar o cartão bancário que for introduzido na máquina; e na maioria dos casos encontram-se perfeitamente camuflados como sendo a "tampa" através da qual se insere o cartão - mas que podem chegar a ser um painel falso completo, que também se sobrepõe ao teclado original, para ter acesso ao código introduzido. Nos copiadores originais os dados ficavam guardados no módulo e obrigavam os ladrões a recuperarem o mesmo (o que se tornava numa excelente oportunidade para os apanhar em flagrante); mas nas gerações mais recentes, os dados são transmitidos via wireless, permitindo que eles se mantenham à distância e em "segurança".

Este tipo de ataques é parcialmente mitigado pelo facto de por cá já serem obrigatórios os cartões bancários com chip, mas infelizmente ainda há muitas situações em que são permitidas operações apenas com base na faixa magnética dos mesmos. Algo que é facilmente comprovado quanto tentam fazer um pagamento num estabelecimento, e depois do cartão, por algum motivo, falhar na leitura do chip, é passado com o típico "deslizar" sobre o leitor da faixa magnética.


Importa por isso estar muito atento de todas as vezes que introduzirem o cartão numa caixa MB, especialmente nas caixas que estão expostas na via pública. Percam alguns momentos a inspeccionar a mesma para verem se existe alguma anomalia; e de preferência tentem dar prioridade às caixas que estejam localizada no interior de instituições bancárias - e mesmo assim, mantendo a atenção.

Outra alternativa será usarem a modalidade do MB Way para levantarem dinheiro sem usar o cartão, ou a que chegará no próximo ano, que permitirá utilizar as caixas MB sem cartão.


Caso tenham inserido o cartão numa caixa MB suspeita, o método mais seguro consistirá em pedir o cancelamento do cartão, e permanecerem vigilantes sobre o extracto bancário para verem se não há operações indevidas. Muitas vezes estes atacantes limitam-se a gastar valores reduzidos de poucos euros por mês, para tentarem passar despercebidos.

topo

Linux chega ao DeX e transforma smartphones Samsung em "computadores completos"

13-11-2018 | 11:01 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Embora não tenha ainda atingido uma expressão significativa, a Samsung tem tentado demonstrar que os smartphones actuais podem começar a ser usados como substitutos dos computadores de secretária, e agora conta com um sistema Linux no DeX para o demonstrar.

Muitos utilizadores já deverão ter pensado porque motivo não podem usar o seu smartphone como "computador", especialmente quando temos smartphones que até têm características superiores aos de muitos portáteis. Na verdade, não há nenhum impedimento para tal... para além do trabalho de implementar uma máquina virtual e adicionar o suporte para teclado, rato e monitor externo. É precisamente isso que a Samsung tem feito com o seu DeX, e que agora passa a contar com um Linux completo, concretizando a promessa feita o ano passado.


Por agora ainda se trata de um produto em fase beta, pelo que poderá haver algumas coisas a corrigir; mas esperemos que seja suficiente para incentivar muitos outros fabricantes a considerarem seriamente esta vertente de usar um smartphone como "PC".

Neste momento, este Linux para DeX está limitado a equipamentos com DeX, o que significa que só estará acessível a utilizadores que tenham um Galaxy Note 9 ou Tab S4 (neste momento nem sequer o Galaxy S9 é ainda suportado).


topo

Ganha livros FCA [Novembro 2018]

13-11-2018 | 10:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Este mês temos nova selecção de livros gentilmente disponibilizados pela FCA para oferecermos, e que serão do agrado de quem se interessar por Python, Web Development, ou RGPD.

A FCA – Editora de Informática, do grupo de edições técnicas LIDEL, é um projecto 100% português que iniciou a sua actividade em Outubro de 1991. Apresenta a mais completa biblioteca de informática em português, tendo publicado desde a sua criação mais de 1800 livros. Está presente nos principais países de expressão portuguesa e as suas obras são dirigidas a profissionais, estudantes e público em geral. No catálogo online da FCA, os leitores podem ainda encontrar material auxiliar e algumas actualizações, que lhes permitem acompanhar o desenvolvimento das tecnologias e dos sistemas de informação.

Para este mês os candidatos são os seguintes livros:



Já sabem como funciona... votem no que mais vos interessa; e teremos exemplares do livro mais votado para vos oferecer nos dias que se seguem - cortesia da FCA! :)

Não se esqueçam de fazer like, +1, retweet, e partilharem com os vossos amigos, para mostrarem à FCA o quanto apreciam esta iniciativa.

Actualização: Já temos livro vencedor, que este mês é o "Programação em Python". A partir de amanhã poderão começar a responder às perguntas para ganharem os exemplares deste livro que temos para vos oferecer (link válido a partir das 10h).

Passatempo válido para participantes com morada em território nacional (Portugal).

topo

SDC 2018 - Samsung revela avanços na Inteligência Artificial, na Internet das Coisas e em Mobile UX

13-11-2018 | 09:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Durante a Developer Conference 2018, a Samsung deu a conhecer o futuro da Bixby e da plataforma SmartThings, tendo ainda apresentado uma nova categoria de smartphones.


A Samsung Electronics Co., Ltd, revelou uma série de novas e avançadas ferramentas orientadas, especialmente, para as plataformas Samsung Bixby e Samsung SmartThings, e ainda inovadoras experiências com dispositivos móveis através da nova interface One UI e do Infinity Flex Display. Para tornar realidade o conceito de vida conectada, a Samsung está a facilitar aos developers e parceiros a rápida criação, lançamento e disponibilização de novas experiências para milhões de dispositivos em todo o mundo.

“Fizemos avanços significativos nas áreas da Inteligência Artificial (IA) e da Internet das Coisas (Internet of Things – IoT) que serão absolutamente cruciais para tornar realidade a nossa visão do conceito de vida conectada”, disse DJ Koh, presidente e CEO da IT & Mobile Communications Division, na Samsung Electronics. “Os avanços feitos na Samsung Bixby e na Samsung SmartThings abrem um novo capítulo que contempla a integração em escala de produtos e serviços de terceiros nas plataformas de IA e IoT.”

“O ecrã dobrável cria alicerces para um novo tipo de experiência com dispositivos móveis. Estamos muito satisfeitos por podermos trabalhar com os developers nesta nova plataforma, e assim criar valor para os nossos clientes. Estamos ansiosos por ver onde esta colaboração e tecnologia nos podem levar.”

Construir uma plataforma de conhecimento escalável
A Samsung Bixby foi criada como uma plataforma inteligente que nos permite usar a voz para interagir de forma prática com o telefone. A Samsung está agora a evoluir todo este conceito para uma plataforma de inteligência escalável, capaz de suportar os vários produtos e serviços que o consumidor utiliza no seu dia-a-dia. Na Samsung Developer Conference 2018 (SDC), a Samsung apresentou os novos recursos que os developers podem usar para criar uma experiência de assistente inteligente mais interativa e útil para os consumidores.

Através do Samsung Bixby Developer Studio, agora disponibilizado pela Samsung, os developers podem desenvolver mais facilmente os serviços suportados pela Samsung Bixby. Esta nova coleção de ferramentas oferece aos developers e parceiros uma forma intuitiva de infundir inteligência em mais serviços e dispositivos. Os developers vão conseguir criar mais facilmente Bixby Capsules – funcionalidades ou serviços criados para a Samsung Bixby – e disponibilizá-las aos consumidores no Samsung Bixby Marketplace. A plataforma Samsung Bixby vai ainda permitir aos developers adaptar mais facilmente as suas cápsulas criadas para ambientes de dispositivos móveis, de televisão e ainda de eletrodomésticos e de outros produtos do ecossistema Samsung.

No seguimento desta estratégia de expansão dos serviços da Bixby, a Samsung compromete-se também a suportar cinco novos idiomas nos próximos meses, incluindo inglês do Reino Unido, francês, alemão, italiano e espanhol.

Oferecer um estilo de vida conectado
O conceito de vida conectada defendido pela Samsung centra-se num ecossistema de Internet das Coisas aberto, que reúne um crescente número de dispositivos conectados em torno de uma única plataforma. Disponível em mais de 200 mercados em todo o mundo, a Samsung SmartThings oferece uma experiência de conexão numa única aplicação, levando a IoT da casa inteligente para o carro, para o escritório, e para todo os restantes locais que o consumidor frequenta.

A Samsung está a facilitar e a acelerar a ligação dos dispositivos e serviços à plataforma Samsung SmartThings através de um novo conjunto de ferramentas agora disponível no redesenhado Samsung SmartThings Developer Workspace. Estas ferramentas incluem o SmartThings Cloud Connector, o SmartThings Device Kit e o SmartThings Hub Connector. Os developers podem criar e efetuar lançamentos na plataforma, e ainda integrar facilmente dispositivos Zigbee e Z-Wave.

Além disto, o atualizado programa de certificação Works with SmartThings (WWST) dá aos developers acesso direto a recursos SmartThings. O WWST ajuda a assegurar que os dispositivos e serviços estão totalmente otimizados para a plataforma, para que os consumidores possam usufruir da melhor experiência possível.

Na liderança da melhor experiência de utilização e inovação em ecrãs
A Samsung está a dar a conhecer uma nova e intuitiva interface de utilizador designada One UI. Com um design sóbrio e minimalista, a interface mantém o conteúdo mais relevante na metade inferior do ecrã e torna as operações com apenas uma mão mais simples e confortáveis. A forma de utilização da interface foi melhorada para reduzir o nível de desordem e distração, permitindo ao utilizador um maior foco e uma navegação mais rápida no telefone.

A Samsung continua a desenvolver a sua oferta com base num legado de inovação que revolucionou a área dos ecrãs e do formato dos smartphones, e que abre agora novamente portas para uma estrutura que vai revolucionar o setor dos smartphones: um ecrã dobrável. O Infinity Flex Display, junto com a One UI, oferece um novo tipo de experiência com dispositivos móveis que permite aos utilizadores fazerem coisas que não poderiam fazer com um smartphone comum. Os consumidores podem agora usufruir do melhor dos dois mundos: um smartphone compacto que se desdobra para revelar um ecrã maior e mais envolvente, perfeito para ambientes multitarefa e de visualização de conteúdos. A transição entre o ecrã mais pequeno e o de maior dimensão é feita de forma perfeita, à medida que o dispositivo se abre. Além disto, os utilizadores podem navegar, ver conteúdos, estabelecer ligações e realizar múltiplas tarefas sem nunca perder o ritmo, usando três aplicações em simultâneo no ecrã de maior dimensão.

Pelo facto de o Infinity Flex Display ser uma plataforma de próxima geração, a Samsung convida a comunidade de developers a participar nesta jornada a partir do seu início. Ao trabalhar em colaboração com a Google e a comunidade de developers Android, a Samsung vai maximizar o potencial deste novo formato e criar uma experiência de utilização desdobrável mais otimizada.

Para mais informações sobre a Samsung Developer Conference 2018 visite o site http://sdc.developer.samsung.com. Pode ainda aceder a outros conteúdos no Twitter (@samsung_dev) ou usando a hashtag #SDC18.

topo

Google quer Android adaptável a todo o tipo de ecrãs

13-11-2018 | 09:14 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Criar um sistema que funciona apenas em smartphones ou tablets já não é suficiente, e a Google quer garantir que o seu Android será capaz de lidar com todo o tipo de dispositivos que existem actualmente e possam vir a surgir no futuro.

A Samsung é uma das marcas que tem estado a trabalhar no desenvolvimento de um smartphone com ecrã dobrável. Ao optar por este tipo de produto, haverá naturalmente que assegurar que o software tenha a capacidade de se adaptar ao tamanho do ecrã, o que vem aumentar a pressão pelos interfaces adaptáveis. Esta situação não é propriamente nova, pois a baixa taxa de sucesso dos tablets acaba por ter uma justificação no próprio Android. A Google nunca conseguiu apresentar uma solução optimizada para os ecrãs de maior dimensão.

O empenhamento da Google no desenvolvimento de uma solução capaz de se adaptar a vários tipos de ecrã, acaba assim por ser algo obrigatório.



A possibilidade de utilizar várias aplicações em simultâneo (ao estilo Windows), sem que apenas uma delas esteja activa é a grande novidade. Isto permitirá que o Android se aproxime do multitasking que temos nos sistemas operativos desktop, em que implicitamente se assume que todas as apps abertas estão a funcionar a tempo inteiro.

É um cenário muito interessante, que poderá catapultar o Android para outros horizontes, deixando este último de estar refém dos ecrãs dos smartphones. Resta esperar que desta vez não seja uma promessa que fique esquecida, à semelhança do que aconteceu desde os tempos dos Nexus 7 e Nexus 10.

topo

Gboard da Google ganha recomendação de stickers com A.I.

13-11-2018 | 08:48 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


O teclado Gboard da Google há muito que deixou de ser "apenas" um teclado, repleto de funcionalidade que permitem dar todo um acrescento visual com emojis e stickers, e que agora passam a contar com auto-sugestão via A.I.

A Google adicionou mais umas dezenas de novas línguas e dialectos ao Gboard (nenhuma das quais será particularmente útil para os utilizadores portugueses), mas a principal novidade é o recurso à inteligência artificial para recomendar stickers, emoji e GIFs, com base naquilo que se estiver a escrever.

O sistema funciona como uma evolução do anterior sistema de pesquisa dos mesmos, sinalizando a sugestão de algo que tenha sido considerado apropriado através do botão na parte superior esquerda do teclado. Infelizmente, como já seria de prever, por agora é algo que funciona apenas em inglês... pelo que quem passar a maior parte do tempo a escrever em português terá que continuar à espera que a "inteligência" possa lidar com a nossa língua.

Também para evitar preocupações com o que está a ser enviado para fora do nosso smartphone, a Google clarifica que todo este processamento A.I. para sugestão dos "bonecos" que deverão acompanhar as nossas palavras é feito localmente no próprio smartphone.

topo

Corel desactiva software de utilizadores legítimos - e ainda oferece descontos a piratas

12-11-2018 | 21:12 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Depois do caso dos Windows 10 desactivados, temos agora novo caso que afectou utilizadores dos programas da Corel, que foram invalidados remotamente com a acusação de que se tratavam de cópias ilegais

Por muito que as empresas tentem fazer passar a ideia de que o DRM existe para benefício dos utilizadores, o que é certo é que se vão repetindo os casos que demonstram que na prática o DRM só vai prejudicando os clientes legítimos, deixando que os utilizadores de software ilegítimo continuem a poder usufruir dos produtos sem nenhum dos inconvenientes que os utilizadores pagadores enfrentam.

Foi precisamente esse o caso que agora afectou clientes dos programas da Corel, que viram os seus programas serem inutilizados remotamente, perante um aviso de que estavam a utilizar uma cópia ilegal.


O problema não era o aviso em si, mas sim o facto de ser acompanhado pela desactivação das funções de gravar, imprimir e exportar; o que, para qualquer pessoa que estivesse a utilizar estes programas para fins profissionais, com compromissos e prazos de entrega a cumprir, as deixava numa situação bastante complicada.

A Corel ainda alegou que quem estava a ver estes avisos teria comprado a licença em lojas não oficiais, que as vendem a custo reduzido; mas no caso em questão, o cliente que denunciou esta situação é um que tinha comprado os programas directamente da Corel - e mesmo assim, ficou mais de um dia impedido de utilizar o software que tinha comprado, enquanto ia tentando resolver a situação com a Corel - definitivamente não sendo o tipo de coisa que se esperaria, ao comprar software legítimo.


Mas este aviso da Corel tem ainda outra componente curiosa, que é o facto de mostrar - novamente - a forma absurda como são tratados os clientes pagadores legítimos. É que enquanto a esses clientes pedem que paguem $99.99 por um programa como o Corel PaintShop Pro, para estes utilizadores de cópias piratas a Corel dá-lhes a oportunidade de pagarem apenas $34.99!

... Não seria mais simples disponibilizarem desde logo o seu software a este preço reduzido, o que seria desde logo um excelente dissuasor para que se recorrer a software ilegal ou de fontes não oficiais? É que, com tácticas assim que prejudicam os clientes legítimos, o que vão conseguir é afastar clientes pagadores para produtos concorrentes ou para cópias pirateadas... ao menos assim, quando virem surgir o aviso, ao menos sabem que estavam sujeitos a isso - e ainda acabam por ter desconto de 65% face ao preço de tabela!

topo

Mais de 40€ em jogos, aplicações, ícones e wallpapers grátis!

12-11-2018 | 18:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Começamos a semana com um leque de promoções bastante interessante, onde poderão encontrar jogos, aplicações e packs de ícones grátis. Há de tudo um pouco e para todos os gostos. São mais de 40€, que nesta altura estão grátis, por tempo limitado, pelo que não se atrasem em garantir estas propostas.

Aplicações

topo

Modo Night Sight do Pixel 3 chega ao Pocophone F1

12-11-2018 | 18:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


O Pocophone F1 é um dos smartphones mais desejados do momento, e torna-se ainda mais apetecível com a chegada do impressionante modo Night Sight que a Google estreou no Pixel 3.

No Pixel 3 a Google contrariou a tendência actual e manteve-se fiel a uma única câmara, redobrando os esforços para tirar o melhor partido do sensor através do software. Uma dessas melhorias foi o modo "Night Sight", que permite (quase) transformar a noite em dia. Infelizmente, é algo que a Google limitou apenas ao Pixel 3 e a uns poucos mais smartphones... mas que alguns developers já começaram a expandir a outros modelos, incluindo o Pocophone F1.

[fotos captadas pelo Pocophone F1, com / sem Night Sight]


O Night Sight já está disponível através de apps modificadas para o Xiaomi Mi 5 e Essential Phone, Oneplus 6 e OnePlus 6T; e agora chega também ao Mi 8 e ao Poco F1.

Para lhe dar uso será necessário estar a usar uma ROM com Android 9 Pie ou MIUI Pie beta, e para além do Night Sight ficamos também com acesso aos modos ZSL HDR+, HDR+ Enhanced, modo "retrato" nas câmaras traseira e frontal, e gravação de vídeo 4K@30fps. Como a app ainda está em desenvolvimento preparem-se também para enfrentar alguns bugs, sendo que entre os conhecidos se encontram alguns relacionados com a estabilização electrónica, focagem, e qualidade do modo slow-motion. Mas, uma vez que a utilização desta app não impede que se mantenha a app oficial do smartphone, não será demasiado problemático.

Considerando que por conta das promoções o Pocophone F1 até já tem estado disponível por menos de 250 euros... não há muito que enganar.

topo

Google trabalha no desenvolvimento do Android para mais do que um ecrã

12-11-2018 | 17:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A Samsung é uma das marcas que tem estado a trabalhar no desenvolvimento de um smartphone com ecrã dobrável. Ao optar por este tipo de produto, haverá naturalmente que assegurar a compatibilidade com o Android, pois como recentemente já tivemos oportunidade de verificar, uma má implementação, pode ser a morte do projecto.


Esta situação não é propriamente nova, pois a baixa taxa de sucesso dos tablets acaba por ter uma justificação no próprio Android. A Google nunca conseguiu apresentar uma solução optimizada para os ecrãs de maior dimensão, algo que a Apple teve o condão de disponibilizar no iOS.

O empenhamento da Google no desenvolvimento de uma solução capaz de se adaptar a vários tipos de ecrã, acaba assim por ser algo obrigatório, quando temos os smartphones com ecrã dobrável quase a chegar ao mercado.



A possibilidade de utilizar várias aplicações em simultâneo (ao estilo Windows), sem que apenas uma delas esteja em primeiro plano (multi-resume) é a grande novidade, pois irá permitir ao utilizador utilizar (efectivamente) várias apps em simultâneo, algo que actualmente não é possível, com apenas uma aplicação a estar activa.

É um cenário muito interessante, que poderá catapultar o Android para outros horizontes, deixando este último de estar refém dos ecrãs dos smartphones que o viram nascer.

topo

TV Box Android X96mini a €25

12-11-2018 | 17:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Transformar um televisor não-Smart num modelo "inteligente" é algo que se pode fazer com bastante facilidade e por um valor reduzido, graças às chamadas "TV Box" Android, como esta X96mini.

As Smart TVs são hoje em dia bastante comuns, mas começam também a sofrer do mesmo mal que muitos outros equipamentos. É que, se por um lado um televisor é algo que os consumidores esperam que se aguente por uma década (ou até mais), por outro lado temos a triste constatação de que poucos (nenhum?) serão os fabricantes que se preocuparão em manter o produto actualizado ao longo do tempo. Isto faz com que um televisor que hoje tenha acesso ao YouTube ou Netflix possa deixar de o ter daqui por uns anos... e a solução passará por gastar mais uma centenas ou milhares de euros num novo televisor, ou simplesmente quebrar o ciclo e apostar numa box Android.

Esta X96mini está longe de ser a box Android mais potente do mercado, mas será suficiente para responder às necessidades da maioria dos utilizadores.


A X96mini custa apenas 25.25 euros, e vem equipada com um CPU Amlogic S905W, 2GB de RAM, 16GB+microSD até 64GB, e Android 7.1.2. Suporta vídeos 4K com codificação HEVC H.265 e VP9, e com HDR.

Também vem com um prático controlo remoto, para garantir que pode ser utilizada do conforto do sofá sem que seja necessário comprar acessórios adicionais. A box tem um receptor IR que pode ser posicionado onde se quiser, permitindo que a box possa ficar arrumada / escondida, passando completamente despercebida, o que muitas vezes acaba por ser aconselhável para efeitos de arrumação dos cabos.

topo

Notícias do dia

12-11-2018 | 16:31 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Facebook não deixa desligar notificações de comentários nos Live Videos; Apple vai vender iPhones na Amazon mas exige remoção de todos os vendedores não autorizados; Tesla Track Mode transforma o Model 3 num carro de corridas; Google vai acelerar painel de "share" do Android; módulo de tomada BlitzWolf com monitorização de consumos por €10; Super Soco lança moto eléctrica TC Max de 5kW; carro autónomo da Waymo teve acidente por culpa do condutor; Cloudflare lança app 1.1.1.1 para Android e iOS; e ainda fizemos as contas para determinar quanto tempo dura um smartphone com ecrã dobrável.

Antes de passarmos às notícias de hoje, estamos no último dia para poderem ganhar uma mini-câmara que poderão colocar discretamente em qualquer lado.

YouTube conquista espectadores para vídeos de 1 hora



Depois de ser encarado como o local onde se iam ver vídeos "curtos", o YouTube tem estado a conquistar audiências dispostas a ver vídeos cada vez mais longos, que já vão cativando pessoas dispostas a verem vídeos com mais de uma hora.

É um processo de adaptação que está a fazer com que os habituais vídeos de 10-15 minutos (muitas vezes prolongados apenas para poderem ter publicidade) comecem a aumentar - mas o aspecto mais crítico será que os criadores terão que apostar em conteúdos que realmente mantenham as audiências interessadas, em vez de simplesmente adicionarem mais e mais "palha"... Afinal, no YouTube não temos falta de outras coisas para ver, se alguma delas começar a chatear.


Tesla reduz opções nos Model S e Model X para facilitar produção



A Tesla fez novo ajuste nos preços dos seus automóveis, e também remodelou (leia-se: reduziu) o número de opções disponíveis nos Model S e Model X, para simplificar o processo de produção.

Nos preços, os modelos S e X 75D aumentam ligeiramente ($1000), enquanto que os 100D baixam um pouco ($500). Nas opções, desaparece o tecto de abrir, bancos extra para crianças, e jantes de 21" Arachnid  no Model S; enquanto que no Model X desaparece a opção de 6 lugares. Com esta medida a Tesla conseguirá evitar opções que seriam mais trabalhosas na linha de montagem.


Alibaba vende €27 mil milhões no Single's Day



Se dúvidas houvesse quanto ao sucesso do Single's Day (11/11) na China, nada como olhar para os resultados do Alibaba, que neste dia facturou a módica quantia de mais de €27 mil milhões, superando os €21 mil milhões registados no ano passado. Este valor é mais do dobro dos valores facturados na Black Friday *e* Cyber Monday de 2017, juntos!

E se acham estes valores astronómicos, tentem imaginar o que será a logística de, num só dia, ter que processar / despachar mil milhões de encomendas - também um novo recorde para o gigante do comércio online chinês.

... Nada mau para um dia que foi criado para ser uma contrapartida ao Dia de S. Valentim, para os solteiros...


Samsung vai revelar Galaxy S10 e smartphone com ecrã dobrável em Fevereiro



Depois de ter apresentado o seu ecrã dobrável Infinity Flex, a pergunta que se segue é saber quando é que a Samsung irá lançar o primeiro smartphone que lhe dá uso, e segundo as últimas informações isso irá acontecer em Março de 2019, com um preço que deverá situar-se para lá dos 1700 euros. Tanto este modelo como o novo S10 deverão ser revelados oficialmente durante o MWC em Fevereiro.

Curiosamente, segundo este mesmo relato, o Galaxy S10 que a Samsung irá apresentar no lançamento não terá suporte para as redes 5G - algo que só deverá acontecer numa variante que também só deverá ficar disponível no mês seguinte (parece-me estranho que a Samsung vá fragmentar o S10 em versões com / sem 5G, mas seguramente saberemos mais sobre isso à medida que a data se aproximar).


OnePlus traz 6T "Thunder Purple" para a Europa



Os fãs da OnePlus que estivessem desapontados pela falta de "cor" do novo 6T vão poder optar pela nova variante com cor púrpura em gradiente "Thunder Purple" já a partir desta semana - o que de certa forma vem antecipar a disponibilização de cores extra nos modelos OnePlus, que tem sido usado como forma de "re-incentivar" as vendas de forma regular após os lançamentos.

O OnePlus 6T em Thunder Purple só estará disponível na variante com 8GB+128GB e poderá ser comprado na loja online oficial da OnePlus já no próximo dia 15 de Novembro.


Curtas do dia


Resumo da madrugada




topo

Nokia 9 com 5 câmaras com design finalizado

12-11-2018 | 16:21 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Parece estar garantido que no início de 2019 a HMD irá mesmo lançar no mercado um Nokia 9 com 5 câmaras, que agora teve direito a uma antevisão com base nos esquemas do seu design final.



Depois da Huawei ter demonstrado as mais valias de colocar um sistema de câmaras triplas num smartphone, já se sabia que seria apenas uma questão de tempo até que alguém se lembrasse de adicionar ainda mais câmaras. No mês passado a Samsung lançou o seu Galaxy A9 com 4 câmaras, e não deverá faltar muito para que este Nokia 9 venha superar isso com as suas 5 câmaras.


As imagens que agora foram reveladas vêm mostrar como deverá ser o modelo final - que provavelmente poderá ser apresentado no MWC em Barcelona - e que deverá ocupar o lugar do topo de gama da marca, potencialmente recuperando a designação PureView, que noutros tempos também marcava as inovações da Nokia no campo das câmaras em smartphones.

Este smartphone deverá contar com um ecrã de 5.9", sensor de impressões digitais no ecrã, e vir com um Snapdragon 845 (em vez do mais recente 855 que seria desejável para um modelo de 2019), acompanhado por até 8GB de RAM e 128GB de capacidade, com uma bateria de 4150mAh e Android 9 de origem a completarem o pacote.

A grande curiosidade vai ser sobre se todas estas câmaras poderão ser utilizadas em conjunto, para combinar a informação de todos os sensores num única foto final; ou se se limitará a permitir que o utilizador escolha qualquer uma delas, individualmente. (Pelo que tenho lido, nenhum dos chipsets actuais suporta nativamente tal quantidade de câmaras, pelo que iria ser necessário hardware adicional especializado para fazer a sua gestão simultânea....)

topo

Facebook não deixa desligar notificações de comentários nos Live Videos

12-11-2018 | 15:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Quem utilizar os Live Videos do Facebook deverá preparar-se para uma eventual enchente de emails de notificação de comentários, já que não é possível desactivá-los.

O Facebook disponibiliza uma secção bastante complexa de gestão das notificações, capaz de intimidar qualquer pessoa - algo que acaba por ser compreensível tendo em quanta a imensa quantidade de operações e secções que é necessário abranger.

No entanto, na secção referente às notificações por email, há logo em destaque uma opção relativa aos comentários dos Live Videos, que permite ligar ou desligar esses emails - ou pelo menos, assim se esperaria: já que na realidade, desactivar estas notificações não produz qualquer efeito, com a opção a manter-se activada assim que se volta a esta página, indiferente a quantas vezes a tentarmos desactivar.

Será seguramente um bug mas, numa empresa como o Facebook, onde são feitas centenas ou milhares de testes antes de qualquer alteração ser aprovada para chegar ao público, como é que se poderá justificar que algo tão simples quanto um activar  / desactivar não funcione? Bem... pior seria se a opção de eliminar a conta no Facebook não funcionasse... ;P

topo

Alguns Pixel 3 estão a aquecer excessivamente no carregamento

12-11-2018 | 14:13 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Os Pixel da Google parecem não se ver livre de problemas, e agora há relatos de unidades que estão a aquecer demasiado durante o carregamento, ao ponto de forçarem um encerramento de segurança devido à temperatura excessiva.

Embora os relatos não sejam generalizados, há várias pessoas a queixarem-se que não conseguem utilizar os seus Pixel 3 se os estiverem a carregar e quiserem fazer qualquer tarefa, como ver um vídeo ou fazer uma videochamada - situação que os leva a aquecer excessivamente, fazendo apresentar alertas de temperatura, e que culminam com o desligar do smartphone.

Alguns destes utilizadores já receberam novos Pixel 3 de substituição e confirmam que a situação deixou de ocorrer, pelo que tudo indica que o problema afecte apenas algumas unidades e não seja um problema generalizado. De qualquer forma, quem tiver um Pixel 3 deverá testá-lo nestas circunstâncias (uso moderado durante o carregamento, tanto por cabo como por carregamento wireless) para descobrir quanto antes se o seu smartphone também faz parte do lote problemático.

... E pouco a pouco, lá se vai confirmando a ideia de que, nos dias que correm, todos os consumidores são também beta testers, que aceitam pagar centenas ou milhares de euros por produtos que poderão vir com todo o tipo de "surpresas" (das indesejáveis).

topo

Apple vai vender iPhones na Amazon - mas exige remoção de todos os vendedores não autorizados

12-11-2018 | 12:01 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Não é fácil interpretar as grandes manobras estratégicas dos gigantes tecnológicos, mas a Apple vai finalmente começar a vender iPhones, iPads e outros produtos, na Amazon.

A Amazon anunciou que iria passar a vender alguns dos produtos da Apple a nível oficial, incluindo o iPhone, iPads, Apple Watch e headphones Beats, nas suas lojas online dos EUA, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Japão, Índia e Espanha - no entanto, esta "concessão" da Apple vem também acompanhada pela remoção de todos os vendedores não autorizados de produtos Apple, medida que principalmente irá afectar lojas e vendedores que vendiam material Apple recondicionado; e também não contempla a venda do HomePod da Apple, que poderia ser visto como concorrente dos Echo da Amazon.

A grande incógnita é saber porque motivo a Apple, que até agora se manteve afastada da Amazon, tomou esta decisão. Algo que poderá estar relacionado com a estagnação das suas vendas, e procurando fazer com que haja mais formas dos consumidores poderem chegar aos seus produtos; ou podendo ser encarado como um gesto de boa vontade entre ambas as empresas (coisa que normalmente não acontece a este nível).

O que é certo é que há analistas que relembram que esta decisão irá dar à Amazon dados valiosos sobre o nível de interesse nos produtos da Apple - que se tornam ainda mais valiosos sabendo-se que a Apple anunciou que não irá divulgar o número de iPhones, iPads e Macs vendidos. Informação que a Apple terá considerado que justificaria o que espera vir a ganhar ao colocar os seus produtos à venda na Amazon.

topo

Notable PHP package: PHP Project Structure Composer Generator

12-11-2018 | 11:54 | Manuel Lemos | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

By Manuel Lemos
Composer is a popular package for installing PHP applications.

This package can generate a set of files that will constitute the skeleton of a project that can be installed with Composer.

Read this article to learn more details about how this notable PHP package works.

topo

Huawei estuda ecrã full-screen com orifício para alto-falante

12-11-2018 | 11:01 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Parece que o ano de 2019 não irá ser apenas marcado por ecrãs flexíveis, mas também por ecrãs com ainda mais diversidade de notches e orifícios.

Depois de termos visto a Samsung a apresentar uma variedade de notches possíveis para o próximo ano, eis que também surge uma patente da Huawei que nos mostra um ecrã total, sem margens e sem notches... mas com um corte alongado para o alto-falante do auricular.

É uma opção curiosa, especialmente no aspecto de que parece querer ser uma solução para um problema "inexistente" - já que seria bem mais simples aplicar este componente na parte superior, mesmo que se tivesse que recorrer a um "mini-notch" alongado. Assim, torna-se visualmente mais intrusivo, sem nenhuma vantagem efectiva face a um notch convencional (para que servirá aquela área de ecrã em cima do orifício?)




Para piorar a questão, a Huawei não só não explica como é que irá resolver a questão da câmara frontal; como também aposta num sensor de impressões digitais na traseira, em vez de usar um integrado no ecrã.

topo

Cloudflare lança app 1.1.1.1 para Android e iOS

12-11-2018 | 10:01 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A Cloudflare aproveitou o 1 de Abril para lançar o seu DNS 1.1.1.1 - o mais rápido do mundo - e agora lança apps para Android e iOS para facilitar a sua utilização até por quem não saiba, ou receie, mexer nas configurações necessárias para lhe dar uso.

O serviço de DNS é o responsável por transformar os nomes dos endereços URL nos endereços IP que são usados para a comunicação, e há por isso todo o interesse que se utilizem servidores que respondam o mais rapidamente possível. O 1.1.1.1 da Cloudflare consegue até destronar o 8.8.8.8 da Google, e em ambos os casos temos a grande vantagem adicional de não se ser forçado a lidar com os bloqueios dos operadores nacionais.

Infelizmente, se tanto o Android como o iOS permitem mudar os servidores DNS nas ligações WiFi, tal não é possível na ligação de dados através da rede móvel (nota: no mais recente Android 9 Pie já é possível), e é aí que entra esta app da Cloudflare. À semelhança do que era feito pelo Intra da Google, o "truque" passa pela criação de uma VPN que permite definir o DNS pretendido, mas com todo o processo de configuração resumido a um único botão de ligar / desligar.

O único ponto contra é que, como não é possível utilizar duas VPNs simultaneamente, não será possível utilizar esta 1.1.1.1 se já estiverem a utilizar outro serviço de VPN - mas se já o estiverem a fazer, não serão seguramente o público alvo para esta app. Para todos os outros, bastará descarregar a app pretendida:

topo

Sugestões SPC para um Natal cheio de tecnologia

12-11-2018 | 09:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos



A SPC sugere alguns produtos do seu portefólio de automação e segurança, para as prendas do Natal que se aproxima. Segundo a marca, são artigos especialmente concebidas para proteger os lares e escritórios mais vulneráveis, permitem estar em contacto direto com outras pessoas e supervisionar situações e espaços
 A SPC (The Smart Products Connection) é uma empresa tecnológica presente em Portugal desde 2013, com o objetivo de oferecer produtos inteligentes e acessíveis para os lares e, por isso, para este Natal aconselha-lhe produtos inteligentes da mais recente gama IoT da marca, para tornar a sua casa ainda mais personalizada.


Aspirador inteligente Baamba Gyro 4.0 – conforto acima de tudo

Porque o conforto é uma das maiores preocupações da SPC, o novo aspirador inteligente Baamba Gyro 4.0 é um must no que diz respeito a uma casa limpa e confortável. Com uma navegação inteligente e programado para limpar toda a casa, incluindo os seus cantos, este novo aspirador deteta e evita escadas e outros declives, respeitando o tempo de limpeza delineado pelo utilizador através da aplicação SPC IoT.

O SPC Baamba Gyro 4.0 apresenta um espaço de limpeza de 90-120 m2, uma capacidade do contentor de lixo de 0.5L e uma capacidade do tanque de água de 150 ml. Conta com uma entrada de 100-240V e uma saída de 14V DC. A bateria, de 2200 mAh, leva apenas entre 90 a 120 minutos a carregar e possui um indicador de bateria fraca.

O novo Baamba Gyro 4.0 está disponível por um preço recomendado de 269,90€.


Teia - máxima segurança com total cobertura visual

Teia é uma câmara WiFi para colocar dentro de casa, tendo uma base que permite que seja colocada em qualquer peça de mobiliário ou superfície. Com gravações HD a 720p com resolução de 1280x720, integra o modo de visão noturna e deteção de movimento.

Ideal para prenda de Natal, esta câmara permite obter uma visão de 360 graus e dispõe de controle remoto em todas as direções - cima, baixo, esquerda e direita - para que, com uma única passagem, toda a sala esteja coberta.

Quanto ao armazenamento de dados, o utilizador pode recorrer a um cartão MicroSD - até 128 GB -, gravar para o smartphone ou armazenar na cloud.

A câmara Teia está disponível por um preço recomendado de 64,90 euros.


Nerta – aromatize a sua casa a partir do trabalho

Nerta, da SPC, dá-lhe a oportunidade de aromatizar a casa e surpreender os seus convidados, oferecendo um local sempre acolhedor e agradável. É possível alterar a cor RGB+W do equipamento – que também pode ser utilizado enquanto candeeiro de noite – e regular a intensidade do mesmo.

Com uma capacidade até 400 ml, pode utilizar a sua essência preferida para dar um toque especial ao seu lar. Além disso, o equipamento humidifica e limpa o ar, contando com 11 a 26 horas de duração.

A Nerta está disponível em Portugal por um preço recomendado de 42,90€.

topo

Google está a activar backup manual dos Android para o Google Drive

12-11-2018 | 09:14 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Há muito que o Android conta com backups automáticos para o Google Drive (desde que o utilizador assim queira), mas agora está finalmente a chegar a opção para que também se possam fazer backups manuais quando se quiser.

Ditam as boas práticas que os backups deverão ser automatizados, para que não fiquem dependentes da (falível) componente humana. No entanto, há situações onde o bom senso humano impera sobre as automatizações, e nesses casos é conveniente que os sistemas permitam que os humanos continuem a ter voto na matéria.

No caso dos Android, a maioria dos utilizadores não terá que se preocupar com os backups, desde que os active. Os backups serão feitos automaticamente assim que o smartphone estiver a ser recarregado e tiver uma ligação WiFi disponível - mas há casos pontuais onde isso pode não ser suficiente. Bastará que um smartphone danificado não detecte correctamente quando está a ser recarregado e deixaria de fazer o tão necessário backup; ou então, um utilizador pode estar perante uma qualquer situação longe de uma rede WiFi, e querer garantir que o seu backup está actualizado.

Bem, seja qual for o motivo, há utilizadores que já estão a descobrir a opção para fazerem o backup manualmente sempre que quiserem. Isto está a surgir sem que tenha sido necessário qualquer actualização do sistema, pelo que será apenas uma opção que a Google pode activar remotamente através dos Google Play Services.

topo

Smartwatch Lenovo Watch 9 a €17

12-11-2018 | 08:40 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Graças ao Single's Day temos a oportunidade para apanhar o smartwatch mecânico Watch 9 da Lenovo por apenas 17 euros.

O Lenovo Watch 9 é um smartwatch diferente daqueles a que estamos habituados, pois abdica no ecrã que se associa a este tipo de produto e mantém os ponteiros mecânicos dos relógios tradicionais. Com isto, livra-se de um dos componentes mais gastadores de energia num smartwatch enquanto mantém a capacidade de indicar o tempo a "tempo inteiro". Adicionalmente, continua a manter muitas das funcionalidades que se esperam de um smartwatch, incluindo o registo de actividade, registo do sono, vibração de alerta de chamadas, possibilidade de o usarmos como disparador da câmara do smartphone, servir para encontrar o smartphone fazendo tocar um alarme a partir do relógio, avisador de inactividade, etc.

No entanto, a sua característica mais importante para quem aprecia a autonomia, é que este Lenovo Watch 9 poderá funcionar cerca de um ano até que tenham que se preocupar em lhe trocar a pilha.


Considerando que o podemos apanhar por apenas 17.42 euros, preço idêntico a um qualquer outro relógio convencional "não-smart" - torna-se numa proposta tentadora para quem se quiser aventurar no mundo dos smartwatches, sem com ficar preso às autonomias reduzidas e carregamentos quase diários.

Este Lenovo Watch conta também com protecção contra a água até 50 metros de profundidade, ponteiros luminosos para ver as horas no escuro, e está disponível em preto e em branco. Pelo que é dito, aparentemente até vem com vidro safira à prova de riscos (embora seja de esperar que seja da "pseudo-safira" que continua a riscar).

topo

StatCounter infectado com malware para roubar Bitcoins

11-11-2018 | 21:11 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

O popular serviço de estatísticas de visitas de sites StatCounter foi alvo de um ataque de hackers, que por este meio conseguiu infectar automaticamente milhares de sites, com o objectivo de roubar Bitcoins de um único site específico.

É certo e sabido que nestas coisas da segurança digital, os hackers procuram sempre o elo mais fraco para os seus ataques, ou aqueles que permitam uma disseminação muito mais abrangente dos seus esforços. Por isso, em vez de tentar atacar centenas ou milhares de sites, usando tecnologias diferentes, torna-se muito mais produtivo atacar algo que todos eles estejam a usar: e desta vez o visado foi o Statcounter.

Este hackers conseguiram injectar código malicioso no script do Statcounter, código que automaticamente foi propagado para todos os sites que o utilizam (mais de 680 mil sites!) Felizmente, mesmo tendo acesso a todo este "espólio" digital, o código adicionado tinha apenas um único alvo bem específico em mente, o site Gate.io - uma exchange de criptomoedas.


Este malware injectado no Statcounter apenas entrava em acção quando um utilizador estivesse na página de transferências deste site, e nesse caso alteraria o endereço da carteira destino introduzida pelos utilizadores por uma pertencente aos atacantes. Infelizmente, a carteira de destino variava de utilizador para utilizador, pelo que não é possível averiguar quantos utilizadores poderão ter sido afectados e quanto dinheiro é que este ataque poderá ter rendido.

O site Gate.io removeu imediatamente o script assim que soube do caso, e o Statcounter também se apressou a limpar o código malicioso do mesmo - mas serve o presente caso para demonstrar que, enquanto houver scripts externos num site (e hoje em dia isso não é difícil, quer sejam estes scripts de estatísticas como outros de conteúdos do Facebook, Twitter, YouTube, ou muitos outros)... toda a segurança que se implemente pode cair por terra no caso de qualquer um desses serviços externos ser infiltrado por hackers.

topo

Carro autónomo da Waymo teve acidente por culpa do condutor

11-11-2018 | 18:31 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Os acidentes envolvendo carros autónomos da Waymo têm sido raros, mas infelizmente houve mais um caso... em que a culpa voltou a ser dos imprevisíveis humanos.

O acidente deu-se quando um carro que seguia na via à esquerda fez uma manobra abrupta que fazia pensar que iria colidir com o veículo autónomo, levando o condutor humano no carro da Waymo a reagir e a desviar o carro para a via mais à direita. Infelizmente, no processo não reparou que um motociclista tinha acabado de mudar também para a mesma via, resultando numa colisão.

Embora seja um caso infeliz, é um incidente curioso porque revela precisamente um acidente típico que, teoricamente, deveria ser evitado por um veículo autónomo - e de facto assim seria, se o condutor não tivesse tomado o controlo do carro. A Waymo replicou a situação nos seus simuladores, usando a informação captada pelos sensores do carro, e comprovou que o seu automóvel teria sido capaz de evitar o acidente.

O sistema estava a par tanto da manobra do outro automóvel (que já estava marcada como "perigosa", como do motociclo. Se o condutor humano não tivesse interferido, o carro teria ajustado a velocidade e movendo-se ligeiramente na sua via, sem passar para a da direita, manobra que teria sido suficiente para evitar qualquer colisão.


... Começamos a chegar a um ponto em que será melhor confiar nos carros do que nos instintos do condutor? Pelo menos, se não tivesse feito nada, tinha sempre a desculpa "a culpa foi do carro!"

topo

Tesla regista patente de ecrã dividido em 4 janelas

11-11-2018 | 16:31 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A Tesla é uma das marcas que mais tem investido na utilização de um touchscreen de grandes dimensões como painel de instrumentos nos seus automóveis, mas parece-me ser um pouco ridículo que chegue ao ponto de querer patentear um interface... com quatro janelas.

Não sei se serei apenas eu a achar que muitas das patentes que são registadas são completamente idiotas por se tratarem de coisas óbvias, mas parece-me que este caso da Tesla se enquadra perfeitamente nessa categoria. A Tesla acha ser merecedora de patente uma disposição do seu interface que conta com uma secção com icons no topo, acesso aos controlos de climatização em baixo e - a "novidade" - apresentar quatro secções independentes na área central do ecrã, vulgo "janelas".


Atenção que não estou a dizer que tal disposição não seja útil (seguramente será), a questão é apenas de que isto não constitui nenhuma novidade em termos de interfaces, e muito menos me parece que seja merecedora de uma patente!

[Windows 3.11 - já com mais que 4 janelas no ecrã!]

... Por outro lado, vivemos num mundo onde existem patentes para coisas como "compras num só clique" e outras que tais... pelo que se calhar é melhor não ter muitas esperanças quanto a evitar que se patenteiem coisas óbvias...

topo

Samsung estuda notches diversos para os seus ecrãs

11-11-2018 | 16:21 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Para além do seu ecrã dobrável Infinity Flex, a Samsung revelou também algumas das formas de notch que tem estado a estudar para os ecrãs - e não se pode dizer que sejam particularmente felizes.


Tal como a Asus, que testou diferentes notches para o ZenFone 6 (e parece ter optado por um dos mais infelizes), também a Samsung contempla diferentes variedade de notches para os seus ecrãs:

  • Infinity U: o tipo de notch mais comum, semelhante ao que foi utilizado no Essential Phone, e que contempla apenas um pequeno recorte (em "U") para uma única câmara frontal
  • Infinity V: idêntico ao Infinity U, mas com a parte inferior vincada em "V" em vez de ser arredondada (interrogo-me sobre a real necessidade desta variante, considerando a sua semelhança com o U).
  • Infinity O: Em vez de um notch, neste caso temos um furo no ecrã, como também já tinha surgido nalguns rumores. Tem um efeito visual que poderá ser mais interessante que os notches anteriores; mas fica a dúvida sobre se constituirá alguma diferença prática real - já que os poucos pixeis que poderá permitir entre o furo e a margem serão "irrelevantes".
  • New Infinity: E por fim, aquele que seria mais interessante, um ecrã completo sem notch, mas sobre o qual a Samsung não revelou pormenores. Por isso, não se sabe se este ecrã se destinará a ser utilizado com câmara deslizantes, ou se poderá ser já indicador de um ecrã que permita ter uma câmara sob um secção transparente do próprio ecrã. Teremos que esperar por mais informações por parte da Samsung.

Embora estes modelos com notches não signifiquem que a Samsung os venha a utilizar nos seus próprios smartphones (a Samsung tem a SDC, que fabrica ecrãs para outros fabricantes, incluindo a Apple), se por acaso vier a fazê-lo, fica por saber como é que a Samsung irá vender a ideia aos seus clientes, depois de ter gozado com a Apple por os usar nos seus iPhones.



topo

Apple troca ecrãs defeituosos do iPhone X e SSD do MacBook Pro 13 (sem Touch Bar)

11-11-2018 | 14:30 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Quem notar um comportamento estranho na detecção dos toques no seu iPhone X, ou tiver um MacBook Pro de 13" comprado entre Junho de 2017 e Junho de 2018, poderá estar abrangido por um programa de reparações lançado pela Apple a propósito de componentes defeituosos.

A Apple reconheceu a existência de problemas que afectam algumas unidades dos iPhone X e MacBook Pro 13, e lançou algumas campanhas de reparações a propósitos dos mesmos.

No caso dos iPhone X, refere-se a modelos que possam deixar de reconhecer os toques no ecrã, tanto na área completa como apenas em zonas parciais; ou então que possam registar "toques fantasma" mesmo que não se toque no ecrã. A Apple fará a troca do ecrã gratuitamente, por um período de até três anos após a data de venda.

No caso dos MacBook Pro 13 (sem Touch Bar) o problema é um pouco mais complicado, pois trata-se de uma falha no SSD que pode originar a perda de dados dos utilizadores. Os modelos afectados foram vendidos entre Junho de 2017 e Junho de 2018, e a Apple disponibiliza uma ferramenta que permite verificar se se trata de uma unidade afectada, introduzindo o número de série do MacBook nesta página. Também neste caso, o programa será válido por um período de três anos após a data da primeira venda.

Se tiverem um destes MacBooks ou conhecerem quem os tenha, não deixem de verificar se estão abrangidos.

topo

Como fazer uma secretária suspensa com carregador wireless integrado

11-11-2018 | 13:30 | A Minha Alegre Casinha | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Ter uma secretária para trabalhar com um portátil nem sempre é compatível com o espaço disponível, pelo que uma alternativa será utilizar uma mesa suspensa... que até conta com uns extras curiosos que serão do agrado dos geeks tecnológicos.

Quem não se importar de meter "mãos à obra", tem no Instructables um excelente guia para fazer a sua secretária suspensa, que permite manter uma divisão livre do volume que uma secretária tradicional ocuparia - para não falar da simplicidade acrescida que representa em termos de limpeza, quer seja manual ou através de um aspirador robot, pois não há nada no piso a incomodar.

A secretária tem a alimentação eléctrica integrada, o que dispensa a habitual barafunda da cabos e extensões que se acumulam aos pés das secretárias; e aproveita para adicionar uns extras bem interessantes, com a iluminação LED RGB, que permite criar um clima luminoso ao gosto de cada um (como bónus adicional, poderiam utilizar uma fita LED inteligente, que pudesse servir para sinalizar situações de alerta ou notificações, via IFTTT ou outros serviços), e para além de um suporte integrado para copos, que minimizará o risco de queda acidental, temos também um carregador wireless integrado, que fica invisível à face do tampo.


Um excelente projecto para os fãs da decoração minimalista, que muito gostaria de poder replicar (infelizmente, a minha realidade assenta mais à base do sistema de desorganização organizada... pelo que me resta apenas apreciar estas secretárias limpas de tralhas extra! :)

topo

Quanto tempo dura um smartphone com ecrã dobrável?

11-11-2018 | 12:01 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Recentemente ficamos a conhecer aquele que, tecnicamente, é o primeiro smartphone / tablet com ecrã dobrável a ser comercializado - o Royole FlexPai - e embora se trate claramente de um produto de primeira geração, será interessante avaliar a longevidade que dele se poderá esperar.

Em primeiro lugar importa relembrar que este FlexPai está longe de ser um produto à altura do que se imagina ser um produto com ecrã dobrável: o ecrã apresenta "rugas" quando está a ser aberto; o software, pelos relatos que chegam de quem o experimentou, faz com que muitas apps sejam lançadas acidentalmente pelo simples acto de se segurar no dispositivo, etc. etc. É o tipo de coisas que caracteriza um produto "protótipo", mas que se tornam inevitáveis no processo evolutivo que, eventualmente, nos trará produtos com ecrãs dobráveis funcionais.

Mas vamos ignorar estes aspectos, para nos focarmos naquele que será o mais característico neste dispositivo: o número de vezes que se poderá abrir e fechar o ecrã.

A Royole diz que o ecrã do FlexPai poderá ser dobrado 200 mil vezes. Ora, para efeitos de referência, se apenas se abrir o FlexPai uma única vez por dia, temos um dispositivo cujo ecrã aguentaria mais de 5 séculos(!) de funcionamento. Mas, mesmo não se sabendo ainda que tipo de uso seria dado a um equipamento deste tipo, podermos tentar inferior o pior cenário possível.

Há alguns anos, um estudo indicava que os utilizadores desbloqueavam os seus smartphones cerca de 80 vezes por dia, em média. Vamos arredondar isto para as 100 vezes por dia; e vamos também considerar que os utilizadores iriam abrir o ecrã todas estas vezes (o que não será provável acontecer, pelo menos neste tipo de aparelho em que os ecrãs continuam visíveis por estarem dobrados "para fora" - o caso seria diferente no caso de ficarem dobrados "para dentro", a não ser que existisse um ecrã adicional no exterior). Assim, mesmo que se abrisse e fechasse o ecrã 100 vezes por dia, seria capaz de suportar quase 5 anos e meio de utilização intensiva.


Portanto, em termos de resistência à dobragem... não será por aí que os utilizadores terão que se preocupar com os ecrãs dobráveis; e não nos podemos esquecer que esta tecnologia irá seguramente melhorar de ano para ano, fazendo com que - à semelhança do que aconteceu com a longevidade dos ecrãs OLED - deixe de ser um "problema" com que nos tenhamos que preocupar.

topo

Xiaomi Mi Band 3 em promoção por menos de 20€!!!

11-11-2018 | 11:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos




A Mi Band da Xiaomi é um dos wearables mais vendidos de sempre. O seu baixo custo e funcionalidades, fazem desta bracelete inteligente um produto irresistível, ainda mais quando se pode comprar por menos de 20€!!!




A Mi Band 3 está neste momento em promoção, podendo ser adquirida por 18,32€, valor que dispensa o pagamento de impostos. Se estavam à procura de uma prenda de Natal, aqui está uma boa proposta.



topo

Super Soco lança moto eléctrica TC Max de 5kW

11-11-2018 | 11:01 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A Super Soco, a mesma marca que produziu a fantástica scooter eléctrica "Xiaomi" de baixo custo, está de regresso com uma nova motas eléctrica de maior potência.

Embora o mercado ande mais fascinado com o crescimento exponencial nos automóveis eléctricos, também no sector das duas rodas se tem assistido a coisas bastante interessantes. A Super Soco lançou uma nova variante da sua gama TC que se posiciona entre as scooters e as motos eléctricas mais dispendiosas, e que poderá ser exactamente aquilo porque muitos esperavam.


A Super Soco TC Max é uma moto eléctrica com 5kW, capaz de atingir 100Km, com uma bateria de 3.2kWh (72V@45Ah) que lhe dá uma autonomia anunciada de 110Km. Tem transmissão por correia, que permite uma condução mais silenciosa e confortável, adequada ao que se espera de um veículo eléctrico; e também conta com sistema de travagem CBS (Combined Braking System), que faz com que a actuação num dos travões (à frente ou atrás) active automaticamente o outro - o que facilita a condução, mesmo por condutores mais inexperientes.


A bateria pode ser removida com facilidade, para ser carregada em casa numa tomada normal (o que também pode funcionar como dissuasor anti-roubos.. :)

A Super Soco TC MAX já tem chegada garantida à Europa durante o primeiro semestre do próximo ano, com preço de 4499 euros para a versão com jantes de alumínio, e 4699 com rodas raiadas.



Para quem não precisar de tanto, poderá optar pelas duas variantes mais modestas já existentes, mas também mais económicas: a TC e TS. Com autonomias de 80km, a TC vem com motor de 3kW e pode atingir os 70Km/h, enquanto que a TC vem com motor de 2.8kW e velocidade máxima de 65Km/h (as baterias de 60V são, respectivamente, de 1.8kWh e 1.56kWh).

Estes modelos já estão disponíveis na Europa - tendo já vendido mais de 5 mil unidades - com preços de 3290 euros para a TC e de 2790 euros para a TS.


A grande vantagem da TC Max é que, podendo atingir os 100Km/h, será bastante mais adequada por circular em vias rápidas, onde as velocidades das variantes menos potentes as poderiam deixar algo "intimidadas". No entanto, será uma questão de pesar todos os prós e contras... afinal, ainda estamos a falar de quase 2000 euros de diferença... (Isto sem que deixemos de perguntar: não seria possível fazer chegar até nós a scooter de 650 euros? :)

topo

Promoções 11.11 com envio de Espanha

11-11-2018 | 10:00 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Hoje é o dia 11/11, conhecido por Single's Day na China, e que serve como percursor para a Black Friday no ocidente. Ao longo do dia de hoje serão muitas a promoções que irão sendo disponibilizadas, e há que ficar atento para apanhar aquelas que forem mais interessantes.

As promoções deste dia 11.11 são muitas e variadas, de entre as quais selecciono algumas que poderão dar uma ideia das coisas que estão disponíveis - e neste caso com envio gratuito directamente de Espanha, para que não haja qualquer receio quanto a potenciais despesas extra por conta da alfândega.


Para começar, temos o smartwatch Xiaomi Huami Amazfit por 135.55 euros, usando o código FTUTPGHR. Este é um smartwatch que tem tido boa aceitação por parte de todos os fãs da Xiaomi, e que como é habitual na marca, será difícil encontrar melhor a este preço.


Para quem estiver à procura a uma TV Box Android, poderá considerar a Tanix TX3 (2GB+16GB) que fica por 29.01 euros com o código 03GEEKBUY. Uma forma económica de transformar qualquer TV "burra" numa Smart TV com acesso a Netflix, Kodi, YouTube, e tudo o mais que se desejar.


Mas se o que procuram é um smartphone topo de gama a preço de gama média, temos também o Xiaomi Pocophone F1 (6GB+128GB) por 312.12 euros, usando o código 06GEEKBUY. Este é o smartphone do momento, que vem roubar muito do protagonismo de marcas como a OnePlus, que anteriormente estavam associadas a smartphones com características de topo a preço de saldo. Com o preço dos modelos da OnePlus a irem para lá dos 500 euros, a Xiaomi parece estar empenhada em ocupar o seu lugar, graças a modelos como este, que vem com tudo o que se precisa... a um preço muito mais apelativo.

topo

Google apresenta resultado das medidas para combater a pirataria online

11-11-2018 | 09:32 | Apps do Android | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


A democratização do acesso à Internet e a melhoria da velocidade do serviço, permitem que hoje em dia se possa aceder aos conteúdos, quando e bem se entender. O stream faz parte das nossas vidas, algo que tem ajudado a reduzir a pirataria online.


A Google, como grande player neste mundo da net, apresenta os resultados do seu relatório "How Google Fights Piracy" explicando os resultados, os programas, políticas, as tecnologias decorrentes do combate da Google à pirataria on-line e como está a ajudar a combater as infracções aos direitos de autor.


Post de Cedric Manara, Head of Copyright 
 
Protegendo o que mais gostamos na internet: uma atualização sobre os nossos esforços para impedir a pirataria online

A Internet permitiu que pessoas de todo o mundo se ligassem entre si, criassem e distribuíssem novas formas de trabalhar, de vivenciar como nunca antes tinha acontecido. Uma parte fundamental da preservação desta economia criativa é garantir que os criadores e artistas têm uma maneira de partilhar e ganhar dinheiro a partir do seu conteúdo - e impedir o fluxo de dinheiro para aqueles que procuram piratear esse mesmo conteúdo. Hoje, estamos a divulgar a nossa mais recente actualização sobre estes esforços.

O nosso relatório de 2018 "How Google Fights Piracy" explica os programas, políticas e tecnologias que levamos a cabo para combater a pirataria online e para assegurar oportunidades contínuas para os criadores de todo o mundo.

Investimos significativamente na tecnologia, em ferramentas e recursos que impedem a violação de direitos de autor nas nossas plataformas. Também trabalhamos com outras pessoas de vários sectores para combater a pirataria. Estes esforços já vêem surtindo efeito: por todo o mundo, a pirataria online tem vindo a diminuir, enquanto que os gastos com o conteúdo legítimo estão a aumentar nas categorias de conteúdos.

Seguem alguns dos principais destaques do relatório deste ano:

  • + de 3 mil milhões de dólares: O valor pago pelo YouTube a proprietários de direitos de autor que monetizaram a utilização do seu conteúdo noutros vídeos através do Content ID, a nossa ferramenta líder da indústria para gestão dos direitos.
  • + de 100 milhões de dólares: O valor que investimos para desenvolver o Content ID, nomeadamente na equipa e de recursos de computação.
  • + 1.8 mil milhões de dólares: O valor pago pelo YouTube à indústria da música - apenas em receitas de publicidade - no período de Outubro 2017 a Setembro 2018.
  • + de 3 mil milhões: O número de URLs que foram removidos da Pesquisa por infracção dos direitos de autor desde o lançamento da ferramenta de submissão para os detentores dos direitos de autor e respectivos agentes.
  • + de 10 milhões: O número de anúncios que não foram aprovados pela Google em 2017 por suspeitas infracção dos direitos de autor ou que estavam ligados a sites ilícitos.

 À medida que continuamos o nosso trabalho nos próximos anos, eis os cinco princípios que guiam os nossos investimentos substanciais no combate à pirataria:

Criar mais e melhores alternativas legítimas: A pirataria surge frequentemente quando é difícil para os consumidores acederem a conteúdos legítimos. Com o desenvolvimento de produtos que facilitam o acesso dos utilizadores a conteúdo legítimo, como o Google Play Música e o YouTube, a Google ajuda a gerar receitas para as indústrias criativas e oferece opções aos consumidores.

Seguir o dinheiro: Como a grande maioria dos sites dedicados à pirataria on-line tem como objectivo principal ganharem dinheiro, uma forma de os combater é através da eliminação das suas fontes de receita. Evitamos que os actores envolvidos na violação dos direitos de autor usem os nossos anúncios e os nossos sistemas de monetização e aplicamos vigorosamente estas políticas.

Ser eficiente, eficaz e escalável: Esforçamo-nos para implementar soluções anti pirataria que funcionem em escala. Por exemplo, em 2010, começámos a fazer investimentos substanciais na simplificação do processo de remoção no âmbito de direitos de autor nos resultados da pesquisa. Como resultado, estes procedimentos aprimorados permitem-nos já processar solicitações de remoção de direitos de autor para resultados de pesquisa numa escala de milhões por semana.

Proteger contra o abuso: Alguns actores farão falsas alegações de violação de direitos de autor de modo a que esses conteúdos que não querem on-line seja removido. Comprometemo-nos a detectar e a rejeitar alegações falsas de violação de direitos, como remoções por motivos políticos ou de concorrência.

Fornecer transparência: Assumimos o compromisso de dar maior transparência. No nosso Relatório de Transparência, divulgamos o número de pedidos que recebemos provenientes de detentores de direitos de autor e de entidades governamentais para a remoção de informação dos nossos serviços.

Hoje, os nossos serviços estão a gerar mais receita para os criadores e os detentores de direitos de autor ligando mais pessoas aos conteúdos de que gostam e fazendo cada vez mais para combater a pirataria on-line . Estamos orgulhosos nos progresso que este relatório representa. Através da inovação e de parceria contínuas, assumimos o compromisso de restringir as infracções por parte das pessoas mal-intencionadas e, ao mesmo tempo, fortalecer as comunidades criativas que fazem muitas das coisas de que, hoje, gostamos na Internet.

topo

Google vai acelerar painel de "share" do Android

10-11-2018 | 21:13 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Há uma coisa que é ridiculamente frustrante no Android há anos, mas que finalmente parece estar a ser alvo de remodelação para se tornar bastante mais rápido: o painel de share.

O Android há muito que permite fazer partilhas de todo o tipo de conteúdos através de outras apps, e contempla - e bem - de isso ser feito dinamicamente, em função de novas apps que possam ir sendo instaladas. O problema é que o processo como o painel de partilhas pesquisa as apps disponíveis faz com que este menu seja lento a apresentar todas as opções (particularmente para quem tiver centenas de apps instaladas) e ainda mais quando começa a apresentar contactos na secção "Direct Share", que fazem mover os restantes icons - normalmente, no instante anterior ao de tocarmos naquele que queríamos, fazendo-nos falhar a opção pretendida.

É algo que tem intrigado vários developers, que se interrogam porque motivo este processo não é feito apenas quando se instala/remove uma app, de modo a que a lista de apps para conteúdo possa ser apresentado de forma imediata e sem atrasos... Mas felizmente, o Vice President of Engineering do Android já veio reconhecer esta situação e confirmar que o assunto está a ser tratado internamente, mas que se trata de uma tarefa complicada uma vez que implica refazer todo o processo usando uma outra estrutura ("push" em vez de "pull") que irá resultar numa experiência bastante mais rápida para os utilizadores.

Ficamos a aguardar... e de preferência que não seja algo que só fique disponível para o Android 10, senão é coisa que teremos que esperar mais 3 ou 4 anos até que comece a chegar a todos. ;P

topo

Alexa já disponível para todos os PCs com Windows 10

10-11-2018 | 18:31 | Aberto até de Madrugada | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos


Depois de ter sido lançada de forma limitada apenas para alguns portáteis, a app Alexa da Amazon fica finalmente disponível na Microsoft Store para todos os computadores com Windows 10.

Quem não estiver satisfeito com as capacidades da Cortana, ou simplesmente quiser ter acesso à mais vasta gama de possibilidades permitida pela Alexa, pode a partir de agora instalar a Alexa em qualquer computador Windows 10.

Com isto os utilizadores passam a ter acesso a algumas das funcionalidades que teriam através de um Echo da Amazon, como controlar dispositivos inteligentes (acender e apagar lâmpadas, por exemplo), mas deixando de fora algumas coisas como as chamadas (de voz e vídeo) e até o acesso ao Spotify (que não deixará de ser um pouco estranho). No entanto, a Amazon diz que irá adicionar novas capacidades já no início de 2019, pelo que se espera que as diferenças entre ter a Alexa no PC ou num Echo comecem a reduzir-se.

Em computadores "compatíveis" será também possível usar a activação por voz bastando dizer "Alexa"; nos restantes, será necessário activar previamente o reconhecimento carregando num botão na app sempre que se quiser dizer um comando.

topo

Cuidado com este rapaz

10-11-2018 | 16:50 | Gonçalo Sá | Sapo Tags del.icio.us Adiccionar aos Bookmarks / Favoritos

Boy Harsher

 

Apesar de terem um percurso relativamente recente, os BOY HARSHER impuseram-se como um dos nomes de culto de uma pop electrónica negra e enigmática, vincada por contornos industriais e darkwave. "Yr Body is Nothing" (2016), o álbum de estreia, confirmou as boas expectativas do EP "Lesser Man" (2014) e torna legítimo que os próximos capítulos do projecto de Augustus Muller e Jae Matthews sejam aguardados com atenção.

 

Não vai ser preciso esperar muito mais para o segundo disco: "Careful" foi anunciado para 1 de Fevereiro de 2019 e já tem digressão garantida para a América do Norte e Europa nos primeiros meses do ano. Portugal está de fora da agenda, pelo menos para já, mas seria uma experiência interessante ver a dupla de Massachusetts na discoteca Berghian, em Berlim, por exemplo (a 5 de Março).

 

Quem já está familiarizado com esta música não deverá ficar surpreendido com os temas que inspiram as novas canções. Do trauma da perda à tentativa de escapismo, o álbum parte de experiências pessoais ligadas à morte e à doença mental e deverá reforçar o mergulho na synthpop e na EBM. A primeira amostra confirma isso mesmo: "FACE THE FIRE", densa mas dançável, é mais uma confecção electrónica de digna colheita, e já com videoclip - também ele na linha de algumas estéticas mais sombrias de meados dos anos 80:

 

 

topo

Página 1 de 5886

Subscrever

Autores

Disclaimer

O Planet Geek não é responsável pelos seus conteúdos, apenas os replica a partir de cada blog.
Os artigos são da exclusiva responsabilidade dos seus autores.