PlanetGeek

Apple TV+ com o melhor bitrate dos serviços de streaming

10-11-2019 | 16:30 | Aberto até de Madrugada


A guerra entre os serviços de streaming ainda vai no início, mas no caso do Apple TV+ a aposta parece ser na qualidade... da própria imagem. O serviço Apple TV+ é o que está a usar maior largura de banda no streaming, com médias próximas dos 30Mbps.

Uma análise a um episódio do See em 4K HDR (Dolby Vision) resultou num stream com 29Mbps em média, chegando a atingir picos de 41Mbps. Em comparação, o streaming da Netflix costuma ficar-se por um máximo de cerca de 16Mbps. Para comprovar que o See não seria um caso isolado, também episódios do The Elephant Queen tiveram médias de 26Mbps, e atá cartoons como o Snoopy in Space chegaram aos 24Mbps de pico.

Um caso que relembra que nem todo o streaming é igual, e que no mínimo poderá servir para incentivar os canais tradicionais a terem um pouco mais de atenção neste aspecto. É vergonhosa a qualidade de alguns dos canais digitais nos nossos operadores - até mesmo em canais ditos "premium", com imensos artefactos de compressão visíveis devido ao bitrate reduzido. Confesso que da última vez que passei os olhos num canal de TV (já não sei qual era, mas era um canal para crianças), até em cenas estáticas numa série de animação se notavam efeitos cíclicos da chegada das frames de referência MPEG, causando um efeito de "piscar" com uma imagem de melhor qualidade, seguida de alguns segundos com qualidade mais reduzida, e assim sucessivamente.

Mas admito que também se possa ficar um pouco mais susceptível a esse tipo de coisas depois de se estar habituado a ver filmes e séries em 4K HDR. Mas, para qualquer serviço de streaming que queira garantir a sua sobrevivência a longo prazo, essa será a qualidade mínima que se pode exigir. (Sendo um dos motivos pelo qual a HBO deveria repensar seriamente, e rapidamente, a sua opção de não fazer streaming em 4K!)

App Anda ficou sem gás no Andante no Porto

10-11-2019 | 16:21 | Apps do Android


A app Anda, que facilita o acesso à rede do Andante no Porto, não funciona nos smartphones com Android 10, por esta versão restringir o acesso ao IMEI.


Quem tiver um smartphone com Android 10 terá, por agora, que recorrer ao cartão Andante tradicional, já que não poderá utilizar a app Anda para fazer as suas viagens. Aparentemente a incompatibilidade estará relacionada com as maiores restrições que a mais recente versão do Android implementa para proteger a privacidade dos utilizadores, mais concretamente ao impedir que as apps tenham acesso direito ao IMEI do equipamento.

Não será imediatamente claro porque motivo a app Anda precisaria de aceder ao IMEI do smartphone, já que nada impede que um mesmo utilizador possa usar vários smartphones; mas é de supor que poderá estar relacionado com sistemas que tentem evitar que uma mesma conta seja partilhada (mesmo assim, uma vez que o cliente irá pagar as viagens, não se percebe muito bem a necessidade de aceder ao IMEI).

De qualquer forma, os responsáveis informam que já estão a proceder às alterações necessárias para que a app Anda funcione em Android 10; e vale a atenuante do número de smartphones com Android 10 ser ainda extremamente reduzido (embora fosse o tipo de problema que já devesse ter sido resolvido antes sequer do lançamento oficial do Android 10, uma vez que as versões para developers estavam disponíveis há muito, precisamente para evitarem situações como esta).

Spleeter separa vozes e instrumentos nas músicas via AI

10-11-2019 | 14:30 | Aberto até de Madrugada

Os criadores do Deezer disponibilizaram uma impressionante ferramenta - chamada Spleeter - capaz de separar vozes e instrumentos de músicas com uma qualidade surpreendente, usando AI.

Como qualquer pessoa que já tenha feito misturas de músicas saberá, se é extremamente simples misturar áudio de vários instrumentos e voz para criar uma música final, fazer o inverso é extremamente mais complicado, mas este Spleeter do Deezer consegue fazê-lo de forma quase "mágica".

É certo que há muito que existem programas que tentam apagar as vozes dos cantores para criarem versões instrumentais que possam ser usadas para karaoke, mas os resultados nem sempre são tão bons quanto se desejariam. Neste caso, mesmo não não sendo sempre perfeito, temos resultados extraordinários que parecem replicar aquilo que conseguimos diferenciar com os nossos próprios cérebros - e que não se limitam apenas a separar a voz, mas também consegue individualizar diferentes instrumentos.

Por exemplo, aqui temos apenas a separação da voz:



Mas neste caso temos a separação em cinco faixas individuais (voz, bateria, baixo, piano, e outros instrumentos).


E com isto... abre-se todo um novo mundo de remixes possíveis, onde se pode extrair a voz (ou outro instrumento) de uma música, e recombiná-la noutra música! Vai ser interessante ver como os algoritmos de detecção de conteúdos com direitos de autor irão lidar com estas recombinações! :)

nobody should have this kind of power pic.twitter.com/4vbl2MGK4Z
— Andy Baio (@waxpancake) November 5, 2019

Fita LED RGB com controlo via app por €7

10-11-2019 | 13:14 | A Minha Alegre Casinha


Uma fita LED de baixo custo é tudo o que basta para transformar por completo a experiência de ver televisão numa sala às escuras, e é algo que pode ser resolvido por poucos euros usando-se uma fita LED RGB.

Ver televisão numa sala completamente às escuras é uma experiência que não é lá muito agradável para os olhos, mas felizmente pode ser resolvida de forma bastante fácil e económica com uma fita LED USB. Fico muitas vezes surpreendido ao ver familiares e amigos verem televisão nas suas salas completamente às escuras - nem sequer se apercebendo no impacto que isso tem nos seus olhos, e que se torna ainda pior quando se tratam de televisores que nem sequer se ajustam automaticamente à luminosidade ambiente e continuam a exibir imagens de alto-brilho, como se fosse de dia.

Para além do correcto ajuste da luminosidade, há algo simples que pode (e deve) ser feito e que resolve rapidamente a questão: colocar um qualquer tipo de luz na parte de trás do televisor, para criar um efeito luminoso na parede em redor do televisor que ajudará os nossos olhos a manterem uma referência luminosa.



Ora, é para isso mesmo que existem fitas LED RGB como esta por apenas 7 euros, que pode ser alimentada directamente por uma das portas USB do televisor.

Neste caso é uma fita LED com 2m de comprimento, suficiente para televisores de até 50-60" e que conta com controlo via app no smartphone, para que se possa ajustar a cor, intensidade, ou efeitos.

Ter em conta que se trata de definir uma cor - ou efeito - manualmente, e não de uma fita LED que automaticamente crie um efeito ambilight que muda de cor em função das imagens no ecrã. Também existem soluções para isso, mas que ficam substancialmente mais caras. Para efeitos de "custo/benefício", uma destas fitas LED simples é imbatível e já produz o efeito necessário.

Sistema autónomo da Uber viu mas ignorou peão no atropelamento fatal

10-11-2019 | 12:00 | Aberto até de Madrugada


O relatório sobre o atropelamento mortal de um dos automóveis autónomos da Uber em 2018 vem mostrar um cenário bastante complicado nos sistemas de condução autónoma, que ultimamente poderá levar a Uber a desistir do seu projecto e recorrer à tecnologia da Waymo.

O sistema da Uber, que estava em funcionamento no momento do acidente (com o condutor distraído a ver vídeos no smartphone em vez de estar a olhar para a estrada como devia), foi capaz de detectar que havia algo na estrada, mas estava deliberadamente programado com uma série de regras que roçam o surreal!

O relatório da NTSB (National Transportation Safety Board) refere que o sistema detectou a mulher que seguia a pé com uma bicicleta pela mão, mas não a identificou como sendo um peão nem reconheceu que estava em processo de atravessar a estrada. Quando finalmente detectou que estava em rota de colisão com um peão, 1.2 segundos antes do impacto, não efectuou nenhuma travagem de emergência; em vez disso, estava programado para aguardar 1 segundo, enquanto alertava o condutor (uma medida que a Uber justificou como forma para evitar travagens abruptas em caso de falsas detecções).

Mas, para cúmulo, mesmo no caso do condutor não reagir no espaço de um segundo, a Uber tinha implementado um sistema de protecção adicional, que fazia com que, no caso de já ser impossível evitar a colisão, o carro optasse por não fazer uma travagem com a força máxima, mas apenas uma travagem mais progressiva!

I mean seriously, what kind of screwed up engineering culture produces a system that doesn't apply the maximum amount of braking force when it detects an imminent crash? pic.twitter.com/DeI6s8iX1B
— Timothy B. Lee (@binarybits) November 6, 2019


Ou seja, o sistema da Uber estava especificamente programado para que, mesmo no caso de saber que estava perante uma colisão iminente, não actuar com a força de travagem máxima, mas sim "deixar ir"!

Ora, é certo que há atenuantes. Era um carro de desenvolvimento, que deveria ter um condutor que estivesse atento e tivesse visto a pessoa a atravessar a estrada e reagido atempadamente. Ninguém quer seguir num carro em condução autónoma, ou semi-autónoma, e levar com uma travagem de emergência inusitada porque o carro achou que um cartaz ao lado da estrada era um peão, ou que a sombra de uma ponte era um obstáculo (e são coisas que acontecem) - para além do risco adicional de poder provocar um acidente com os carros que circulem atrás de si. Por outro lado... não podemos chegar a este ponto da Uber, de achar que, já que vai bater, então que não incomode os passageiros e deixe bater.

Com este caso, e outro que determinou que afinal ainda estão a usar tecnologia roubada da Waymo, a Uber pode acabar por ser forçada a simplesmente licenciar a sua tecnologia e aproveitar toda a experiência já acumulada (e que entre milhões de quilómetros já percorridos, não inclui nenhum atropelamento).

A diferença das jantes no consumo do Tesla Model 3

10-11-2019 | 11:00 | Aberto até de Madrugada


Por norma já se sabe que jantes maiores são acompanhadas por consumos acrescidos, mas sabemos o impacto que isso pode ter na autonomia do Tesla Model 3.

A EPA norte-americana disponibilizou os seus resultados para os modelos de 2020 do Tesla Model 3 Performance, e a parte mais interessante é que os disponibilizou em três variantes, para o carro equipado com jantes de 18", 19" e 20".

Como seria de esperar, também aqui as jantes têm impacto directo na autonomia, com a versão equipada com jantes de 20" a ficar-se por uma autonomia de 481 km, enquanto que o modelo com jantes de 19" chegou aos 489 km, e o que tinha jantes de 18" se prolongou até aos 518 km.


É uma diferença de 37 km que não deverá ser negligenciada, especialmente por quem pretender usar o carro para viagens longas e der preferência a ter um pouco mais de margem de manobra em termos de autonomia do que dar prioridade ao aspecto estético do veículo (assumindo que prefere o aspecto do carro equipado com jantes grandes).

Além do mais, bem sabemos que a maioria das estradas nacionais não são muito generosas para jantes grandes com pneus de baixos perfil, pelo que também há esse factor a ter em conta. Dito isto, se algum dia tivesse que optar por um Model 3 Performance... sacrificava os 37 km e ia para as jantes de 20"! :)

IAstro Junior 19 no Planetário do Porto a 16 de Novembro

10-11-2019 | 10:00 | Aberto até de Madrugada


Quem quiser maravilhar os mais novos com aventuras astronómicas tem mais uma excelente oportunidade para o fazer, com mais uma sessão do iAstro Junior no Planetário do Porto já no próximo sábado (16 de Novembro).

A quarta edição do projeto IAstro Júnior, a decorrer durante 2019, tem como mote “Uma Aventura à Velocidade da Luz“, e irá realizar-se no Planetário do Porto – Centro Ciência Viva, já no dia 16 de novembro, pelas 17h30.

IAstro Júnior é uma iniciativa do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço e da revista Visão Júnior especialmente concebida para jovens dos 7 aos 12 anos e que conta com o apoio do Planetário do Porto – Centro Ciência Viva e do Planetário Calouste Gulbenkian – Centro Ciência Viva.

É um evento gratuito mas necessita de inscrições, que normalmente se esgotam num instante. Para mais informação e inscrições ver aqui.

Antes desta sessão existem duas boas oportunidades para se assistir às sessões imersivas do Planetário do Porto CCV:
A equipa do IAstro Júnior deseja uma boa sessão!

RESERVAS

Pareceria Huawei / ETIC, tem em vista os amantes da fotografia

10-11-2019 | 09:32 | Apps do Android




A Huawei e ETIC celebraram uma parceria que tem por objectivo potenciar o talento através de workshops, para estudantes, profissionais ou amantes da fotografia/vídeo, que têm assim a oportunidade para  aperfeiçoar a sua técnica através de um smartphone.


A Huawei e a Escola de Tecnologias Inovação e Criação (ETIC) anunciam uma parceria educacional para dinamizar o talento e a experiência de utilização nos smartphones Huawei. Esta parceria oferece aos estudantes e fãs da marca a oportunidade de acelerar a sua aprendizagem e experiência prática, numa das mais conceituadas escolas portuguesas.

 

Inserida na campanha #LoveMyHuawei, o início desta parceria é marcado por dois workshops cujo objetivo é oferecer aos utilizadores as ferramentas necessárias para a criação de conteúdos com maior qualidade mas com uma particularidade: a ferramenta de trabalho será o seu próprio smartphone Huawei.


Para o sucesso desta iniciativa a Huawei conta com a ETIC, Escola de Tecnologias, Inovação e Criação, um projeto educativo de referência há 28 anos, inovador nas áreas da indústria criativa,  como a Fotografia, o Vídeo, Moda, Animação, Som e Música, entre outros.

”Acreditamos que ao juntar as sinergias e o know-how de ambas as entidades conseguiremos proporcionar a melhor experiência aos nossos consumidores”, afirma Ana Lorena, Diretora de Marketing e Comunicação do Consumer Business Group da Huawei Portugal.


Numa altura em que o smartphone é, cada vez mais, uma ferramenta de trabalho e uma forma única de contar histórias e registar memórias, a Huawei e a ETIC pretendem juntar esforços para ajudar os utilizadores da marca a tirar o máximo partido da tecnologia que têm todos os dias nas suas mãos.


O primeiro workshopestá marcado para 9 de novembro (amanhã) com a temática “Fotografia com um Smartphone” e será lecionado por Nuno Jorge Henriques, freelancerdesde 1990, com formação profissional na área da fotografia e professor certificado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).


No dia 7 de dezembro terá lugar o segundo workshop direcionado para a criação de “Vídeo com um Smartphone”. Este workshop conta com a formadora Carolina Monteverde, que depois de uma carreira de 17 anos no sistema financeiro, se formou no que sempre tinha feito como hobbie: filmar e fazer edição de vídeos.


“A proximidade com o mercado e as marcas faz parte do nosso posicionamento. A ligação à Huawei combina tecnologia e inovação, que são os pilares do nosso sucesso educativo”, refere Nuno Bento, Diretor de Operações e New Business da ETIC.


As inscrições arrancaram  no início desta semana e a Huawei vai selecionar os candidatos com base numa frase criativa que explique sucintamente o porquê de os mesmos merecerem frequentar os workshops Love Your Huawei. Aos alunos da ETIC será dada a oportunidade de construir um portfólio para a marca através dos conteúdos criados por estes no decorrer dos workshops.


Para mais informações sobre os workshopsconsulte o site da Huawei.


Smart TVs Samsung mais antigas perdem Netflix em Dezembro

09-11-2019 | 21:00 | Aberto até de Madrugada


Há mais uma série de pessoas que vai perder a conveniência de poder aceder à Netflix directamente nas suas Smart TVs, com o fim do suporte para TVs Samsung mais antigas em Dezembro.

A questão das actualizações que vai demonstrando a fragilidade dos sistemas digitais a longo prazo (o fim do do suporte para apps de 32 bits no iOS fechou a porta a incontáveis apps, que não se podem correr nos iPhones mais modernos) e as Smart TVs são também exemplo disso. À medida que os anos passam também elas vão sendo esquecidas, perdendo acesso a apps como o YouTube, Skype e outras, e agora é a vez da Netflix.

A 2 de Dezembro a Netflix deixará de funcionar em Smart TVs da Samsung do início da década, assim como boxes Roku de primeira geração, e também Smart TVs da Vizio com mais de quatro anos.

A situação torna-se mais preocupante no caso dos televisores com quatro ou cinco anos; mas ainda assim não desculpa a situação mesmo para os modelos com quase uma década. Ao contrário dos smartphones, onde se pode "aceitar" a imposição de ir actualizando para um novo modelo a cada dois ou três anos, nos televisores estamos a falar de produtos que se irão manter durante muito mais tempo, e é ridículo vê-los ficarem esquecidos e sem acesso aos serviços.

É certo que se pode desenrascar a situação com uma box externa... mas, também elas inevitavelmente acabarão por sofrer do mesmo mal (como aconteceu agora com as box Roku de primeira geração).

Como funciona a imunidade de grupo

09-11-2019 | 18:30 | Aberto até de Madrugada


A vacinação proporcionou uma autêntica revolução em termos de saúde pública nas últimas décadas, e protege não só os que são vacinados como também aqueles que não são - desde que haja um número suficiente de pessoas vacinadas.

É absurdo ver os movimentos "anti-vacinas", que parecem ter memória curta dos múltiplos flagelos que atormentaram miúdos e graúdos durante séculos. Mas mais importante é perceber que, com cada pessoa que deixa de ser vacinada, se põe em risco muitas mais pessoas, devido ao que é conhecido como "imunidade de grupo".

No caso de uma população não vacinada, uma doença contagiosa espalhar-se-á com facilidade, afectando todos (menos alguns poucos que sejam naturalmente imunes). No caso de uma população parcialmente vacinada, teremos uma situação idêntica, apenas com um aumento do número de pessoas que não ficará doente (as que foram vacinadas). Mas, quando temos uma população quase totalmente vacinada, verifica-se o tal efeito, em que as pessoas vacinadas servem como barreiras que impedem que um pessoa doente espalhe o contágio.


O seguinte vídeo mostra o fenómeno de forma mais visual, demonstrando o efeito de contágio em cenários onde temos diferentes percentagens de população imune (vacinada). A percentagem necessária para esta protecção de grupo é também dependente do nível de contágio da doença. Uma doença pouco contagiosa poderá deixar de ser um problema desde que haja cerca de 60% da população vacinada, mas no caso de doenças altamente contagiosas, como o sarampo, é necessário que cerca de 95% da população esteja vacinada.

Vídeo mostra o iOS 14 ideal

09-11-2019 | 16:30 | Aberto até de Madrugada


Ao longo dos anos temos visto pessoas a lançarem ideias sobre como deveriam ser as próximas versões do iOS, e desta vez temos uma proposta bastante interessante que nos mostra como seria o iOS 14 idealizado pelo YouTube Hacker 34.

A melhor parte deste iOS 14 é a de que não se trata de nada ultra-futuristas, mas sim de ajustes e detalhes perfeitamente razoáveis e que poderiam ser implementados com relativa facilidade. Temos coisas como um indicador de chamadas numa janela, que evita interromper de forma brusca o que se estiver a fazer; suporte para ecrãs always-on com possibilidade de se utilizarem "complicações" configuráveis, como no Apple Watch; suporte para múltiplos utilizadores (uma funcionalidade ridiculamente em falta nos iPads principalmente!); suporte para duas apps em simultâneo no ecrã, com drag and drop; ou até pormenores como poder posicionar os icons das apps no sítio onde se quiser, em vez de não se poder ter espaços vazios.

Sabendo-se que no passado a Apple já se aproveitou dos exemplos criados por este tipo de vídeos, assim como de alterações que foram estreadas pela comunidade de jailbreaking, vamos ver se poderá inspirar-se nalgumas destas propostas para o iOS 14.

App Defense Alliance quer aumentar a segurança das apps

09-11-2019 | 16:21 | Apps do Android


A Google reconheceu que a necessidade de garantir o máximo de segurança possível no universo Android é algo que melhor será feito com aliados, e por isso criou a App Defense Alliance em parceria com algumas das mais reputadas empresas de segurança para reforçar a segurança na Play Store.


A App Defense Alliance conta, nesta fase de arranque com a ESET, Lookout, e Zimperium (para além da Google), numa sinergia que visa aumentar a eficiência na detecção de apps maliciosas. Como bem sabemos, mesmo com todas as medidas que a Google tem implementadas na Play Store, são por lá frequentemente encontradas apps maliciosas, detectadas por investigadores de segurança destas empresas.

Com esta iniciativa, a Google irá agilizar esse processo de detecção e comunicação entre todos, de modo a obter uma resposta bastante mais rápida a qualquer ameaça que possa surgir.

Não são conhecidas as contrapartidas que a Google estará a dar a estas empresas, mas considerando que tem vários programas de recompensas por falhas de segurança, não será descabido imaginar que tenha criado um conjunto de recompensas e benefícios pelo trabalho feito pelos parceiros desta aliança. Agora, é aguardar para ver os resultados práticos - ou, melhor dizendo, esperar que deixem de se ver apps maliciosas a infiltrarem-se na Play Store.

Google passa Cardboard VR a open-source

09-11-2019 | 14:31 | Aberto até de Madrugada


A Google abandonou o Daydream VR, e agora que também "livrar-se" do Cardboard VR, disponibilizando-o como open-source, para que o trabalho passe a ser feito por quem tiver interesse nisso.

Com o Cardboard open-source a Google disponibiliza todas as ferramentas para que se continuem a criar experiências VR em Android e iOS que possam ser desfrutadas a partir dos óculos em cartão (ou os modelos em plástico derivados deles).

O projecto Cardboard, que permitiu levar a experiência VR a milhões de pessoas através dos seus curiosos óculos VR em cartão, pode não ter tido o impacto que se desejava. Ainda assim, terá sido responsável por mostrar um mundo VR à maioria dessas pessoas pela primeira vez, e sendo algo que a Google diz esperar ver continuado com esta nova etapa.

Segundo a Google, os sectores do entretenimento e educação são os que mais têm tirado partido do VR, com o YouTube ou o Expeditions a permitirem criar experiências que transformam por completo o ensino da matéria nas salas de aula.

... No fundo, todo este sector do VR apenas está à espera que surjam uns óculos de VR / realidade aumentada que sejam práticos de utilizar e económicos, que sirvam como faísca para uma nova revolução. O estranho é ver a Google a desinvestir nesta área, quando do lado da Apple parecem estar iminentes a chegada desses tais óculos (provavelmente, sem a parte do "económicos").

Como o Autopilot da Tesla lida com cones, noite e visibilidade reduzida

09-11-2019 | 12:00 | Aberto até de Madrugada


O Autopilot da Tesla está longe de ser perfeito, mas já é capaz de fazer coisas surpreendentes. Um condutor mostra-nos como ele está a lidar com situações de obras na estrada, e outras situações complicadas com visibilidade reduzida, como à noite, com chuva, etc.

Elon Musk tem repetidamente desvalorizado o uso dos LIDARs e apostando apenas nas câmaras como sendo essenciais para a condução autónoma; pelo que importa ainda mais ver que tal o Autopilot da Tesla se comporta quando as câmaras deixam de ver o mundo com a perfeição desejada.

O primeiro caso mostra a capacidade do carro reconhecer cones na estrada, a indicar desvios devido a obras, e correctamente dando prioridade aos cones e ignorando as marcações das linhas na estrada.

and finally a bit of construction zone (this is the only one of the set where AP is actually on), nothing groundbreaking since it was widely reported already long ago, but still interesting to see it "from the inside": pic.twitter.com/TmGkqhGPQz
— green (@greentheonly) November 7, 2019


De seguida, outros casos em que complicaram a vida ao Autopilot colocando películas sobre a câmara, e também em situação de contra-luz, com o sol de frente.

Combined with sun shining into the cam result is even more extreme, but the car was still mostly able to tell the lane lines even. pic.twitter.com/NkKX4O570X
— green (@greentheonly) November 7, 2019


E por fim, uma pequena comparação que mostra a detecção de objectos à noite, mesmo em condições que poderiam ser complicadas para o condutor.

— green (@greentheonly) November 7, 2019


Nota: não esquecer que estes vídeos podem mostrar imagens bastante mais escuras do que seriam na realidade aos nossos olhos, como foi no fatídico caso da Uber. Quando tiver oportunidade, tentarei fazer um comparativo entre a luminosidade vista pelas câmaras do Autopilot à noite, e a que seria vista "pelos nossos olhos"! :)

iPhone original vs iPhone 11 Pro

09-11-2019 | 11:00 | Aberto até de Madrugada


As evoluções graduais dos smartphones de ano para ano fazem por vezes "parecer" que não se tem evoluído nada, mas nada como um regresso às origens para ficar com uma melhor ideia de tudo o que se ganhou desde então, neste caso colocando-se o mais recente iPhone 11 Pro ao lado do primeiro iPhone.

Marques Brownlee (MKBHD) fez isso mesmo no seu mais recente vídeo, demonstrando de forma bem clara as diferenças que separam o iPhone original de 2007 do mais recente iPhone 11 Pro de 2019. O tamanho, ecrã, velocidade, câmaras, velocidade de acesso à net, etc. revelam-se agora como diferenças substanciais - havendo apenas um único aspecto onde as melhorias não acompanham a mesma tendência: a autonomia (embora, por outro lado, se possa dizer que já não é nada mau que, com todas as demais melhorias, a autonomia ainda consiga ser a que é).

Agora, é só tentar extrapolar: se em 12 anos passamos de um iPhone de 3.5" com câmaras de 2MP para um iPhone de 5.8" com câmara tripla; quem se arrisca a imaginar como poderá ser um iPhone daqui por mais 12 anos? (Se é que nessa altura ainda teremos os smartphones a dominar o mundo...)

SpaceX lança Starlink 1 a 11 de Novembro

09-11-2019 | 10:00 | Aberto até de Madrugada


Depois dos lançamentos com satélites de teste, a SpaceX vai finalmente iniciar dar o primeiro passo oficial para a criação da mega-constelação de satélites Starlink, que levará internet a todo o planeta.

Está marcada para 11 de Novembro o lançamento da missão Starlink 1, que levará os primeiros 60 satélites na sua versão final a bordo (anteriormente, a SpaceX lançou 60 satélites em versão quase-final, para fazer os últimos testes e ajustes).

Este lançamento será acompanhado com enorme curiosidade, não só pela carga que leva, mas também por utilizar pela primeira vez um Falcon 9 reutilizado que estará a fazer o seu 4º lançamento, tendo já feito dois lançamentos em 2018 e um em Fevereiro deste ano. Também a coifa (o cone de protecção no topo do foguete) é recuperada de uma missão anterior, algo que também será feito pela primeira vez. E, como é habitual, o objectivo é voltar a recuperar e reutilizar estes componentes.

Se tudo correr bem, o plano de lançamentos deverá acelerar rapidamente, com a SpaceX a dizer que espera completar até 24 lançamentos adicionais de satélites Starlink em 2020, o que colocaria 1500 satélites em órbita num só ano; mas com a indicação de que a rede Starlink poderia começar a fornecer serviço nos EUA e Canadá já no meio do ano, assim que se fizerem 6 a 8 lançamentos.

Tab4You6 - um tablet pensado para os mais pequenos

09-11-2019 | 09:32 | Apps do Android


Com o Natal à porta, começam a surgir as primeiras propostas para as prendas natalícias. A Science4you tem no Tab4You6, uma opção pensada para as crianças, para que possam fazer o trabalho escolar, jogar nos seus tempos livres ou pesquisar como se fazem experiências Science4You.

Como não podia deixar de ser, este tablet vem completamente preparado para o seu público: com uma capa protetora que serve de suporte e com uma pega ideal para facilitar o seu transporte, garantindo também que este produto seja incrivelmente resistente a quedas. Esta proteção torna o Tab4you6 robusto, antichoque e, portanto, um descanso para os pais. E por falar em segurança, também o vidro deste equipamento é feito de um material diferente, garantindo maior segurança, e ainda que não se estilhaça sendo ainda mais seguro para quem o manuseia.
De acordo com Bruno Santos, Diretor de Marketing da Science4You, “este lançamento faz parte da renovação da gama de tablets da Science4you, com alto foco na resistência deste tipo de produto para o target infantil e pretende ser uma oferta que alia a aprendizagem à diversão. A ideia, o conceito e a concretização deste produto tecnológico totalmente Made in Portugal deixa-nos orgulhosos."   

O Tab4You6 vem equipado com o Sistema Operativo Android 9, um processador Quad-Core de 1.5 GHz, um ecrã HD de 7 polegadas, duas câmaras - uma traseira e uma frontal ambas com 2MP - e com capacidade até 64 GB de armazenamento externo através de um cartão SD. Conta ainda com uma caneta touch, que proporcionará mais facilidade e comodidade e uma memória de 1 GB de RAM e 8 GB de ROM.

PVP 119,99€

Spice Girls ou Spice Drags?

08-11-2019 | 23:08 | Gonçalo Sá

Melanie C.jpg

A Sporty Spice arrumou os ténis e tirou os sapatos de salto alto do armário. Talvez não definitivamente, mas pelo menos no seu novo single, cujo título diz logo ao que vem.

"HIGH HEELS" mostra que, apesar de MELANIE C se ter reunido com as Spice Girls para uma digressão este ano, sentiu-se mais inspirada para as próximas aventuras a solo pela colaboração com o colectivo londrino LGBTQ+ Sink The Pink, com o qual também andou na estrada nos últimos tempos - nas festas Pride de Berlim, Nova Iorque, Madrid ou São Paulo, por exemplo.

É a própria que o admite, ao apresentar uma canção que partiu do ambiente enérgico e inclusivo que diz ter encontrado nos eventos do grupo de drag queens. O tema marca também o início da preparação do seu próximo álbum, já o oitavo, segundo contou à NYLON. Sem data de edição prevista, o sucessor de "Version of Me" (2016) deverá expandir a faceta electrónica deste primeiro avanço, um dos mais dançáveis e contagiantes do seu percurso - e que até está mais no comprimento de onda de uma Robyn do que do seu registo habitual.

Descrito pela britânica como um single tão frívolo como celebratório, "HIGH HEELS" é uma ode à auto-aceitação e à libertação pela entrega à dança  ("You gotta love yourself/ Above anybody else"), conceito que o videoclip desenvolve ao levar as coreografias dos Sink The Pink a um salão de beleza. "Drag up your life"?

NAS QNAP infectados por QSnatch

08-11-2019 | 21:00 | Aberto até de Madrugada


Milhares de NAS da QNAP estão a ser alvo de ataque por um malware designado por QSnatch, fazendo com que seja imperativo os utilizadores actualizarem os seus equipamentos.

O QSnatch tem estado a infectado NAS da QNAP a grande velocidade, e mais complicado é que tem a capacidade de se infiltrar no firmware de forma a resistir a reboots. Por agora, sabe-se que o malware é capaz de roubar passwords dos utilizadores, impede a execução da app QNAP MalwareRemover, e dificulta a instalação de novos firmwares (altera os URLs que pesquisam por actualizações). Mas, é de imaginar que os atacantes rapidamente expandam as suas capacidades, de modo fazer coisas como ataques DDoS, mineração de criptomoedas, ou até ransomware.

Por agora a forma recomendada para se livrarem deste malware é fazer um reset de fábrica, seguido da instalação imediata do firmware mais recente, com data de 1 de Novembro ou mais recente - já que foi a data em que a QNAP disponibilizou a actualização que deverá resistir a este malware; se bem que, por agora, ainda não foi determinado o vector de ataque que permite a infecção inicial.

Para quem tiver sido afectado pelo QSnatch, fica ainda a lista de coisas a fazer: mudar todas as passwords para todos os utilizadores do NAS; verificar se não foram criados acessos para utilizadores desconhecidos; instalar o QNAP MalwareRemover; e definir um access control list para o equipamento (Control panel -> Security -> Security level). Os NAS têm sido alvos cada vez mais apetecíveis dos atacantes, sendo que este ano já se verificaram ataques de ransomware nos NAS da Synology, e também variantes dos ransomware eCh0raix e Muhstik criados especificamente para os QNAP.

EUA inundados por SMS do dia de S. Valentim atrasados

08-11-2019 | 18:30 | Aberto até de Madrugada


Milhares de pessoas nos EUA estão a ser surpreendidas por SMS inesperados, que foram enviados no dia de S. Valentem (Fevereiro), nalguns casos causando grandes transtornos.

A situação caricata está a afectar clientes de todas as operadoras, e diz respeito a SMS que foram enviados a 14 de Fevereiro mas que nunca chegaram aos destinatários. O estranho é que isso está a acontecer agora, 9 meses mais tarde.

Poderia ser uma situação cómica, e algumas pessoas até poderão apreciar a mensagem de carinho inesperada, só que há casos em que a coisa se torna mais complicada. Há pessoas que estão a receber os SMS de ex-namorados e ex-namoradas, e até de pessoas que já morreram, causando grandes transtornos emocionais.

Além disso, fica ainda por esclarecer o que causou este incidente, porque motivo estes SMS "perdidos" estiveram afinal arquivados todo este tempo, e porque só agora é que foram entregues aos destinatários. Assume-se que um SMS seja entregue ou não, e no caso de não ser entregue, que isso seria tentado por alguns dias mais (no máximo) - não que ficassem sequestrados durante meses, algures.

|